Conheça o Beach Tennis, a mistura do tênis com vôlei de praia
(Foto: ITF/Divulgação)

Duas duplas passando a bola por uma rede, em uma quadra retangular, com piso de areia. Parece vôlei, mas não é. O Beach Tennis é a nova moda nas praias do mundo inteiro, misturando o tradicional tênis com o volei de praia e tornando-se assim uma modalidade muito interessante a ser explorada nas praias brasileiras.

A curiosidade é despertada por vários aspectos, mas a verdade é que o Beach Tennis é viciante e divertido demais para não ser praticado. Hoje, a modalidade conta com mais de dois milhões de praticantes. A VAVEL Brasil foi atrás e apresenta a você este novo esporte.

ORIGEM DA MODALIDADE

Jogar com raquetes na praia sempre foi algo comum. Desde o Frescobol até o Matkot, esportes de praia mais praticados em países como Itália e Israel, veio a origem completa do Beach Tennis. Em Ravena, na Itália, o esporte começou a ser regulamentado e ganhar regras que na década de 80 já haviam sido bem absorvidas pelos jogadores locais.

Frescobol foi a origem do Beach Tennis (Foto: Getty Images)
Frescobol foi a origem do Beach Tennis (Foto: Getty Images)

A modalidade acabou chegando ao Brasil apenas 28 anos depois, quando Adão Chagas, Leopoldo Correa e Marcela Evangelista ficaram marcados como precursores por trazer o esporte.

EQUIPAMENTO, PONTUAÇÃO E REGRAS

Tudo que você precisa para jogar Beach Tennis é de raquetes e bolinhas especializadas. A raquete é dura, fina e não possui cordas, sendo na maioria das vezes feita de carbono ou grafite. A bola usada para praticar o esporte é a famosa "soft", despressurizada e muitas vezes até mesmo utilizada em treinamentos de tênis com crianças.

(Foto: Getty Images)
(Foto: Getty Images)

A cancha do esporte é praticamente a mesma do vôlei de praia, com a medida de 16x8 metros quando jogado na modalidade de duplas. Quando disputado em simples, porém, pode ser de 16x5. A rede é mais baixa: enquanto no vôlei de praia ela tem 2,23m de altura, no Beach Tennis fica com 1,70m.

(Foto: Arena Opa Bier)
(Foto: Arena Opa Bier)

Embora seja confuso para quem assiste de fora, o Beach Tennis não é difícil de entender. Os jogos profissionais são disputados em duplas, com cada um sacando um game inteiro por vez e com a bola não podendo tocar o chão. A dupla só pode tocar uma vez na jogada, contrariando os três toques do vôlei. 

No saque, a modalidade inova: apenas um saque ao invés de dois do tênis convencional. A bola deve ser batida de trás da linha de base, mas de qualquer lado que o sacador desejar. Ele pode optar por sacar por cima ou por baixo do corpo.

A pontuação segue a do tênis comum, mas sem a vantagem (no ad). Significa que, quando o game estiver no placar de 40/40, quem vencer o próximo ponto vencerá o game. 

O CIRCUITO PROFISSIONAL

Organizado pela ITF (International Tennis Federation), o Beach Tennis conta hoje em dia com 96 eventos profissionais por ano. O calendário do circuito profissional vai de 1° de Janeiro até 26 de Agosto.

Torneio profissional na Itália (Foto: Maximilian Hamm)
Torneio profissional na Itália (Foto: Maximilian Hamm)

Os eventos tem seis diferentes níveis, sendo os dois maiores em Cervia, na Itália e em Moscou, na Rússia. O Brasil conta com três eventos no circuito: Rio de Janeiro e Santos de nível dois e Fortaleza de nível três.

Liderando os circuitos mundiais estão os italianos. Dos dez melhores jogadores de Beach Tennis do mundo, sete são do país. A dupla que lidera o circuito é a de Cramarossa/Garavini.

No feminino, mais dominância: Bacchetta/Gasparri formam a melhor dupla do mundo e deixam sua marca com outras quatro italianas entre as melhores do mundo.

BRASIL NO BEACH TENNIS

O Brasil tem muitos atletas no circuito profissional da ITF. Entre as mulheres, Rafaella Miiller é atual quinta do mundo, enquanto Joana Cortez fica em sétima. E sete é o número da sorte: é a quantidade exata de brasieiras entre as 100 melhores do mundo. Entre todas as profissionais do mundo, o Brasil consta com 95 nomes.

Rafaella Miller é a melhor brasileira do Beach Tennis (Foto: Cleon Medeiros)
Rafaella Miller é a melhor brasileira do Beach Tennis (Foto: Cleon Medeiros)

No masculino, Diogo Carneiro é o atual décimo do ranking, seguido de perto por Ralff Abreu e Vinícius Font, que vem logo após em 11° e 12°. Dentre os 100 melhores homens que praticam Beach Tennis, 11 são brasileiros. Dentre todos os jogadores do planeta, o país aparece com 178.

(Foto: ITF/Divulgação)
Treinamentos na praia do Rio de Janeiro (Foto: ITF/Divulgação)

No país, o maior centro de treinamentos fica no Rio de Janeiro, cidade paradisíaca e propícia para boas práticas na beira da praia. Instrutores ensinam as regras e a maneira correta de jogar. 

Beach Tennis é uma grande inovação que chegou aos poucos no Brasil, mas que hoje em dia ganha força e mostra que vivemos em um país de muitos esportes.

VAVEL Logo