Para ter Mbappé e Fabinho, PSG tenta negociar ida de brasileiro para o Monaco

O renomado jornalista Gianluca Di Marzio trouxe atualizações a respeito da novela envolvendo Kylian Mbappé. O jovem francês está na mira do Paris Saint-Germain e vê sua situação ficar insustentável no Monaco, com relatos de desentendimento em treinamentos e até ficando de fora da lista de relacionados do último jogo.

De acordo com a publicação do italiano especializado em transferências, o PSG está disposto a fazer uma nova oferta pelo camisa 10 monegasco. Além disso, a equipe da capital também quer levar Fabinho, estando disposto a colocar Lucas Moura na negociação, como moeda de troca.

A transação é simples: Mbappé e Fabinho vão para a capital, enquanto que Lucas vai para o principado. Tal ação resultaria no PSG pagando cerca de 220 milhões de euros, já descontando a ida do meia-atacante brasileiro ex-São Paulo. A transferência poderia gerar um “efeito dominó” no mercado internacional faltando poucos dias para o seu encerramento.

Di Marzio cita o possível interesse do Monaco em ter Andrea Belotti, do Torino. Até agora não houve nenhum contato entre o clube italiano e o monegasco, mas o jogador está no radar do atual campeão da Ligue 1. A cláusula de rescisão é de 100 milhões de euros. O cenário também colocaria o Monaco como um dos possíveis gastadores nesta reta final, tendo dinheiro para contratar peças e resolver carências em certos setores.


Atualização 22/08: a emissora britânica Sky informa que o PSG tenta o empréstimo de Mbappé e mantém de pé a ideia de enviar Lucas ao Monaco. A inteção do Paris é pagar o valor da multa do francês apenas na próxima temporada, para fugir do fair play financeiro. A reportagem também indica que os dois clubes ainda seguem distantes de um acerto.


Diante deste cenário, percebemos que o Monaco terá que tomar uma decisão. O tal projeto citado pela diretoria e por Leonardo Jardim pode estar sendo alterado com as consequências desta janela. A equipe tem como planejamento trazer jovens jogadores, desenvolvê-los, conseguir resultados e, depois, naturalmente, lucrar com tais vendas.

A temporada passada foi surpreendente. Título da Ligue 1 e semifinal da Champions League. O detalhe é que Leonardo Jardim tinha os jogadores certos, em boa fase e compreendendo – e executando – o padrão de jogo criado pelo técnico. Entretanto, com as saídas de Bernardo, Bakayoko e Mendy, somadas as apostas contratadas, o saldo parece ser negativo.

Ainda mais com as prováveis idas de Fabinho, um dos pilares do meio-campo, e de Mbappé, a surpresa que renovou o gás no segundo turno. A diretoria terá que decidir se vai seguir buscando jovens promissores para lucrar ou entrará no jogo dos grandes e montará um elenco forte para, pelo menos, brigar até o fim com o PSG pelos títulos nacionais.

VAVEL Logo