Julgado por ‘chute no vácuo’, Rogério Ceni é advertido e não recebe punição
Rogério Ceni no momento do lance com Valdivia e Alan Kardec (Foto: Reprodução/TV Globo)

O goleiro e capitão do São Paulo, Rogério Ceni, foi julgado nesta segunda-feira (17) pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) da Federação Paulista de Futebol (FPF), pela tentativa de chutar Valdivia no clássico do Campeonato Paulista frente ao Palmeiras no último dia 2 de fevereiro, que se encerrou em 2 a 0 para os alviverdes, no momento em que o meia comemorava um gol. Livre de punição, o arqueiro foi apenas advertido.

Enquadrado no artigo 250 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) por ato desleal ou hostil, o camisa 1 do Tricolor, que esticou o pé para tentar acertar o Mago Valdivia, autor do primeiro gol palmeirense no clássico, poderia ter sido suspenso por até três jogos, no entanto, a punição não ocorreu.

No lance do “chute no vácuo”, Rogério ainda acertou um empurrão em Alan Kardec, que passava à sua frente para também comemorar o tento. Valdivia, acusado de deboche pelos são-paulinos, não foi denunciado.

Ambos já protagonizaram problema parecido em 2008, na semifinal do Paulistão daquele ano. Durante um apagão no Estádio Palestra Itália, o arqueiro se desentendeu com o meia e acabou dando um tapa no rosto de Valdívia.

VAVEL Logo