Para evitar abalo, Grêmio encara ascendente Atlético-PR na ida das quartas da Copa do Brasil
Foto: Lucas Uebel | Grêmio

Dia de Grêmio, noite de Copa. A competição na qual o Grêmio defende a conquista em 2017 está de volta à Arena. Nesta quarta-feira (28), às 19h30, o Tricolor enfrenta o Atlético Paranaense pela ida da fase de quartas de final. Na fase anterior, o Grêmio eliminou o Fluminense, enquanto o Atlético passou pelo Santa Cruz do Recife.

O técnico Renato Portaluppi segue com alguns desfalques lesionados e tem à disposição o mesmo time da primeira derrota com titulares no Campeonato Brasileiro, quando o Tricolor enfrentou o Corinthians e saiu derrotado por 1 a 0 na Arena. Também no domingo, o Furacão do técnico Eduardo Baptista virou uma partida para transformar em goleada: 4 a 1 sobre o Vitória, pela 10ª rodada do Brasileirão.

No histórico de enfrentamentos pela Copa do Brasil, o Grêmio leva ligeira vantagem. As equipes se cruzaram em três disputas. Em 1996, o Grêmio passou pelo Furacão com direito a um placar de 3 a 0 em Porto Alegre. Somente em 2013, já na nova Arena, o Atlético levou a melhor ao manter empate por 0 a 0, após ter vencido a ida por placar mínimo. Em 2016, nos pênaltis, Marcelo Grohe brilhou e o Grêmio avançou para começar sua caminhada pelo penta.

Mudar a chave no discurso e a necessidade na prática

O Grêmio necessitando trocar a chave. A situação era favorável nas três principais competições em disputa: oitavas na Libertadores, vice-liderança no Brasileiro e quartas da Copa do Brasil. Mas a derrota por 1 a 0 para o Corinthians no último final de semana fez com que o Tricolor conhecesse sua primeira perda na Arena no ano, encerrasse uma sequência invicto com os titulares e, ao mesmo tempo, se distanciasse do líder Timão em quatro pontos. Hora de focar na Copa do Brasil.

No torneio de mata-mata, são menos jogos, como se bem sabe. Um caminho mais curto, mas não menos complicado. O adversário pela frente vem embalado e se encontrando no entrosamento e nos treinos do novo técnico, Eduardo Baptista, quando Paulo Autuori deixou a beira do gramado para ser diretor em Curitiba.

Para o time do Grêmio, é preciso colocar em prática o discurso de se tratar de outra competição. Em relação à torcida que vai comparecer na Arena, igualmente. De nada adianta cobrar as broncas do domingo de forma demasiada. Os erros devem servir de lição e a paciência prevalecer para buscar o placar. Após erros defensivos contra o Timão e o desperdício de pênalti de Luan no fim do jogo, o desafio é pela superação e retomada de confiança, imprimindo envolvimento com toque de bola e chegadas à frente, sem descuidar da retaguarda.

O provável Grêmio é o mesmo da 10ª rodada do Brasileirão: Marcelo Grohe; Edilson, Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Michel, Arthur, Ramiro, Luan, Pedro Rocha e Lucas Barrios.

Mais contestado com críticas, Marcelo Grohe garantiu seguir seu trabalho e que lida com opiniões contrárias à sua escalação desde seus primeiros anos no clube. No ano passado, foi importante demais para o Grêmio superar o Atlético Paranaense nas oitavas de final, quando defendeu pênaltis na Arena.

Para seguir melhora de desempenho e voltar forte em Curitiba

Serão 180 minutos, é o jogo de ida, é bem verdade, mas o Atlético Paranaense arrancou vitória em 2016 na Arena do Grêmio pela volta das oitavas de final e espera surpreender o adversário, que no último compromisso perdeu pela primeira vez em seus domínios em 2017. Muitos dos jogadores do Atlético são remanescentes e a equipe já enfrentou o Tricolor neste Campeonato Brasileiro, quando não atuou bem e perdeu em casa por 2 a 0. Nas últimas quatro rodadas, foram quatro vitórias no Brasileirão e a saída com folga da zona de rebaixamento para almejar um campeonato que seja mais a condição real do Furacão.

O Atlético Paranaense tem o histórico recente de lacrar os treinos para a imprensa e torcedores. Na véspera de um confronto tão importante, não é diferente. Somente os últimos minutos são liberados, quando não há mais indicação da provável escalação. Entretanto, Autuori tem a maioria dos atletas à disposição. Uma das dúvidas está entre Lucho González e o meia Carlos Alberto, atleta que inclusive passou pelo Grêmio.

Apesar dessa indefinição, o Atlético não deve apresentar grandes surpresas na escalação: Weverton; Jonathan, Wanderson, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Matheus Rossetto, Lucho González (Carlos Alberto), Nikão e Douglas Coutinho; Grafite.

VAVEL Logo