Zé Ricardo lamenta derrota do Vasco na estreia da Libertadores: "Faltou mobilidade"

Treinador cruzmaltino comentou sobre o forte esquema defensivo do time adversário

Zé Ricardo lamenta derrota do Vasco na estreia da Libertadores: "Faltou mobilidade"
(Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

Não tinha mais espaço pra ninguém fora de campo. De casa cheia para a estreia da Libertadores da América, o Vasco perdeu seu primeiro jogo da fase de grupos, por 1 a 0 para a Universidad de Chile na noite desta terça-feira (13). Os mais de 18 mil presentes em São Januário, viram o meia Araos marcar o gol no segundo tempo, após um erro desensivo vascaíno. Sobe o jogo em si, o técnico Zé Ricardo falou sobre o forte esquema dos chilenos e o que faltou para os vascaíno saírem com os três pontos da partida.

"Resultado que não esperávamos, a expectativa era grande. Adversário experiente, que teve alguns momentos melhores. Até certo ponto fizeram gol em um lance isolado. A partida foi decidida em um detalhe. Acho que faltou sincronismo na saída de bola. Não conseguimos criar pelos lados. Faltou mobilidade por dentro. A LaU se fechou bem e tinha uma saída forte. Foi uma noite em que não fomos felizes na criação", disse o treinador.

Em certo momento da partida, a torcida cruzmaltina, precisando ver um gol, antes mesmo da Universidad de Chile balançar as redes, viu seu comandante chamar o zagueiro Werley. Sem entender nada, a torcida esperou pela substituição mas já com ares de reprovação. No final da situação, o defensor voltou ao banco de reservas e o atacante Andrés Rios entrou em campo para a saída do volante Desábato. Sobre a alteração, contestada pelos torcedores, Zé Ricardo falou o que aconteceu naquele momento.

"Trabalhamos com o Desábato fazendo o terceiro homem, mas a LaU veio bem fechada e marcou nossas subidas pelos lados. Por dentro tivemos dificuldades. Mas o determinante acabou sendo uma jogada isolada. É uma competição que precisamos estar 100% concentrados. Cheguei a chamar o Werley porque o Desábato pediu para sair. Relutei, mas ele disse que sentiu o adutor. A equipe já mostrou que sabe sair de dificuldades. Vamos em busca disso novamente"explicou o técnico.

Depois do gol sofrido, alguns jogadores foram alvo de vaias dos torcedores. Paulão, Evander, Wellington foram alguns dos atletas "perseguidos" pela torcida até o apito final. O zagueiro recebeu os protestos por conta do lance do gol, onde o jogador Araos o dribla e faz gol. O camisa dez e o volante por conta das atuações apagadas na partida. Sobre as vaias, principalmente, para o meia de criação vascaíno, o treinador defendeu o atleta.

"Não foi só o Evander que teve dificuldade para jogar com linhas compactas. Não acho que as vaias procedem. É um jovem que tem feito boas partidas. São partidas nervosas, mas ele tem personalidade. Respeito o caráter do meu grupo. Esse resultado vai ficar para trás", afirmou Zé Ricardo.

Sobre os próximos confrontos (Botafogo pelo Carioca e Cruzeiro pela Libertadores), o comandante diz encarar ambos as partidas com força total, pensando sempre em vencer. A "vida" do Vasco da gama nas competições está mal resolvida e só com bons resultados que a paz pode voltar à reinar no Gigante da colina. O técnico Zé Ricardo falou sobre os próximos jogos importantes, que podem definir um destino para o clube vascaíno nas competições.

"Jogo importante contra o Botafogo. Não estamos classificados ainda. Vamos encarar com a maior firmeza possível. Esperamos ter todos à disposição. Vamos com força total. No segundo jogo, o Cruzeiro, que perdeu também, vai vir com muita vontade. Mas vamos para tentar a vitória. Cruzeiro está em boa fase. Ano passado conseguimos, mas era outro contexto. Mas temos que pensar em vencer. Temos um clássico importante contra o Botafogo, e ainda temos planos no Carioca. Mas na Libertadores temos que buscar fora de casa, e no futebol nada é impossível. Serão 11 contra 11 no Mineirão, e vamos representar bem o Vasco", Finalizou o treinador.