Mano Menezes anuncia saída do Cruzeiro após três anos de comando
Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Mano Menezes anuncia saída do Cruzeiro após três anos de comando

Acúmulo de insucessos na temporada pôs fim a um trabalho de três anos e um mês; Decisão foi em comum acordo, depois de derrota para o Inter

paulo-alfaro
Paulo Alfaro

A derrota para o Internacional por 1 a 0, no primeiro jogo das semifinais da Copa do Brasil, foi determinante para encerrar o ciclo de Mano Menezes no Cruzeiro

A decisão foi tomada em conjunto, entre diretoria e técnico, pondo fim a um trabalho que durou três anos e um mês. O cenário dado de uma vitória em 18 partidas, oito sem marcar gol, eliminação na Libertadores e a 18º colocação no Brasileirão tornou inviável o procedimento ao trabalho.

O anúncio foi feito logo depois do jogo, em coletiva que também contou com as presenças do diretor de futebol, Marcelo Dijan, e o gerente de futebol, Marcone Barbosa.

A coletiva se iniciou com o comunicado oficial do técnico sobre seu desligamento do clube.

“Comunicar oficialmente que a gente interrompe o trabalho a frente do Cruzeiro nesta noite, porque a gente entendeu que era o momento de fazer isso, de que nós não poderíamos estender mais esta fase difícil (muito mais do que uma fase difícil que o Cruzeiro vem atravessando). Porque são 18 jogos e uma vitória, e a gente sabe que no futebol isso não se sustenta. A decisão partiu de uma consciência que as coisas podem piorar - e elas não podem piorar. Hoje, o torcedor teve uma reação que, para mim, é fundamental para com o técnico: o torcedor da gente não pode ser achar a gente é burro, porque o burro vem aos 47 do segundo tempo hoje, amanhã ele vem aos 30 e isso vai numa continuidade à afetar a equipe, e eu tenho muito respeito pelo Cruzeiro e não vou permitir que isso atrapalhe, ainda mais, este momento difícil que o clube e equipe vem atravessando. A série de jogos, a maneira como a gente tá perdendo, as coisas que acontecem (como aconteceram hoje) são sinais de que algo precisa ser mudado, então, a conversa foi nesse nível e nós entendemos que deveríamos vir aqui e fazer esse comunicado para o torcedor do Cruzeiro, e é isso que estamos fazendo.”

Como lembrou o agora ex-treinador, os torcedores do Cruzeiro perderam a paciência e os gritos de “burro” vieram da arquibancada durante o confronto. Para Mano, o protesto foi compreensível.

“Não me incomodou, achei justo os xingamentos. O time não ganha, não ganha, não ganha, o sujeito que escala toma as decisões e escolhe os jogadores não está sendo competente. E eu, longe de mim, achar que o torcedor tem que ser passivo nessa hora. Ele tá vendo o time dele do coração sofrer como está sofrendo dentro do campo - e a reação dele é passional.” 

Robinho foi quem se mostrou bastante abatido com a não permanência de Mano Menezes na equipe . O meia ressaltou que tem muito carinho pelo treinador e afirma não concordar com a atitude:

“Não queria, de maneira alguma, só que partiu dele. A diretoria entendeu, não tem o que fazer. Se eu pudesse, falaria para ele ficar, mas, é claro que não depende só de mim, não só dos jogadores. É uma decisão dele. Difícil, eu sou um cara que sinto muito, porque o cara me abraçou desde que chegou.”

Segundo Marcelo Dijan, a tendência é de que o Cruzeiro enfrente o Avaí sob o comando de um interino ou até mesmo o treinador do sub-20, descartando a hipótese de uma chegada ‘relâmpago’ de um novo comandante a ponto de assumir a equipe para a próximo compromisso, no domingo (8).

MEDIA: 5VOTES: 2
VAVEL Logo