Especiais La Liga 2016/17 Málaga: sonho de vaga europeia é outra vez possível

Após quatro temporadas de banimento das competições europeias, bokerones aumentam investimento para voltar ao cenário internacional

Especiais La Liga 2016/17 Málaga: sonho de vaga europeia é outra vez possível
Especiais La Liga 2016/17 Málaga: sonho de vaga europeia é outra vez possível

A marcante, dolorida e histórica campanha do Málaga na Uefa Champions League 2012-13 foi a última impressão internacional que o time andaluz deixou. Na época, eliminado pelo Borussia Dortmund com dois gols no fim - o último irregular -, evitou de forma dolorosa a ida dos bokerones à semifinal da competição. Em 12-13, o time conseguiu vaga na UEL via La Liga, mas sofreu uma punição de quatro temporadas da entidade máxima do futebol europeu por descumprimento do fair play financeiro, e foi proibido de disputar competições europeias.

O sheikh Abdullah Al Thani, antes ousado nas contratações, diminuiu o investimento em compras para focar nas categorias de base. O time, que havia contado com Santi Cazorla, Joaquín, Julio Baptista, Demichelis, Van Nilsterooy, Toulalan etc, passou a revelar jogadores como Juanmi, Samu García, Sergi Darder, Samu Castillejo, Juanpi, Pablo Fornals e Recio, e investir em jovens jogadores e/ou mercados alternativos.

Temporada 2015/16

Sem aspirações de ir à Europa, o Málaga perdeu importantes jogadores no início da última temporada. Criados na base do time, Samu e Castillejo foram para o Villarreal, Darder, para o Lyon, Juanmi, se transferiu para o Southampton. Aí, abriu-se espaço para Juanpi e Pablo Fornals, novas peças vindo das canteras e para o brasileiro Charles, contratado do Celta e artilheiro do time com 12 gols na temporada de La Liga.

Brasileiro Charles marcou 12 gols em 15-16 (Foto: Getty Images)
Brasileiro Charles marcou 12 gols em 15-16 (Foto: Getty Images)

O Málaga foi um time de poucos gols - 38 marcados em 38 rodadas -, mas se destacou pela defesa forte montada por Javi Gracia e pelas apresentações diante dos gigantes do país. Contra o Atlético de Madrid, uma vitória e uma derrota por 1 a 0. Diante do Real Madrid, empates em 0 a 0 e 1 a 1. Contra o campeão Barça, foram duas derrotas, mas ambas com placares apertados: 1 a 0 e 2 a 1.

No fim, o Málaga terminou na 8ª colocação, com 48 pontos, quatro atrás da zona de Europa League - que não poderia participar, mesmo se colocado entre os sete primeiros. O time teve o quarto pior ataque, com 38 gols marcados. Em compensação, teve a quarta melhor defesa: 34 gols sofridos pela defesa montada principalmente pelo brasileiro Weligton e o espanhol Albentosa.

Elenco

Agora, com novas possibilidades de jogar competições europeias, os investimentos aumentaram, mas com uma nova estratégia. Se antes o Málaga gastava com jogadores experientes e rodados no futebol mundial, as contratações agora são em jogadores prolíficos, apesar de pouca pompa. O mais caro deles foi o winger Keko, 24 anos, ex-Eibar, que custou € 4,25 mi e marcou três gols e distribuiu três assistências na última temporada.

Outro destaque é o uruguaio Michael Santos, 23 anos, ex-River Plate-URU, que marcou 32 gols nas duas últimas temporadas no Campeonato Uruguaio. Além deles, Sandro Ramírez, ex-Barcelona, Jony, ex-Sporting Gijón, os zagueiros Bakary Koné, ex-Lyon e Llorente, ex-Real Madrid, além do experiente volante Kuzmanovic, que já passou por Fiorentina e Inter e jogou a última temporada no Basel.

Sandro teve pouco espaço no Barça na última temporada e agora vai atrás de minutos (Foto: Getty Images)
Sandro teve pouco espaço no Barça na última temporada e agora vai atrás de minutos (Foto: Getty Images)

As perdas importantes do Málaga foram o atacante Duje Cop, que não teve seu empréstimo renovado e foi vendido pelo Cagliari ao Sporting Gijón após marcar sete gols em La Liga. O goleiro mexicano Ochoa, que nunca se firmou como titular, foi para o vizinho Granada. O winger Atsu e o zagueiro Albentosa também não renovaram empréstimos e voltaram à seus times de origem.

Time-base: Kameni; Rosales, Llorente, Weligton, Miguel Torres (Ricca); Camacho, Recio, Chory Castro, Keko (Jony); Charles, Sandro (Santos).

Técnico

Apesar dos jogadores que foram citados, a principal perda dos bokerones foi a do elogiado técnico Javi Gracia, que assumiu o Rubin Kazan, da Rússia. Para seu lugar, o Málaga contratou Juande Ramos, com passagem pelo clube entre 2003 e 2004 e que já treinou também Sevilla, Tottenham e Real Madrid. O último trabalho do técnico de 61 anos foi no Dnipro entre 2010 e 2014. Os principais títulos de Ramos são as Copa da UEFA de 2006 e 2007 e a Copa da Liga Inglesa de 2008.

Juande Ramos substitui Javi Gracia no Málaga (Foto: Getty Images)
Juande Ramos substitui Javi Gracia no Málaga (Foto: Getty Images)

Expectativas

Depois de duas temporadas empolgantes, quando foi 4º e 6º colocado e a frustração de ser cortado de ligas europeias, o Málaga terminou La Liga em 11º, 9º e 8º lugar. Agora, com a volta dos investimentos, o time tenta reaparecer entre os times mais importantes do país, apesar de que não será fácil terminar entre os sete primeiros para retornar às competições da UEFA em 17-18.