Kaká relembra ida ao Orlando City e destaca construção do time: "Queria viver essa experiência"

Meia citou importância do projeto feito pelo Orlando City; foram três anos na Major League Soccer; mesmo sem conquistar títulos, Kaká elevou o patamar da liga

Kaká relembra ida ao Orlando City e destaca construção do time: "Queria viver essa experiência"
Foto: Icon Sportswire/Getty Images

Melhor jogador do mundo em 2007, Kaká anunciou oficialmente sua aposentadoria do futebol profissional. Aos 35 anos, o meia revelou a decisão em entrevista exclusiva a Galvão Bueno. Seu último clube foi o Orlando City, onde optou por não renovar o contrato. Após algumas semanas de especulações, o brasileiro confirmou seu futuro.

Após deixar o Milan em meados de 2014, Kaká assinou com o clube da Flórida, que faria sua estreia na Major League Soccer no ano seguinte. Disputando a USL Pro naquele momento, a equipe emprestou sua grande estrela ao São Paulo, atuando nos seis meses restantes do ano. O camisa 10 iniciou sua trajetória nos Estados Unidos marcando o primeiro gol da franquia na principal liga do país.

Foi uma experiência muito boa. Porque os clubes que eu passei, todos eles são de muita tradição e história. No Orlando City, começa um time do zero. Eu queria um pouco viver essa experiência. Como que é começar um time do zero? Como que é ir para um país onde o futebol não é o esporte mais popular? Como eu posso ajudar nesse desenvolvimento? Como experiência de vida foi muito bom. Todo o contexto no Orlando City, para mim, foi muito bom”, comentou o craque em entrevista ao narrador da TV Globo.

Em três temporadas pelo Orlando City, Kaká disputou 78 jogos e marcou 25 gols, somando temporadas da MLS e partidas da Lamar Hunt U.S. Open Cup, a Copa dos EUA. O meia participou do All-Star Game da liga por três temporadas consecutivas, mas não conseguiu levar seu time para os playoffs da Conferência Leste.

Kaká encerrou seu ciclo pelo Orlando trazendo mais resultados fora de campo em comparação aos feitos futebolísticos. A MLS deixou de ser uma liga alternativa e passou a ter status de liga em crescimento, entrando no mainstream do esporte. O mercado brasileiro passou a ser explorado pela liga e time, a popularidade – e a rejeição, é claro – cresceu com transmissões semanais na TV fechada.

O Orlando City ainda não conquistou nenhum título após deixar a USL e entrar na Major League Soccer, mas certamente cresceu exponencialmente, fazendo com que o saldo seja positivo mesmo diante deste cenário. Hoje, os Lions são conhecidos em todo o mundo, possuem seu próprio estádio e, agora, podem iniciar uma reestruturação em seu elenco. A expectativa para 2018 é positiva.

Em entrevista coletiva que marcou sua despedida do Orlando, Kaká deixou em aberto um futuro retorno, talvez como General Manager. Ele reiterou este desejo de seguir no mundo do futebol em entrevista reproduzida no Esporte Espetacular, neste domingo (17). Certamente, Ricardo Izecson dos Santos Leite será para sempre um Lion. Clube, liga e o esporte naquele país ganharam muito com seu período na Terra do Tio Sam.