Ganso marca e São Paulo derrota Palmeiras no Choque-Rei

Tricolor bate rival e conquista três pontos importantes para a sequência do Campeonato Brasileiro

Ganso marca e São Paulo derrota Palmeiras no Choque-Rei
Foto: Fernando Nunes/Sao Paulo FC
São Paulo F.C
1 0
S.E.Palmeiras
São Paulo F.C: Dênis; Bruno, Lugano, Maicon, Matheus Reis; Wesley, Thiago Mendes (Rogério), P.H Ganso; Centurión (João Schimidt), Kelvin e Alan Kardek (Ytalo).
S.E.Palmeiras: Fernando Prass; Tchê Tchê, Thiago Martins, Vitor Hugo, Zé Roberto; Thiago Santos (Moisés), Jean, Roger Guedes (Rafael Marques), Dudu; Gabriel Jesus (Eric) e Alecsandro.
Placar: 1-0, min.11, P.H Ganso.
ÁRBITRO: Ricardo Marques Ribeiro (MG). Cartão amarelo para Thiago Santos (min.20), Lugano (min.23), Alan Kardek (min.28), Zé Roberto (min.33), Moisés (min. 26 2ºT)
INCIDENCIAS: PARTIDA DISPUTADA NO MORUMBI, SÃO PAULO, AS 16 HORAS VÁLIDA PELA 4ª RODADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO 2016

O clima frio neste domingo (29) de feriado prolongado em São Paulo parece ter afastado a torcida tricolor do estádio do Morumbi, em um jogo que tinha tudo para levar a torcida em peso ao clássico contra o Palmeiras. Porém, mesmo com um público aquém das expectativas (12 mil espectadores), o São Paulo levou a melhor: vitória por 1 a 0, com gol marcado pelo meia Paulo Henrique Ganso.

Com o resultado, o Tricolor subiu para a sexta posição, com sete pontos, e se aproximou dos líderes do Campeonato Brasileiro. O Verdão, por sua vez, aparece na oitava colocação.

Agora, o São Paulo irá até o estádio Orlando Scarpelli enfrentar o Figueirense, na quarta-feira (1º), às 21h45. Já o Palmeiras tenrará se recuperar do revés diante do Grêmio na quinta-feira (2), às 21h, no Allianz Parque.

Palmeiras começa melhor, mas sente o baque do gol adversário

O time visitante começou o jogo muito melhor que o São Paulo. O time palestrino, explorando as laterais do campo chegou a assustar logo aos 03 min de jogo; no cruzamento de Zé Roberto, o atacante  Alecsandro cabeceou forte, obrigando o contestado goleiro Dênis, a fazer uma boa defesa  em dois tempos. Neste ritmo, apenas com 07 minutos o Palmeiras já tinha chegado a oferecer perigo três vezes à meta tricolor.

Quando o Palmeiras era melhor no jogo o São Paulo abriu o placar, para delírio dos poucos torcedores presentes; Kelvin tabelou com Thiago Mendes, que abriu na direita para Bruno fazer o cruzamento, Thiago Martins deixou a bola passar, e Ganso completou de cabeça aos 11 min.

O Palmeiras visto até o momento do gol adversário desapareceu; o São Paulo passou a ter mais posse de bola e equilibrar um jogo que antes parecia mais favorável ao adversário. Este equilibrio durou até o final da primeira metade do jogo, onde a bola se manteve mais no meio campo.

São Paulo superior no segundo tempo

 No intervalo do jogo o técnico Cuca viu que os apáticos Roger Guedes e Thiago Santos precisavam sair para dar mais força ao time palestrino, para isso trocou as peças e colocou Moisés e Rafael Marques, respectivamente.

Trocas feitas, o Palmeiras visto no início do primeiro tempo voltou com tudo e mais uma vez o que se via era o time tomando as iniciativas ofensivas na volta do jogo. Aos 09 min do segundo tempo, Rafael Marques arriscou de fora da área, mas Denis fez boa defesa; e aos 13 minutos Alecsandro deu um chute perigoso que passou por cima do travessão.

Apesar dos ataques iniciais do adversário, o São Paulo não estava apagado, também chegava ao ataque, era um jogo lá e cá. O camisa 10, Ganso, mostrou aos espectadores o futebol que todos os admiradores do futebol esperam dele. O atleta deu passes e chutou ao gol, sendo um dos destaques da partida; assim como Kelvin, um jogador muito agudo pela lateral do campo, com dribles e passes precisos.

Aos 17 minutos do segundo tempo, em um perigoso ataque do Palmeiras, Moisés arriscou de fora da área, Denis defendeu, mas não conseguiu agarrar e soltou nos pés de Alecsandro. Na sequência, o goleiro se recuperou e salvou o São Paulo, mas num choque com o atacante cortou o supercilho e paralisou a partida por cinco mintos, o que fez o segundo tempo durar 53 minutos. 

Após a paralisação, o São Paulo voltou com muita força e obrigou o excelente goleiro Fernando Prass a fazer defesas dificílimas até o fim do jogo; desta forma concretizou a vitória tricolor.