Atlético Nacional mantém destaques, mas muda ataque em busca da decisão continental

Reinaldo Rueda sofre com desfalques, e agora os Verdolagas tentam remontagem ofensiva para enfrentar o São Paulo

Atlético Nacional mantém destaques, mas muda ataque em busca da decisão continental
Getty Images

Dado como uma das melhores equipes da Copa Libertadores até sua pausa para a disputa da Copa América Centenário, o Club Atlético Nacional chega diferente para as semifinais da competição continental. Em pouco mais de um mês, período entre a classificação para as semifinais e o primeiro confronto, marcado para às 21h45 desta quarta-feira, com o São Paulo, a equipe perdeu alguns dos atletas e foi obrigada a fazer novas contratações: mesmo mantendo seus principais craques para o meio-campo, as opções do ataque foram reformuladas. 

O treinador da equipe, Reinaldo Rueda, afirmou ao jornal El Colombiano, quando se iniciaram os rumores sobre as saídas dos atletas que está cada vez mais difícil trabalhar com o futebol. Segundo o comandante, os jogadores já não pertencem aos clubes, e sim aos seus respectivos empresários, o que torna a relação muito mais tensa. E nessa lógica, Rueda deve agradecer, já que seu goleiro, Franco Armani, um dos principais nomes da equipe na competição, permenecerá no time colombiano. O arqueiro argentino era cobiçado pelo River Plate, mas a negociação não caminhou, evitando então mais uma baixa no elenco. O time manteve seus dois principais destaques, o meias Macnelly Torres e Alejandro Guerra e não será uma presa fácil. 

Mas, se conseguiu manter Armani, Torres e Guerra, o mesmo não se pode dizer de alguns outros grandes nomes da equipe, especialmente no setor ofensivo. O atacante Jonathan Copete foi o primeiro negociado, e, em seus primeiros jogos no Brasil, vai encantando os torcedores do Santos. No entanto, o avante já havia deixado o time titular do Atlético Nacional, e sua função passou a ser exercida por Marlos Moreno. Outro que deixou a equipe foi o também atacante Ibarbo. Com vínculo junto ao Cagliarli, o avante retornou para a Itália durante a pausa da competição continental, se tornando um grande desfalque para o Atlético. E há, também, a situação de Berrío: o jogador foi expulso na última partida contra o Rosário Central, e se tornou um problema.

Na tentativa de amenizar o efeito das perdas, a diretoria contratou mais de dez atletas, mas inscreveu apenas quatro na Copa Libertadores: Christin Dájome, Edwin Velasco, Elkin Blanco e Miguél Borja. Este último deverá ser o comandante do ataque Verdolaga para o duelo no Morumbi, sendo municiado por Guerra, Torres e Marlos Moreno. O atacante foi o artilheiro do último Campeonato Colombiano, com 19 gols, atuando pelo modesto Cortuluá.

Indiretamente, a torcida e Comissão Técnica do Atlético Nacional, sonhavam com a saída de Maicon, zagueiro São Paulino, que tinha contrato de empréstimo com o Porto até o último dia 30. Mas a diretoria tricolor trabalhou bem e conseguiu manter o zagueiro no Morumbi até o fim da temporada, para o azar dos Verdolagas. Outro caso parecido no tricolor é o de Calleri. O centroavante argentino teve seu vínculo automaticamente prorrogado com a classificação da equipe para as semifinais, e estará em campo contra o Nacional.

A primeira partida do confronto está marcada para as 21h45 da próxima quarta-feira (6), no Morumbi, em São Paulo. O jogo de volta acontecerá no dia 13 de julho, também às 21h45, no Atanásio Girardot, em Medelín.