Agradando 'cartoleiros', Gilson comemora atuação eficiente em seu retorno a equipe titular
Foto: Divulgação / Botafogo 

Agradando 'cartoleiros', Gilson comemora atuação eficiente em seu retorno a equipe titular

Surpresa entre os onze que iniciaram a partida, lateral foi muito bem na marcação e terminou a noite como maior pontuador no Cartola FC com 12,9 pontos 

caiocarvalho97
Caio Carvalho

Na partida da última rodada, contra o Ceará, no Castelão, muitos ficaram surpresos quando Gilson  foi escalado na equipe titular. Voltando ao time no lugar do criticado Moisés, o lateral-esquerdo teve ótima atuação e foi um dos pilares da marcação que segurou o empate em 0 a 0. Além disso, com cinco roubadas de bola, somou 12,9 pontos no fantasy Cartola FC', tornando-se o maior pontuador da noite. 

Em entrevista coletiva no Nilton Santos, Gilson comemorou a performance positiva em seu retorno e se surpreendeu com o número expressivo no Cartola. 

"Prazeroso, sempre trabalho em prol do Botafogo. Jogador quer sempre estar jogando, mas tem que respeitar o momento de cada um. Contra Ceará tive oportunidade de iniciar, fiquei muito feliz, mas independente de quem começar tem que estar concentrado".

"Não acompanho essa brincadeira do Cartola, mas isso me deixa feliz. Sinal que fiz uma partida segura, em um nível bom. Mas o mais importante não é o individual, e sim o coletivo". 

Na 12ª posição, o Botafogo está a quatro pontos da zona de rebaixamento. Perguntado sobre a importância do jogo contra o Bahia, o lateral garantiu foco total para o duelo. Para Gilson, é um jogo de 'peso diferente'. 

"Estamos focados, sabemos das dificuldades do Brasileiro. A disputa está muito acirrada não só embaixo, mas no meio e em cima. Estamos no meio da tabela, temos que procurar a cada jogo encarar como se fosse final e se distanciar dessa zona. Restam nove jogos. Temos o Bahia dentro de casa, vamos em busca da vitória para somar pontos e se distanciar do pessoal lá debaixo". 

"Estamos próximos na tabela, podemos dizer que é considerado jogo de 6 pontos. Temos que entrar tranquilos na partida, sabemos a dificuldade que vamos encontrar. Mas jogando em casa, diante do nosso torcedor, temos que buscar a vitória". 

Esse será o quarto jogo entre o alvinegro e os baianos esse ano. No primeiro turno do Brasileirão, empate em 3 a 3. Pela Sul-Americana, o tricolor venceu por 2 a 1 na ida e o glorioso devolveu o placar na volta. Nos pênaltis, o Tricolor Baiano levou a melhor. Gilson analisou brevemente o já conhecido adversário. 

"Enfrentamos eles algumas vezes esse ano, equipe muito competitiva, provou isso não só contra nossa equipe, dificultou contra o Palmeiras. Esses dias que temos para trabalhar vamos acertar os detalhes para fazer bom jogo e sair com a vitória. Fomos eliminados na Sul-Americana por eles. Ganhamos a partida, não com um saldo que iria nos beneficiar. Mas faz parte do passado, superamos essa tristeza. Brasileiro é outra competição, vamos focados do mesmo jeito". 

Por fim, o lateral avaliou sua atuação e, mesmo se dizendo contente com o que mostrou em campo, jogou a responsabilidade para o treinador Zé Ricardo

"Viajei sabendo que poderia iniciar a partida. Mas o Zé definiu isso na véspera. O Zé é muito franco, treinador que dá importância a todos os atletas, não só os considerados titulares. Durante a semana fiz um treino com a equipe titular e sabia que havia possibilidade. Não só eu, mas todos estão preparados para iniciar e dar o seu melhor".

"Se foi suficiente ou não, só o Zé vai poder responder. Eu particularmente gostei. Enfrentamos uma equipe que é muito forte jogando em casa, jogo complicado. Eu havia iniciado um jogo na ida da Sul-Americana, quase um mês atrás. Iniciei novamente e acho que realizei um jogo seguro, somamos um ponto, que não é o que queríamos, mas temos que valorizá-lo".

VAVEL Logo