Sem Balotelli, Nice derrota Saint-Étienne fora de casa e retoma liderança da Ligue 1

Mesmo sem Balotelli, a equipe alvinegra contou um gol de Eysseric para sair com a vitória

Sem Balotelli, Nice derrota Saint-Étienne fora de casa e retoma liderança da Ligue 1
Foto: Divulgação/Nice
Saint-Étienne
0 1
Nice
Saint-Étienne: Ruffier; Perrin, Lacroix, Catherine; Selnaes (Dabo),M'Bengue (Monnet-Paquet), Malcuit, Saivet, Veretout; Roux (Nordin), Soderlund. Técnico: Christophe Galtier
Nice: Cardinale; Ricardo Pereira, Dante, Sarr, Dalbert; Seri (Koziello), Cyprien, Walter; Eysseric (Bodmer), Belhanda, Plea (Donis). Técnico: Lucien Favre
Placar: 0-1, min.63, Eysseric
ÁRBITRO: Frank Schneider (FRA). Amarelos: Lacroix, Soderlund, Belhanda
INCIDENCIAS: Jogo realizado no estádio Geoffroy-Guichard, em Saint-Étienne, válido pela 13ª rodada da Ligue 1 16/17

No estádio Geoffroy-Guichard, neste domingo (20), em partida válida pela 13ª rodada do Campeonato Francês, o Nice derrotou fora de casa o Saint-Étienne, por 1 a 0, voltando à liderança da Ligue 1. Os Aiglons asseguraram a vitória com um gol de Valentin Eysseric, aos 63 minutos.

Com este resultado positivo, o Nice chegou aos 32 pontos e reassumiu a ponta da competição, estando a três pontos de distância do Monaco, atual segundo colocado e o PSG, que também tem 29 pontos. Já o Saint-Étienne perdeu a invencibilidade de quatro jogos sem derrota na Ligue 1, além de uma ótima oportunidade de colar no G-4. Os Verts caíram para o nono lugar, com 18 pontos.

No próximo domingo (27), o Saint-Étienne irá visitar o Angers, pela 14ª rodada da Ligue 1, porém, na quinta-feira (24), os Verts terão que entrar em campo pela Uefa Europa League, onde enfrentarão o Mainz, em casa. Pela mesma competição e no mesmo dia, o Nice jogará contra o Schalke 04, fora de casa. Pelo campeonato francês, a equipe alvinegra jogará também no próximo domingo contra o Bastia, dentro de casa.

Primeiro tempo muito estudado e com poucas chances de gols para os dois lados

Nice e Saint-Étienne fizeram um primeiro tempo muito equilibrado no Geoffroy-Guichard, na região central da França. Buscando pela vitória e manter a série de positiva de resultados, os donos da casa foram pra cima e tiveram a primeira chance de gol logo aos sete minutos, com Nolan Roux, chutando para fora da meta defendida por Yoan Cardinale. O Nice também tentou, mas até aos 15 minutos, nenhum goleiro havia trabalhado.

Aos 28 minutos, Stephane Ruffier trabalhou pela primeira vez, espalmando a bola para escanteio que tinha a direção do gol, após um chute do marfiense Michael Seri. O Saint-Étienne tentou responder com alguns arremates de longa distância, mas a mira dos atacantes Les Verts não estava calibrada. O tempo corria e a impressão da primeira etapa desta partida foi que ambas equipes se estudaram muito, com raras chances claras de gol.

Alexander Soderlund e Nolan Roux foram muito bem parados pelos zagueiros Dante e Malang Sarr, os meias de criação do Saint-Étienne também não estavam em um bom jogo, criando poucas jogadas para servir os dois atacantes. Já o Nice, sem Mario Balotelli, o substituto do italiano, Alassane Plea, não conseguia receber uma boa bola nas criações de jogadas dos pontas Valentin Eysseric e Younes Belhanda, deixando a partida dos dois lados trancado no meio campo.

Nice consegue furar a defesa do Saint-Étienne e garante pontos

O Nice foi muito melhor no primeiro tempo, e no segundo tempo não foi diferente. Ambas equipes se soltaram mais na segunda etapa, passaram a arriscar mais e buscarem o gol. Os Verts tentaram com Henri Saivet de cabeça e Jordan Veretout arrematando de longe, mas nenhuma das oportunidades balançaram a rede do goleiro Yoan Cardinale.

Aos 63 minutos, o Nice quebrou a boa fase do Saint-Étienne na partida abrindo o placar. Com uma investida pela ponta esquerda aparentemente sem perigo algum, a defesa do Sainté bateu cabeça e após afastarem mal a bola, ela sobrou limpa nos pés de Valentin Eysseric, que de primeira mandou uma bomba do meio da lua da área no ângulo de Stephane Ruffier.

Em seguida, o Nice teve três oportunidades claras de ampliar, com Alassane Plea, mas todas foram desperdiçadas. A primeira foi aos 64, obrigando Ruffier a fazer um milagre, a segunda passou raspando da trave e a terceira, de cabeça, passou perto do gol.

Ambos treinadores modificaram suas equipes na parte final. Enquanto Christophe Galtier colocou um time mais para frente, com três atacantes, o suíço Lucien Favre postou o time defensivamente para segurar o resultado, e conseguiu com muito sucesso.