Atlético-MG cria pouco e perde para Jorge Wilstermann na Bolívia
Foto: Aizar Raldes/AFP

O início do Atlético-MG no mata-mata da Copa Libertadores da América 2017 foi com o pé esquerdo. Jogando em Cochabamba, na Bolívia, o Galo perdeu por 1 a 0 para o Jorge Wilstermann, na noite desta quarta-feira (5), pelo duelo de ida das oitavas de final da competição sul-americana. O atacante Gilbert Álvarez marcou, aos 41 minutos do primeiro tempo, o único gol do jogo.

As equipes voltarão a medir forças no dia 9 de agosto, uma quarta-feira, às 21h45, em Belo Horizonte/MG, para saber quem avança às quartas de final da Libertadores. A equipe atleticana precisa vencer por dois gols de diferença, enquanto um empate serve ao time boliviano. Uma vitória do Atlético por 1 a 0 leva a decisão às cobranças de pênalti.

Agora, o Atlético volta as atenções para o Campeonato Brasileiro. O time de Roger Machado enfrentará o Botafogo, domingo (9), às 19h, no Engenhão, Rio de Janeiro, pela 12ª rodada do certame.

Wilstermann sai em vantagem

Foto: Aizar Raldes/AFP
Foto: Aizar Raldes/AFP

Sob o clima hostil do estádio Félix Capriles, o Atlético adotou uma postura mais conservada no primeiro tempo. Com o retorno do volante Rafael Carioca, que não enfrentou o jogo Cruzeiro no último fim de semana porque estava suspenso, o time alvinegro buscava muitas triangulações para encontrar espaços no Jorge Wilstermann.

A equipe de Roger Machado começou o duelo explorando o lado esquerdo. Fábio Santos, Robinho e Cazares trocavam muitos passes pelo setor. Robinho, contudo, não estava em uma grande noite, e errou quase todas as jogadas que tentou.

Em cabeçada do brasileiro Alex Silva à esquerda do gol de Victor, o Jorge Wilstermann criou a primeira oportunidade de gol da partida. Já o Atlético teve apenas uma tentativa de chute a gol: Robinho driblou o adversário e finalizou torto, de canhota.

Mas, aos 41 minutos, o time da casa tirou o zero do placar. Bergese ajeitou no peito, arrematou, Gabriel afastou, e Álvarez emendou uma bicicleta. Antes de o árbitro encerrar o primeiro tempo, Rudi Cardozo aproveitou erro da defesa atleticana e chutou firme de fora da área, mas Victor espalmou para a linha de fundo.

Rafael Moura acerta a trave, e Galo não consegue empate

Foto: Aizar Raldes/AFP
Foto: Aizar Raldes/AFP

Na volta do intervalo, o técnico do Atlético, Roger Machado, sacou Robinho e colocou Valdívia. A equipe de Cochabamba começou o segundo tempo melhor que o Atlético, mas quem assustou foi o Galo. Aos seis minutos, Cazares cobrou escanteio, Yago ganhou no alto e testou para fora.

Para acelerar o jogo, Roger Machado mandou a campo o venezuelano Otero no lugar de Elias. No entanto, quem continuava em cima era o Wilstermann. Aos 21 minutos, Fábio Santos afastou a bola da área, mas a redonda caiu nos pés de Machado, que chutou com muito perigo, à direita de Victor.

Devido ao cansaço, o meia-atacante brasileiro Serginho deixou o campo para a entrada do volante Ortiz. O desgaste físico também resultou na saída de Fred para a entrada de Rafael Moura.

O Atlético não conseguia gerar espaços no Wilstermann. Assim, os comandados de Roger Machado tentavam empatar o embate em chutes de fora da área. Os jogadores, entretanto, não acertavam a pontaria. Aos 35 minutos, a equipe mineira criou a melhor oportunidade de gol do duelo: Alex Silva cruzou à área, Rafael Moura ganhou de dois defensores e cabeceou na trave. Mas a partida terminou com vitória do time de Cochabamba.

VAVEL Logo