Feliz, Rueda comemora chegada ao Flamengo: "Uma oportunidade como essa não é todo dia"
Diretoria corre para conseguir o visto de trabalho do treinador (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

O dia seguinte à derrota para o Atlético-MG, 2 a 0 no Independência, foi de novos ares no Flamengo. O clube anunciou a contratação de Reinaldo Rueda para o cargo de treinador da equipe. Após o treinamento dessa segunda-feira (14), o técnico colombiano foi apresentado no Ninho do Urubo, em Vargem Grande/RJ.

Décimo treinador estrangeiro na história do rubro-negro carioca, Rueda quer acabar com a má impressão deixada pelos treinadores anteriores no futebol brasileiro e projeta uma história vitoriosa no clube.

"Creio que a instituição quer que acabe esse estigma, que a gente dure muito tempo e tenha condições de estar aqui. Flamengo quer que a gente fique aqui.O time tem que mostrar no campo. Só o time pode mostrar se rompemos esse paradigma ou se o futebol brasileiro não é para estrangeiros. Esperamos que isso acabe. No futebol não há paciência, ainda mais na América do Sul. Somos muito emotivos, é da nossa raça. O importante é ter um projeto esportivo sério, querer algo a médio prazo. Temos que ser conscientes que somente os resultados podem garantir sua continuidade. Sei que temos o respaldo da torcida, mas temos que ratificar com resultados", disse.

Sobre o convite do Fla, o treinador colombiano deixou claro que, apesar de ter recusado outros trabalhos na metade do ano, não podia deixar de aceitar o convite da diretoria rubro-negra.

]"É a dificuldade que se tem agora, assumir um projeto que já está iniciado. Eu tinha ofertas de vários países, até na Colômbia, e não queria aceitar, porque a experiência mostra que é muito difícil. Mas penso que uma oportunidade como essa, do Flamengo, não é todo dia. Vamos assumir sabendo que temos metas imediatas e metas a médio prazo e vamos apostar no êxito", afirmou.

Por fim, Rueda também analisou o confronto contra o Botafogo, pela semifinal da Copa do Brasil, e garantiu que o Flamengo jogará de maneira ofensiva.

"Primeiro, respeitamos o momento do rival. Mas sabendo a filosofia do Flamengo. O futebol moderno exige essa agressividade para enfrentar esses rivais. A seleção brasileira está mostrando isso. Mudou, não somente jogo bonito. Tem que ser agressivo e intenso para conseguir os objetivos", encerrou.

Para poder trabalhar, Rueda e seus auxiliares precisarão ter o visto de trabalho (provisório ou definitivo). A diretoria do Flamengo corre para conseguir regularizar toda a situação antes de quarta-feira, e está confiante de que poderá contar com o treinador colombiano na beira do campo do estádio Nilton Santos.

VAVEL Logo