Cuca lamenta eliminação do Palmeiras mas mostra otimismo: “Tudo que Deus faz é bom”

Treinador ainda reclamou da arbitragem que, em sua opinião, foi um pouco imparcial e tirou a serenidade da partida

Cuca lamenta eliminação do Palmeiras mas mostra otimismo: “Tudo que Deus faz é bom”
(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Se lamentando bastante após a eliminação diante do Cruzeiro no Mineirão, o técnico Cuca concedeu entrevista após o empate das duas equipes com o placar de 1 a 1. Palmeiras e Cruzeiro empataram na partida de ida no Allianz Parque pelo placar de 3 a 3 e chegaram no Mineirão com o Cruzeiro tendo a vantagem do empate com gols de até 2 a 2 para se classificar. Depois do jogo, Cuca falou sobre a eliminação e destacou que o Palmeiras não jogou mal.

O técnico palmeirense lamentou bastante a eliminação e, mesmo com a dor, ressaltou que tudo que Deus faz é bom. Cuca afirmou que não se deve achar um culpado pelo resultado da partida.

“A gente sente muito a derrota porque tinha a classificação na mão. Fica a dor, mas comandante tem de administrar, não tem de achar culpado. Lá dentro, eu cobro amanhã tudo o que tiver que cobrar. Mas tudo que Deus faz é bom. Se não foi para passar hoje, é para ter mais energia em outra situação”, disse Cuca.

O treinador também demonstrou o seu desejo de avançar à semifinal, mas que não pode se deixar abalar pela eliminação. Mesmo com a partida que não teve o placar favorável, a equipe ainda pode melhorar“Queria ir adiante e ganhar a Copa do Brasil, mas não deu. O Cruzeiro passou, mas não vamos fazer terra arrasada, vamos continuar melhorando. Se não toma o gol no fim, estão todos de parabéns. Temos de dividir e controlar. Nem tudo nem nada. Podemos melhorar”, destacou.

Cuca também destacou que faltou maturidade para a equipe controlar o resultado e não sofrer o gol no final. O técnico também disse que mesmo tendo mais posse, o Cruzeiro não levou perigo para o goleiro Jailson e fez o gol em uma jogada casual.

“Depois que fizemos o gol, o Cruzeiro tinha campo, mas não me lembro de uma defesa do Jailson. Não foi um sufoco para que o Cruzeiro merecesse o gol. Foi em uma jogada casual. Faltou para nós um pouquinho de maturidade de sofrer o fim do jogo. Mesmo bem posicionados, com a maioria dos jogadores, acabamos tomando o gol”, analisou o treinador.

O comandante também comentou sobre o lance de Egídio, onde o jogador teve uma boa oportunidade de balançar as redes, mas acabou desperdiçando a chance de marcar o gol palmeirense. Cuca defendeu o lateral e garantiu que não adianta individualizar a culpa da eliminação.

“A gente não pode criticar o jogador, porque lá dentro ele tem uma ideia no momento. Ele fez o que escolheu. Teve a escolha errada, mas não foi por maldade que fez isso. Se toca a bola poderia sair o gol, era o mais certo, mas não fez. Não é por isso que tomamos o gol. Não adianta individualizar um jogador e culpar pela derrota”, disse Cuca defendendo Egídio.

Por último, encerrando sua entrevista, assim como Felipe Melo que chamou a arbitragem de caseira, Cuca falou sobre a imparcialidade dos juízes e sobre ceder à pressão dos 40 mil torcedores cruzeirenses no estádio, tirando a serenidade da partida.

“Outro dia troquei um jogador, em Recife, ele saiu pelo ladinho em que estava lá. Hoje tem que quase pedir pelo amor de Deus para o jogador sair. O gandula não repõe a bola, o quarto árbitro deixa acontecer, as faltinhas todas para um lado. Quando ouvem 40 mil gritando aqui já apitam. Mas que façam igual quando forem os 40 mil do Allianz, que aí a gente não reclama de nada”, disparou Cuca finalizando sua entrevista.

O Palmeiras agora volta a campo no próximo sábado (29), aonde enfrenta o Avaí pela 17ª  rodada do Campeonato Brasileiro Séria A 2017. A partida será no Allianz Parque, em São Paulo, às 19h, aonde o Palmeiras tenta se manter entre os primeiros colocados e o Avaí busca escapar da zona de rebaixamento.

Sociedade Esportiva Palmeiras