Com eficiência e oportunismo, Atlético de Madrid vence Real Bétis em LaLiga
Foto: Divulgação/Atlético de Madrid

Na tarde deste sábado (24), o Atlético de Madrid venceu o Real Bétis por 2 a 0, com gols de Marcos Llorente e Luis Suárez, no Wanda Metropolitano, pela sétima rodada da LaLiga. Com o resultado, os Colchoneros subiram para a terceira colocação com onze pontos, enquanto os Bélticos desceram para a 10ª colocação com nove pontos.

Formação tática

O Atlético de Madrid, de Diego Simeone, entrou em campo no 4-4-2, com duas linhas defensivas de quatro e mais dois atacantes fixos na área. O centroavante Diego Costa desfalcou o time após sofrer uma lesão muscular na perna esquerda, e deu lugar para o camisa 10, Correa.

O Real Bétis, de Manuel Pellegrini, entrou em campo no 4-2-3-1, com uma linha defensiva de quatro, dois volantes, três meio-campistas e um centroavante fixo na área. A equipe de Pellegrini obteve a maior posse de bola, principalmente no primeiro tempo, quando empurrou o mandante para a sua própria área, obrigando a fechar os corredores para não ter ultrapassagem dos meias laterais.

Com posse de bola, mas sem eficiência

Os Bélticos armaram as principais jogadas pelo lado direito, com o camisa 8, Fekir, buscando espaços para liberar o corredor para o Montoya abrir em amplitude. No entanto, apesar de encontrar boas jogadas, a equipe de Manuel Pellegrini não teve eficiência e apenas obteve a maior posse de bola.

Foto: Divulgação/Real Bétis
Foto: Divulgação/Real Bétis

Algo que o Atlético de Madrid sequer buscou na primeira etapa, preenchendo somente espaços para criarem jogadas rápidas a fim de encontrar Suárez livre de marcação dentro da área adversária.

No segundo tempo, em 30 segundos de partida, o meia-campista Marcos Llorente recebe lançamento em profundidade pela esquerda, dribla um marcador no 1x1, fica cara a cara com o goleiro Bravo e encobre a bola para abrir o placar. Finalmente, a equipe mandante de Diego Simeone ofusca a defesa dos Bélticos e consegue com precisão determinar o resultado da partida, até aquele momento.

Sem posse de bola, mas com eficiência

A partir daí, o cenário muda e a equipe de Manuel Pellegrini não possui mais o controle da posse, e com o resultado não favorável, encontra dificuldades para criar mais jogadas perigosas. Aos 20 minutos, os Bélticos retomam a posse e administram, dessa vez, pelo lado esquerdo, mas sem a mesma precisão da primeira etapa.

As chances mais claras foram dos Colchoneros, principalmente pelo lado esquerdo, com João Félix, Hermoso e Luis Suárez caindo por esse corredor. A recuperação da bola partindo para o contra-ataque, foi uma forma que a equipe utilizou para encontrar espaços nos erros defensivos dos Bélticos.

Foto: Divulgação/Atlético de Madrid
Foto: Divulgação/Atlético de Madrid

Encolhido na própria área, o Atlético de Madrid não se sentiu mais pressionado e soube se comportar na segunda etapa jogando no erro do adversário, que aos 30 minutos perdeu o lateral-direito Montoya por expulsão.

Poucos segundos depois, após o escanteio mal sucedido pelo Real Bétis, o atacante Carrasco foi acionado por João Félix nas costas da defesa adversária, ficando cara a cara com o goleiro Bravo e finalizando em cima do arqueiro que defendeu à queima-roupa desviando novamente para mais um escanteio, dessa vez, para o Atlético de Madrid.

Aos 45 minutos do segundo tempo, Luis Suárez amplia o placar na jogada em velocidade, acionando Renan Lodi pela esquerda dentro da área adversária, com o lateral devolvendo a bola para o centroavante que finalizou em cheio para definir o resultado.

O gol de Marcos Llorente foi o estalo suficiente para a equipe dos Bélticos desanimar e não ter mais a mesma eficiência que tinha com a bola nos pés durante a primeira etapa. O goleiro Oblak praticamente não trabalhou na etapa final, visualizando apenas a equipe visitante tentando circular dentro da sua área, mas sem o avanço no último terço devido ao forte esquema defensivo dos Colchoneros.

VAVEL Logo