Mano vê desgaste do Cruzeiro na etapa complementar, mas valoriza garra da equipe após vitória
Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

Durante a sua avaliação pós vitória sobre o América-MG por 1 a 0, em clássico disputado neste domingo (12), no Independência, o comandante celeste, Mano Menezes, elogiou a superação de seus atletas na quarta vitória seguida da pequena maratona que se iniciou em 2 de março, quando a equipe enfrentou a Caldense.

Desde então, a raposa triunfou sobre o América-TO, em Teófilo Otoni, Murici, no interior do Alagoas, pela Copa do Brasil, e neste domingo, no clássico contra o Coelho. Mano reconheceu que a equipe sentiu o desgaste na etapa complementar, mas teve vontade e inteligência suficientes para garantir a vitória.

“Vitória importantíssima. Mas, quando a gente joga em oito dias, quatro jogos, incluindo uma viagem para Alagoas na circunstância em que o jogo foi jogado, a gente logicamente não tirou o pé no segundo tempo: a gente não tinha pé. Nosso adversário jogou dois jogos neste período e teve uma semana útil para treinar. Era lógico que tínhamos que traçar uma estratégia de começar mais forte e tentar abrir uma vantagem inicial em cima da nossa condição. Foi o que a gente fez. Acho que poderíamos ter feito mais que 1 a 0, pela qualidade, pela circunstância e pela criação que a equipe teve”, analisou.

O resultado positivo no clássico foi o 12º da equipe em 13 jogos na temporada, número bastante elogiado por Mano Menezes, que comemorou o fato de poder corrigir eventuais erros da equipe mesmo com os triunfos: “O Cruzeiro tem cerca de 95% de aproveitamento com este jogo na temporada. Estamos entre as equipes que tem o saldo melhor em relação a ataque e defesa. Já somos uma equipe mais equilibrada, com a melhor defesa com quatro gols sofridos no Campeonato Mineiro. A gente vai melhorando e as vitórias trazem tranquilidade para ajustarmos de um jeito melhor”, celebrou.

O treinador celeste comentou sobre a polêmica em torno do pênalti sofrido e cobrado por Rafael Sobis. Para Mano, o lance foi corretamente marcado. O problema, na opinião dele e do técnico do América-MG, Enderson Moreira, foi o posicionamento do árbitro Cleisson Veloso Pereira:"O pênalti foi claro. A única reclamação foi o árbitro estar a cinco metros do lance o árbitro não marcou, foi marcado pelo auxiliar. Isso é um absurdo", finalizou.

VAVEL Logo