Napoli vence Benfica e dispara na liderança do Grupo B da Champions

Com direito a dois gols de Mertens e falha de Júlio César, Italianos superam portugueses no San Paolo

Napoli vence Benfica e dispara na liderança do Grupo B da Champions
Foto: Divulgação/Napoli
Napoli
4 2
Benfica
Napoli: Reina; Hysaj, Albiol (Maksimovic), Koulibaly, Ghoulam; Allan, Jorginho, Hamsík; Callejón (Insigne), Mertens (Giaccherini), Milik.
Benfica: Julio César; Almeida (Gomes), Lindelof, Lisandro, Grimaldo; Semedo, Fejsa, A. Horta (Salvio), Pizzi; Mitroglou, Carrillo (Guedes).
Placar: 1-0, min. 20, Hamsik. 2-0, min. 51, Mertens. 3-0, min. 53, Milik. 4-0, min. 57, Mertens. 4-1, min. 70, Gonçalo Guedes. 4-2, min. 86, Salvio.
ÁRBITRO: Felix Brych (ALE). Cartões amarelos: Lisandro López (B), Julio César (B), Fejsa (B), Carrillo (B), Reina (N).
INCIDENCIAS: Partida válida pela segunda rodada do Grupo B da Uefa Champions League, realizada no estádio San Paolo, em Nápoles, Itália.

Nesta quarta-feira (28), em noite de casa cheia no San Paolo, o Napoli venceu o Benfica, por 4 a 2, em jogo válido pela segunda rodada da fase de grupos da Uefa Champions League. Os italianos chegaram à vitória com gols de Hamsík, Mertens, duas vezes, e Milik. Os benfiquistas chegaram a reagir com Gonçalo Guedes e Salvio, mas não impediram o triunfo napolitano.

Com o resultado, o Napoli segue na liderança do Grupo B, com seis pontos, quatro a mais que o segundo colocado do grupo, o Besiktas, com dois.

Na próxima rodada da Uefa Champions League, o líder e o vice-líder da chave se enfrentarão no San Paolo, no dia 19 de outubro, enquanto o Benfica irá a Kiev enfrentar o Dínamo.

Nos campeonatos locais, ambos voltam a campo no fim de semana: o Napoli joga fora de casa, no domingo (2), diante da Atalanta, pela Serie A. Já o Benfica joga também no domingo, em casa, diante do Feirense, pelo Campeonato Português.

Hamsík marca em primeiro tempo equilibrado

Nos primeiros minutos, o Napoli criou chances, como quando Milik foi lançado dentro da área no primeiro minuto para fácil defesa de Júlio César. Mas quem criou mais perigo foi o Benfica, que no espaço dos 10 minutos iniciais, criou duas grandes ocasiões para Mitroglou, que no primeiro lance, aos cinco, quase aproveitou rebote de Reina após cruzamento da direita, mas Hysaj tirou, e aos dez minutos, recebeu dentro da área e chutou de canhota, mas Reina, bem colocado, impedira o gol. 

Aos dez minutos, o técnico napolitano Maurizio Sarri perdeu Albiol, lesionado por sentir lesão na coxa, e fez estrear Maksimovic. O Napoli foi criando chances com base no toque de bola, mas foi pelo alto, aos 20 minutos, que os napolitanos saíram na frente: Ghoulam bateu escanteio da esquerda, e Hamsík, bem colocado na primeira trave, testou para marcar o primeiro dos italianos na partida. O gol esfriou o primeiro tempo, esfriou um Benfica que vinha melhor no jogo, e neutralizou um pouco mais a posse de bola dos dois lados, que teve placar magro ao fim da primeira etapa.

Show napolitano nos primeiros minutos; reação tardia benfiquista

Nos primeiros minutos, o Napoli partiu logo ao ataque para tentar ampliar a vantagem: e logo aos seis minutos, após Mertens sofrer falta da intermediária, o próprio belga cobrou com categoria e marcou para ampliar o placar a favor dos napolitanos.

Dois minutos após o gol, mal a torcida napolitana presente no estádio terminava de comemorar o gol e após rebatida da defesa em chute de Allan, Callejón foi derrubado por Júlio César dentro da área, pênalti que o alemão Felix Brych assinalou e na cobrança, Milik não deu chances para Júlio César e marcou o terceiro.

Quatro minutos depois, o quarto gol viria quando após o cruzamento de Ghoulam na esquerda, Júlio César saiu mal e perdeu no alto pra Milik, em meio as divididas, a bola sobrou pra Mertens marcar seu segundo gol na partida, empurrando a bola para as redes.

O volume de jogo fez o Napoli relaxar em alguns momentos, tocar mais a bola, e aos 25 minutos, Jorginho acertou um bom lançamento, mas para o atacante adversário Gonçalo Guedes, que havia entrado já na segunda etapa, ele aproveitou o erro, avançou e tocou na saída do goleiro napolitano para diminuir o marcador.

Nos minutos finais, outra alteração feita pelo técnico dos encarnados Rui Vitória surtiu efeito: aos 41 minutos, André Almeida lançou Salvio, outro que havia entrado na segunda etapa, ele ganhou de Koulibaly e tocou na saída de Reina para diminuir o marcador. 

A partir daí, não houveram novos lances de perigo, e a torcida napolitana pode festejar a segunda vitória na Uefa Champions League, vitória importante para a possível classificação no Grupo B.