Defendendo tabu, Joinville recebe Criciúma no primeiro clássico catarinense na Série B

Tigre não vence na Arena desde 2007 e visita rival que vem desgastado e a quatro jogos sem vencer

Defendendo tabu, Joinville recebe Criciúma no primeiro clássico catarinense na Série B
Cada equipe venceu um confronto em 2016 (Foto: Divulgação/Joinville EC)
Joinville
Criciúma
Joinville: Agenor; Everton Silva, Bruno Aguiar, Victor Oliveira, Júnior; Naldo, Diones, Paulinho Dias; Pereira, Juninho, Adriano. Técnico: Hemerson Maria
Criciúma: Luiz; Ezequiel, Raphael Silva, Nathan, Marlon; Barreto, Douglas Moreira, Élvis; Roberto, Gustavo, Niltinho. Técnico: Roberto Cavalo
ÁRBITRO: Claudio Francisco Lima e Silva (SE), que será auxiliado por Neuza Ines Back (SC) e Eder Alexandre (SC)
INCIDENCIAS: 2ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, na Arena, em Joinville, SC; a partida começa às 21h30

Já na segunda rodada, a Série B terá um dos maiores embates do futebol catarinense. O clássico do interior, entre Joinville Criciúma, na casa do JEC, terá em jogo um tabu longo. Desde 2007, o Tigre não vence na Arena do rival. Naquela partida, válida pelo estadual, o gol da vitória por 1 a 0 foi marcado pelo meia Athos. De lá para cá, foram 12 jogos no norte, com oito vitórias do Coelho e quatro empates.

Na história, foram 188 encontros entre as equipes, com 66 vitórias do Joinville, 66 empates e 61 vitórias do Criciúma. Neste ano, nos jogos do Campeonato Catarinense, cada time venceu na sua casa. O Tigre venceu por 2 a 1 no Heriberto Hülse e o JEC saiu com 1 a 0 na Arena.

Com reforços, JEC precisa superar desgaste para voltar a vencer

Após ser pela terceira vez consecutiva vice-campeão catarinense, o Joinville passa por um momento oscilante. Apesar do bom empate fora de casa diante do Luverdense na abertura da Série B, o time foi eliminado na Copa do Brasil pelo Ceará, com duas derrotas por 1 a 0, a última delas na terça-feira (17), chegando a quatro jogos consecutivos sem vencer.

Além do desgaste emocional, o JEC também enfrenta um desgaste físico. Nos últimos 30 dias, o time jogou oito vezes, e ainda enfrentou viagens desgastantes para Rio Brilhante, no Mato Grosso do Sul, e Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso. Após a derrota para o Ceará na última terça-feira (17), pela Copa do Brasil, o técnico Hemerson Maria destacou a dificuldade dos deslocamentos e indicou que precisa rodar o time para não provocar lesões.

"Viajamos para Fortaleza com fisiologista e foram feitas as avaliações físicas. Jogamos contra o Comercial-MS, numa viagem de 12 horas. Depois fizemos a final. Logo depois o segundo jogo com o Comercial-MS. Teve ainda a decisão em Chapecó. Em seguida o jogo em casa contra o Ceará, depois a partida em Lucas do Rio Verde. A estrutura do jogador não é feita de ferro e cimento. É de músculos. Tenho que usar todo o meu elenco. Não pode falar que ninguém presta agora", disse.

Para o clássico contra o Criciúma, Hemerson Maria terá dois reforços, apresentados na última quarta-feira (18). Conhecidos do futebol catarinense, o lateral-direito Everton Silva, ex-Avaí, e o volante Paulinho Dias, ex-Chapecoense, devem começar a partida como titulares.

Everton Silva e Paulinho Dias devem ser titulares dois dias após apresentação (Foto: Divulgação/Joinville EC)
Everton Silva e Paulinho Dias devem ser titulares dois dias após apresentação (Foto: Divulgação/Joinville EC)

Após estreia vencedora, Cavalo mantém mesmo time titular

Eliminado na Copa do Brasil na primeira fase pelo Operário-PR, o Criciúma teve duas semanas para se preparar para a Série B. Com novos reforços, o Tigre estreou com vitória por 1 a 0 sobre o Náutico, em casa.

Com um bom resultado na primeira partida, o técnico Roberto Cavalo decidiu manter o mesmo time. Apesar da boa participação do estreante meia Juninho, o treinador decidiu manter o esquema de três atacantes.

"O time está definido. Eu pensei bem, tinha uma dúvida, até pela maneira que o Juninho jogou e treinou. O pouco tempo contra o Náutico chamou muita atenção. Mas, como também vencemos o Náutico e tivemos jogadas rápidas com Niltinho, Roberto e Gustavo, vamos dar um pouco mais de entrosamento, de padrão. Acho que vai ser um bom jogo", analisou.

Sobre o tabu de 12 jogos sem vencer na casa do rival, Cavalo tratou com naturalidade e pediu tranquilidade para sua equipe superar essa marca ruim.

"Vira um tabu e pode dar confiança ao Joinville e nos deixa um pouco mais preocupados. Isso é normal, é o que acontece no futebol. Tranquilidade acima de tudo. Um dia vai perder. Temos acompanhado os campeonatos, o Vasco quase perdeu para o CRB, depois de tanto tempo. Sabemos que são nove anos sem ganhar lá. O que temos passado para os jogadores é que é jogo a jogo. No Campeonato Catarinense tivemos uma boa partida, tomamos um gol de pênalti no momento em que estávamos bem no jogo. É um clássico", disse.

Cavalo confirmou mesmo time da estreia para tentar quebrar tabu em Joinville (Foto: Fernando Ribeiro/Criciúma EC)
Cavalo confirmou mesmo time da estreia para tentar quebrar tabu em Joinville (Foto: Fernando Ribeiro/Criciúma EC)