Monaco goleia Guimgamp, mantém tabu e segue na caça ao PSG

Foi a nona vitória em doze confrontos entre as duas equipes, na história da Ligue 1

Monaco goleia Guimgamp, mantém tabu e segue na caça ao PSG
Foto: Reprodução/AS Monaco
Monaco
6 0
Guigamp
Monaco: Subasic (Benaglio min.46); Touré, Raggi, Glik, Jorge; Fabinho, Tielemans, Traoré, Baldé (Boscilia min.80), Lopes (Ghezzal min.77); Carrillo. Técnico: Leonardo Jardim
Guigamp: Johnson; Martins Pereira, Kerbrat, Eboa Eboa, Tabanou (Rebocho min.46); Deaux, Blas, Diallo (Briand min.46); Camara, Coco (Phiri min.79), Thuram. Técnico: Antoine Kombouaré
Placar: 1-0 Carrillo min.10, 2-0 Traoré min.27, 3-0 Baldé min.36, 4-0 Fabinho min.46, 5-0 Traoré min.76, 6-0 Carrillo min.78
ÁRBITRO: Mikal Lesage (FRA). Cartões Amarelos: Deaux (min.34) e Traoré (min.70)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 12ª rodada da Ligue 1, temporada 2017/18, disputada no Estádio Louis II, em Monaco

Com goleada, o Monaco nem sentiu a ausência de Falcão García e venceu com facilidade o Guingamp em partida realizada nesse sábado (4) pela 12ª rodada da Ligue 1. Com direito a dois gols de Carrillo, que ainda não havia marcado, a equipe monegasca chegou aos 28 pontos e segue como vice líder da competição, a quatro pontos do PSG, que venceu também nesse sábado o Angers por 5 a 0. O próximo compromisso do Monaco pela Ligue 1 é diante do Amiens, como visitante, no dia 17 de novembro, enquanto o Guingamp receberá o Angers, no dia 18 de novembro.

A partida manteve um tabu entre as duas equipes. O Monaco jamais foi derrotado em doze confrontos na Ligue 1, sendo nove vitórias dos Rouge et Blancs e três empates, com 26 gols marcados e sete sofridos pela equipe do principado. 

Monaco "on fire" liquida o Guingamp ainda no primeiro tempo

Sob os olhares de Dmitri Rybolovlev, proprietário do clube, o Monaco começou o jogo agressivo e pressionando os visitantes, postura que não vinha sendo adotada nos últimos jogos do time de Leonardo Jardim. Abusando as jogadas pelas laterais, sobretudo pelo lado esquerdo, os donos da casa conseguiam chegar com facilidade a defesa dos visitantes, mas faltava um toque final para que o primeiro gol saísse. 

O primeiro gol era questão de tempo e durou exatamente 9 minutos para que o gol defendido por Johnsson fosse vazado pela primeira vez. Touré, em velocidade, cruzou para o argentino Guido Carrillo, que substituiu Falcão García e que de cabeça, fez seu primeiro gol na Ligue 1, abrindo o placar para a equipe monegasca. Aos 27, Traoré ampliou após nova jogada de Touré. O Guingamp estava perdido em campo e Kombouaré se via em uma encruzilhada: atacar e buscar pelo menos um gol para equilibrar o jogo ou se defender para sofrer uma goleada? 

Nove minutos depois, o Monaco ampliou com Keita Baldé. O senegalês recebeu passe de Rony Lopes, fintou o goleiro sueco e tocou para o fundo das redes, marcando seu terceiro gol na Ligue 1 nessa temporada. O Guingamp, que não conseguiua clean sheets jogando fora de casa pela Ligue 1 Ainda havia tempo para mais nos primeiros 45 minutos, com Fabinho, cobrando pênalti cometido por Eboa Eboa em Carrillo, fechando o 4 a 0 no primeiro tempo. 

Ritmo reduzido e consolidação da goleada

O segundo tempo começou morno e com o Guingamp disposto a não sofrer mais gols, enquanto que o Monaco parecia contente com o resultado positivo. Uma das surpresas do Monaco na segunda etapa foi a entrada de Diego Benaglio na vaga de Subasic, que provavelmente deve ter sentido alguma lesão. O Guingamp mudou o esquema tático, do 4-3-3 para um 4-4-2 bem menos ofensivo. O Monaco manteve sua formação dos minutos iniciais, se focando nas jogadas pelas laterais de campo que agradavam o treinador Leonardo Jardim.

Aos 31 minutos, o Monaco ampliou com Traoré, novamente servido por Touré. O gol que fechou a goleada foi marcado novamente por Carrillo, servido por Ghezzal que entrou na vaga de Rony Lopes um minuto antes de dar a assistência para o segundo gol do argentino na partida.

O Monaco passou a cadenciar o placar diante de um arrasado Guingamp, que não repete o desempenho de temporadas anteriores e cai diante de um Monaco que chega com boas perspectivas para lutar pelo título com o PSG, mesmo que tenha que abdicar de vez da Champions League e dê foco secundário caso consiga uma vaga como terceiro colocado no grupo, a fase de dezesseis avos de final da Uefa Europa League.