Palmeiras se impõe e exorciza fantasma das derrotas contra últimos colocados

Equipe espantou a sina de desperdiçar pontos bobos contra equipes de posições derradeiras na tabela

Palmeiras se impõe e exorciza fantasma das derrotas contra últimos colocados
Foto: César Greco/Agência Palmeiras/Divulgação

A campanha do título do Palmeiras pode ser contada de diferentes maneiras, e uma delas se dá justamente na forma como a equipe se comportou ao capitalizar boa parte dos pontos contra equipes que em outras temporadas incomodavam e muito os palestrinos.

Um dos grandes obstáculos para a equipe nos últimos anos tem sido perder pontos para equipes da metade baixa da tabela. Se em outros anos viagens com destino ao Nordeste seriam motivo de preocupação e perda de pontos fáceis, nesta temporada a equipe apresentou uma melhora evidente diante desses times.

Foto: César Greco/Agência Palmeiras/Divulgação

Seja em casa ou fora, a equipe alviverde conseguiu conquistar todos os pontos possíveis diante dos times que estão no Z-4, colocando na conta um total de 24 pontos contra os rivais. Se colocarmos na conta os times que brigam ou brigaram contra o rebaixamento durante toda a disputa, o time acumulou bons resultados também.

Conseguindo quatro pontos contra o Coritiba, até agora três contra o Vitória, três contra o rival São Paulo e, se contarmos dos dez últimos colocados na tabela, a equipe só não triunfou pelo menos uma vez diante do Cruzeiro. Se pensarmos em 2015, a equipe teve dificuldades e perdeu pontos em casa para o Vasco e Coritba na reta final do campeonato.

Voltando a 2014, o ano do quase rebaixamento, também ocorreram dificuldades e o Palmeiras perdeu pontos bobos na reta final diante de Sport e Coritiba. Já em 2016, a equipe conseguiu mostrar justamente suas duas faces diante dessas equipes, conseguindo marcar muitos gols nas partidas em casa e no primeiro turno com seu ataque envolvente.

Foto: César Greco/Agência Palmeiras/Divulgação

E na segunda metade do Brasileirão o Palmeiras trabalhou de modo seguro e preciso para atacar nos contra-golpes esperando os erros dos rivais sem se desesperar com o tempo do jogo,  sendo cirúrgico para mesmo sob pressão conseguir resultados que uma equipe que briga pelo título deve conquistar.