Sesc RJ derrota Vôlei Ribeirão e reassume liderança da Superliga
Sesc RJ venceu por 3 sets a 2 o Vôlei Ribeirão (Foto: Reprodução/Facebook Sesc)

Sesc RJ derrota Vôlei Ribeirão e reassume liderança da Superliga

Com quase três horas de duração, partida foi marcada por viradas improváveis e decisão no tie-break

juliana
Juliana Cristina

Sesc RJ recebeu o Vôlei Ribeirão nesta sexta-feira (21), no ginásio do Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro, pela última rodada do primeiro turno da Superliga Masculina 2018/19. Os donos da casa venceram os visitantes por 3 sets a 2, com parciais de 25/21, 24/26, 18/25, 28/26 e 25/23. O duelo foi marcado por viradas improváveis e também por ter durado duas horas e 50 minutos. O líbero Tiago Brendle levou o troféu Viva Vôlei.

Com o resultado, os cariocas voltaram para a liderança da principal competição do país. No entanto, o Cruzeiro ainda fará seu jogo na rodada e pode ultrapassar o time de Giovane Gávio. Com um ponto somado, os paulistas subiram para a nona colocação.

A próxima partida do Sesc RJ será contra o Maringá, no dia 12 de janeiro, na Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro. Já o Vôlei Ribeirão tem pela frente o Sesi-SP, neste mesmo dia, no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo.

Resumo da partida

Em casa, o Sesc RJ não teve problemas no primeiro set. Com ponto de Maurício Souza, o marcador apontava 11/6. Após um ace de Thiaguinho, a vantagem carioca aumentou: 13/7. 

A equipe carioca continuou com boa frente no decorrer da etapa: 21/17.  No entanto, no ace de Gabriel, a diferença caiu: 23/21. Por fim, o Sesc RJ venceu a parcial, com um ponto de bloqueio: 25 a 21.

No segundo set, o Vôlei Ribeirão voltou melhor. Após um bom saque de Brunão, Wallace foi bloqueado e a equipe paulista ficou à frente (10/9).  Os visitantes não deixavam a leve vantagem escapar: 14/12.

Mas, com um ponto de Tiago Barth, os cariocas empataram a etapa: 14/14. Na sequência, também com o central, o Sesc RJ fez o ponto que lhe deu vantagem no marcador (15/14). Assim, os times passaram a trocar pontos, e nenhum conseguia abrir frente.

Na parte final da parcial, com um erro de saque de Gabriel, o jogo ficou empatado novamente (23/23). Após uma falha de Maurício Souza, o Vôlei Ribeirão pontuou, fechou o set e empatou a partida: 26 a 24.

Na terceira etapa, o time paulista começou embalado e logo abriu 4/0. Nada mudou no decorrer da parcial. Após um erro de Tiago Brendle, o placar era 17/10.  Djalma sacou para fora e a diferença foi para dez pontos (23/13).

O Sesc RJ chegou a melhorar em quadra. Em uma bola de xeque de Djalma, o marcador apontava 24/18. No entanto, Everaldo errou o saque e o Vôlei Ribeirão virou o jogo: 25 a 18.

O começo do quarto set foi marcado pelo equilíbrio. No ataque de Japa, a equipe carioca estava na frente por um ponto: 11/10. A etapa foi bem disputada até o fim. Com um bloqueio de Petrus, estava tudo igual (19/19). O Sesc RJ, que foi para o tudo ou nada, acabou vencendo a parcial por 28 a 26 e levou a partida para o tie-break.

No set decisivo, o equilíbrio foi mantido. Os cariocas conseguiam pequenas vantagens (14/12), mas que não foram suficientes para vencer a partida sem sufoco. Apesar do tie-break poder ser finalizado com 15 pontos, no duelo entre Sesc RJ e Vôlei Ribeirão, nenhum dos times deixava o outro abrir dois pontos, que é a diferença mínima para fechar uma etapa. Com um bloqueio em cima de Brunão, os donos da casa deram fim ao jogo, com placar de qualquer outro set: 25 a 23.

VAVEL Logo