Fifa cogita abolição ou reforma do processo de empréstimos de jogadores no futebol

Entidade acredita que a medida passou a ser 'explorada' por algumas equipes europeias

Fifa cogita abolição ou reforma do processo de empréstimos de jogadores no futebol
FIFA cogita abolição ou reforma do processo de empréstimos de jogadores no futebol (SEM IMAGEM)

Sempre disposta a se reunir constantemente visando mudanças positivas no âmbito do futebol, a Fifa parece não estar muito satisfeita em como os clubes tratam atualmente a possibilidade de empréstimo de seus atletas.

Segundo a revista France Football divulgou nesta terça-feira (10), a instituição máxima do esporte terá seu comitê executivo reunido em outubro para colocar, talvez, a medida em prática. Antes disso, a Fifa planeja se encontrar com a FIFPro (Federação Internacional dos Jogadores Profissionais de Futebol), a Associação Europeia de Clubes e o Fórum Mundial de Futebol.

Atletas renomados também serão consultados, como Cafú, Zvonimir Boban, Edwin van der Sar e Marco van Basten

"Os grandes clubes montam elencos enormes com a expectativa de emprestar jogadores para, depois, revendê-los por uma quantia bem maior", diz o texto da France Football. 

Alguns clubes citados na matéria do jornal, a Juventus, por exemplo, emprestou 41 jogadores nesta temporada; a Udinese, 27 atletas; os ingleses Chelsea e Manchester City seguem a lista com 22 e 18 jogadores negociados de forma temporária, respectivamente; por último, o recém milionário Monaco emprestou 11 jogadores nesta jornada.

A iniciativa de empréstimos foi criada justamente para dar rotatividade a atletas que não possuem muitas oportunidades em seus clubes atuais, dando chance justamente deles se destacarem por outros ares. O fator, sempre foi utilizado principalmente para jovens jogadores, ainda buscando experiência na profissão e em clubes de menor expressão.

+ Futebol Científico de Lobanovskyi: ciência, tecnologia e raciocínio lógico na filosofia de jogo

Mas com o tempo, a entidade tem levantado a ideia de que o empréstimo se tornou mais uma jogada visando o lucro dos clubes, tanto por conta de uma venda futura daquele atleta envolvido, quanto na própria negociação que resulta na conclusão do empréstimo, onde muitas vezes há uma compensação financeira.