Luto nas quadras: Bebeto de Freitas marcou a "geração de prata" do vôlei brasileiro

Ex-atleta e treinador faleceu nesta terça (13) após sofrer uma parada cardíaca no CT do Atlético-MG, clube no qual estava

Luto nas quadras: Bebeto de Freitas marcou a "geração de prata" do vôlei brasileiro
Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG

Faleceu na tarde desta terça-feira (13), aos 68 anos, Bebeto de Freitas, que estava no Atlético-MG. O ex-dirigente alvinegro estava em um evento de apresentação do time de futebol americano do clube quando sofreu uma parada cardíaca e não resistiu.

Bebeto de Freitas foi um importante ex-jogador e treinador de vôlei, considerado o responsável por elevar o vôlei brasileiro a uma potência mundial. Sob o seu comando, o Brasil conquistou o vice-campeonato mundial em 1982. Dois anos depois, Bebeto levou a Seleção a vôos ainda mais altos, a medalha de prata nas Olimpíadas de Los Angeles.

O ex-treinador não teve sucesso apenas no Brasil. Bebeto foi cinco vezes campeão italiano à frente do Maxicono Parma. Em 1997, ele treinou a Seleção Italiana e alcançou a glória com o título do Mundial.

Em nota, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) manifestou apoio aos familiares e amigos e afirmou "que suas conquistas [de Bebeto] e trabalho ficarão para sempre na história do esporte olímpico brasileiro”. Já a Confederação Brasileira de Voleibol (CBF) diz-se estarrecida com a notícia do falecimento e agradeceu a Bebeto por tudo que ele fez pelo voleibol brasileiro.

Os jogos da Superliga Feminina e Masculina e do Circuito Brasileiro Open de Vôlei de Praia respeitarão um minuto e silêncio antes do inicio das partidas até o próximo domingo (18).

Confira a nota do COB na íntegra:

"O Comitê Olímpico do Brasil manifesta seu mais profundo pesar pelo falecimento de Bebeto de Freitas, ocorrido nesta terça-feira, dia 13, em Belo Horizonte.

Como treinador, Bebeto de Freitas dirigiu a Seleção Masculina de Vôlei nos Jogos Olímpicos Los Angeles 1984, conquistando a inédita medalha de prata, e em Seul 1988. Foi técnico também da Seleção Italiana entre 1997 e 1998. Como dirigente, atuou como gerente de futebol do Atlético Mineiro e entre 2003 e 2008 presidiu o Botafogo, seu clube de coração. Atualmente trabalhava como diretor de administração e controle do Atlético Mineiro.

O Comitê Olímpico do Brasil se solidariza aos familiares e amigos de Bebeto de Freitas, na certeza de que suas conquistas e trabalho ficarão para sempre na história do esporte olímpico brasileiro".

Confira a nota da CBV na íntegra:

"A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), estarrecida com a notícia do falecimento de Bebeto de Freitas, lamenta muito e vem expressar, neste momento, todo o agradecimento em relação a tudo que o técnico da seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de 1984 e 1988 fez pelo voleibol. Vítima de uma parada cardíaca, Bebeto não resistiu após pronto atendimento prestado no centro de treinamento da Cidade do Galo, em Belo Horizonte (MG), onde estava para o lançamento oficial do time de futebol americano do Atlético como diretor de administração e controle do clube.

A CBV está ao lado de toda a família deste que foi um dos grandes ícones do voleibol e do esporte brasileiro. Neste momento, a dor é imensa, mas temos a obrigação de continuar o trabalho que contou com grande participação de Bebeto de Freitas e que teve um grande reconhecimento em 2015, quando entrou para o Hall da Fama da Federação Internacional de Voleibol (FIVB).

Bebeto foi o técnico que levou o Brasil à primeira medalha olímpica no voleibol, a prata em Los Angeles, em 1984. Foi o treinador da seleção brasileira em duas oportunidades, de 1980 a 1984 e, depois, de 1987 a 1990. No início da década de 90, ele dirigiu o Maxicono Parma, na Itália, por seis anos.

Em seguida foi convidado a assumir o cargo de técnico da seleção italiana com a qual conquistou o título do Mundial em 1998. No retorno ao Brasil, mudou de ares e assumiu a função de gestor de futebol do Atlético Mineiro entre 1999 e 2001. Em seguida chegou ao Botafogo Futebol e Regatas para presidir o clube por dois mandatos de 2003 a 2008.

Na época em que ainda era atleta, o ex-levantador Bebeto participou de duas edições dos Jogos Olímpicos em 1972 (Munique) e 1976 (Montreal).

A Superliga Cimed masculina e feminina, a Superliiga B e o Circuito Brasileiro Open de Vôlei de Praia irão respeitar um minuto de silêncio antes de cada partida até o próximo domingo (18.03)".