Givanildo Oliveira justifica acerto com Remo: "Estou com vontade de trabalhar"
Treinador reconhece também limitações financeira para reforçar elenco azulino (Foto: Samara Miranda/Ascom Remo)

Após sequência negativa e eliminações, o Remo anunciou a demissão de Ney da Matta e, logo depois, confirmou Givanildo Oliveira como novo técnico. Para a continuidade da temporada, Giva vai ter a missão de tentar buscar ao menos o acesso à Série B - uma de suas marcas - e a conquista do Campeonato Paraense.

Nesta quinta-feira (1º), Givanildo foi apresentado oficialmente no Leão, substituindo o interino Netão, que comandou a equipe na vitória ante o Independente pelo Parazão. Mostrando disposição para trabalhar, o "Rei do Acesso" trata como objetivo conquistar o Parazão, lembrando a importância também de sair da Série C.

"Espero que consiga tirar o Remo da Série C, mas o Estadual também é importante. Importante também é ser campeão. Foram somente dois dias de conversa e vim porque quis, ninguém me forçou, já que estou com vontade de trabalhar e não tenho a vontade de parar. Apareceu a oportunidade e eu não hesitei", declarou o novo treinador, que espera ajustar possíveis erros no elenco.

Leão foi comandado interinamente por Netão na vitória sobre Independente
Leão foi comandado interinamente por Netão na vitória sobre Independente (Foto: Fábio Will/Ascom Remo)

"Não conheço o grupo, mas vou conversar com a comissão e saber das coisas. Sei que ganhou, porém vamos fazer o que for de melhor, ver as possibilidades financeiras para o Remo e fazer um elenco forte, poder ser campeão e, quem sabe, conquistar o acesso, pois é tudo que essa torcida quer", completou.

O comandante azulino ainda criticou as cobranças de torcedores, pois espera conseguir fazer o grupo desempenhar boas atuações durante o Estadual. Lembrando o título na primeira das cinco passagens no Leão, usou o retrospecto no Ceará, onde foi campeão cearense ano passado, para mostrar o quanto as torcidas estão mais exigentes.

"O Remo não está mal no Estadual e próximo da classificação. Eu, que sou treinador, sei como é essa mudança, já corriqueira no futebol, mas há muitos exageros no futebol. Quando estive no Ceará, ano passado, fui campeão e me mandaram após três jogos. A primeira vez que tive no Remo fui campeão, mas se fosse para ganhar tudo que disputei eu teria 37 títulos só de estadual", encerrou.

VAVEL Logo