Com primeiro tempo apático, Napoli perde para Shakhtar em estreia na Champions League

Pouco criativa no ataque, equipe napolitana ensaia uma reação na reta final mas para em boa atuação da defesa ucraniana

Com primeiro tempo apático, Napoli perde para Shakhtar em estreia na Champions League
(Foto: Sergei Supinsky/AFP/Getty Images)
Shakhtar Donetsk
2 1
Napoli
Shakhtar Donetsk: Pyatov; Srna, Ordets (Kocholava), Rakitskiy, Ismaily; Stepanenko, Fred; Marlos (Kovalenko), Bernard, Taison; Ferreyra (Dentinho)
Napoli: Reina; Hysaj, Albiol, Koulibaly, Ghoulam; Zielinski (Allan), Diawara, Hamsik (Mertens); Callejon, Milik e Insigne.
Placar: 1-0, min. 16, Taison. 2-0, min. 58, Ferreyra. 2-1, min. 72, Milik.
ÁRBITRO: Felix Zwayer (ALE)
INCIDENCIAS: Jogo válido pela primeira rodada da fase de grupos da Uefa Champions League

Após as estreias de Juventus e Roma na última terça, foi a vez do Napoli começar a sua caminhada na Uefa Champions League 2017/18. Nesta quarta-feira (13), a equipe italiana enfrentou o Shakhtar Donetsk, no estádio Metalist, na Ucrânia, em duelo válido pelo Grupo F da competição europeia.

Tal qual a rival de Turim, derrotada ante ao Barcelona, os vice-campeões da Serie A em 2016/17 também estrearam na Champions com revés. Em um primeiro tempo apagado e com Maurizio Sarri demorando para fazer alterações, os Partenopei não conseguiram repetir as boas atuações do campeonato italiano e foram pelos ucranianos por 2 a 1, gols de Taison e Facundo Ferreyra. O polonês Milik descontou para os visitantes.

O Napoli volta a campo pela competição somente no dia 26 de setembro, quando enfrentam o Feyenoord no estádio San Paolo, na Itália. Já o Shakhtar vai à Inglaterra e desafia o Manchester City, também no dia 26.

Primeiro tempo com algoz brasileiro

Apontado como favorito, o Napoli teve um primeiro tempo lento, abusando de jogadas aéreas à procura do atacante polonês Milik. Por opção de Maurizio Sarri, Dries Mertens começou a partida no banco de reservas, testemunhando seus companheiros desperdiçarem chances e errarem passes em demasia.

Um dos erros de passe, inclusive, resultou no primeiro gol dos donos da casa. Após jogada pelo lado direito do campo, o argentino Ferreyra tocou para o brasileiro Taison dar o convite de boas vindas aos italianos, aos 16 minutos de partida: 1 a 0.

(Foto: Sergei Supinsky/AFP/Getty Images)

Após o gol, o Napoli tentou crescer na partida, exigindo boas intervenções do goleiro Pyatov. Todavia, os italianos mostravam pouca variação, abusando do recurso aéreo, que pouco surtiu efeito na bem postada defesa ucraniana. Os donos da casa, por sua vez, passaram a administrar a vantagem, buscando sempre os contra-ataques e a velocidade de Taison.

Falha de Pepe Reina e gol tardio

Na volta do intervalo, Maurizio Sarri manteve a mesma formação do primeiro tempo. Lorenzo Insigne insistia em jogadas individuais e, com chutes de fora da área, seguia exigindo boas defesas do goleiro Pyatov. Nitidamente, a equipe italiana se ressentia da ausência de Mertens, o principal goleador napolitano em 2016/17.

Jogando somente no contra-ataque, da mesma forma como terminou o primeiro tempo, o Shakhtar encontrou o seu segundo gol após descuido da defesa napolitana, mais exposta durante a etapa final. Depois de uma troca de passes rápida, Facundo Ferreyra aproveitou saída errada de Pepe Reina e escorou cruzamento, balançando as redes napolitanas: 2 a 0.

Vendo a deficiência na criação de jogas de seu time, Sarri promoveu mudanças, colocando Mertens no lugar de Hamsik, pouco participativo na partida. A partir da mudança, o Napoli aumentou o ritmo, chegando ao gol aos 72', em cobrança de pênalti de Milik. O tento animou a equipe visitante, que começou a pressionar, exigindo cada vez mais o goleiro Pyatov. Apesar dos esforços napolitanos na reta final, os donos da casa asseguraram a vitória, para a festa da torcida presente no Estádio Metalist.