Grêmio conquistou a Copa do Brasil no estádio Olímpico em 1989 e 1994
Grêmio campeão da Copa em 1994 (Foto: Arquivo / Grêmio FBPA)

Grêmio conquistou a Copa do Brasil no estádio Olímpico em 1989 e 1994

Relembre jogo a jogo as campanhas das duas conquistas tricolores da Copa do Brasil decididas em Porto Alegre

carlos-silva
Carlos Silva

O Grêmio, através de suas conquistas, sempre se caracterizou por ser um time “copeiro”, característica dada pela torcida pela postura diferente em que os jogadores do clube tomavam em competições de mata-mata. Logo, uma das competições em que o tricolor mais conquistou em sua história, a Copa do Brasil, trouxe duas das quatro conquistas decididas em Porto Alegre.

A primeira conquista da Copa do Brasil em seus domínios ocorreu em 1989, no primeiro ano da competição. Naquele ano, os gaúchos tiveram uma campanha estrondosa, superando grandiosos e talentosos times da época, tais como Flamengo e Sport.

A campanha tricolor naquele ano se iniciou em Vitória, no Espírito Santo. Os gaúchos foram fazer frente ao River Plate, quando o Grêmio consagrou-se vencedor através do gol do lateral-direito Alfinete. Já na partida de volta, em Porto Alegre, os gremistas confirmaram a classificação com uma goleada estrondosa pelo placar de 6 a 0, com gols de Alfinete, além de Adilson Heleno, Cuca, Kita e Paulo Egídio (duas vezes).

Na fase seguinte, oitavas de final da competição, o Grêmio enfrentou o Mixto (MT). Na primeira partida dos dois duelos, os gaúchos mais uma vez aplicaram uma sonora goleada: 5 a 0 nos matogrossenses, fora de casa. Na partida de volta, o time de Mato Grosso não conseguiu viajar até Porto Alegre, configurando assim um W.O. que consagraria o Grêmio na fase a seguir da Copa.

Nas quartas de final, o confronto ocorreu entre Grêmio e Bahia. Mais uma vez, jogando a primeira partida fora de seus domínios, o tricolor gaúcho conquistou uma vitória pelo placar de 2 a 0, levando assim, além da decisão para seu mando de campo, uma boa vantagem na bagagem. Contrário às goleadas aplicadas nas partidas anteriores, o imortal tricolor foi econômico no placar e apenas empatou no estádio Olímpico, placar suficiente para avançar na competição.

Nas semifinais daquele ano, o Grêmio teve de fato um dos maiores desafios que qualquer time do Brasil poderia ter: enfrentar o Flamengo de Telê Santana e Zico, ambos assim, vendo o que de fato seria capaz o copeiro tricolor. Mesmo com um time recheado de estrelas reconhecidas nacional e internacionalmente, o Fla não foi capaz de sair do empate com o Grêmio em pleno Maracanã lotado. Com o empate, o Grêmio levou para o estádio Olímpico mais uma vez a decisão. Esta que confirmou a classificação tricolor pelo placar histórico de 6 a 1, com gols de Almir, Assis, dois de Cuca e dois de Paulo Egídio.

Finalmente, a primeira final da Copa do Brasil na história apresentava-se ao Grêmio. O título da competição seria disputado contra o Sport, em Recife. Na primeira partida o Grêmio apenas empatou com os pernambucanos, na Ilha do Retiro. Um jogo muito movimentado foi visto, chances de gol entre ambas as equipes eram presenciados.

O placar era favorável ao Sport, que com o empate se consagra-va campeão da Copa naquele ano. Sabedor disso, o Grêmio teve um primeiro tempo de extrema intensidade, beirando a perfeição. Encurralando o adversário, o tricolor se viu abrir o marcador, com Assis. Naquele momento  o título já permanecia, entretando , em lance de total infelicidade do goleiro Mazaropi, que falhou no determinado lance, oportunizando o empate que consagrava o Sport campeão.

No entanto, a tradicional alma castelhana caracterizou a postura do time na segunda etapa. Apesar da tensão que era presenciada, a gana da conquista falava mais alto. De tal forma, aos 35 minutos do segundo tempo, em uma falha da zaga pernambucana que não rebateu a bola lançada para a área, a bola sobrou nos pés de Cuca, que sem piedade fuzilou o gol adversário. Com o resultado, o Grêmio se consagrava o primeiro campeão da história da competição.

Bicampeonato: o caminho para a glória

No bicampeonato tricolor, conquistado em 1994, o Grêmio tinha como técnico o naquela éoca emergente Luis Felipe Scolari. No primeiro confronto do time naquela competição, o Grêmio inniciou  confrontando o Criciúma, partida finalizada com o placar de 2 a 2, gols de Carlinhos e Gilson. A partida de volta ocorreu no estádio Santa Rosa, em Novo Hamburgo, prosseguindo a fase seguinte.

Nas oitavas, o tricolor tinha pela frente o grande time corintiano, cujo tinha no elenco Marcelinho Carioca e Casagrande. Entretanto, apesar da força do adversário, a postura gaúcha foi determinante pra fazer uma vantagem. Com gols de Gilson e Fabinho, fechando o placar pelo placar de 2 a 0 no Olímpico. Na partida de volta, ambos os times não tiveram tamanha superioridade para conquistar a vitória, assim, o tricolor empatou pelo placar de 2 a 2 com os corintianos, gols de Ninho e Fabinho.

Na fase seguinte, o Bahia seria mais uma vez o adversário do imortal. Mais uma vez, tendo a primeira partida disputada em Porto Alegre, 1 a 0, gol do zagueiro Agnaldo. Nos últimos 45 minutos finais daqueles dois duelos, mais uma vez, consagrou-se os gaúchos com gol de Nildo e avanço na competição;

O rival desta vez era o Vasco da Gama, do atacante Jardel, que no ano seguinte desembarcaria no Olímpico e se tornaria um dos ídolos da história recente do clube. Mas 1994 ainda não era o ano de Jardel e sim o de Nildo. O primeiro jogo, disputado no Maracanã, a partida terminou em 0 a 0. Na volta, no Olímpico, dois gols do camisa 9 tricolor garantiram a vitória por 2 a 1 e colocaram o Grêmio na decisão da Copa do Brasil pela quarta vez.

No primeiro jogo, o estádio Castelão pulsava.  Os torcedores empurraram o Ceará rumo à conquista da competição, assim, não possibilitando ataques gaúchos nos primeiros 45 minutos da partida. No segundo tempo, as duas equipes evoluíram, o Grêmio adotou uma postura mais segura em comparação ao primeiro tempo, no entanto, tal  postura também imposssibilitou maiores chances gaúchas na partida.

Na partida decisiva, o Grêmio foi todo pressão, se lançou ao ataque visando a vantagem no placar. Fato é que não demorou muito para se colocar junto a mais uma conquista do clube, pois, aos 3 minutos de jogo, o predestinado Nilton marcou de cabeça após cobrança de escanteio, através da tradicional bola parada. Dali em diante os cearenses se lançaram ao ataque, porém, em noite sublime, Danrlei, segurou em suas mãos todas as oportunidades tidas pelo time adversário, consagrando assim o Grêmio bicampeão da Copa do Brasil em 1994.

VAVEL Logo

Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense Notícias

há 2 dias
há 3 dias
há 5 dias
há 8 dias
há 11 dias
há 14 dias
há 16 dias
há 17 dias
há 17 dias
há 18 dias
há 18 dias