Com portões fechados, Santos bate Delfín e conquista segunda vitória na Copa Libertadores
Lucas Veríssimo comemorando o primeiro e único gol do Santos na partida (Foto: Reprodução/Twitter Santos F.C.)

Santos e Delfín-EQU se enfrentaram nesta terça-feira (10), na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Grupo G da Copa Libertadores. Com portões fechados, a equipe de Jesualdo Ferrreira derrota equatorianos por 1 a 0, com gol do zagueiro Lucas Veríssimo.

Ataque tímido e vantagem no placar

O Santos não se intimidou no começo da partida, tentando buscar o gol logo no começo. Aos cinco minutos, Diego Pituca cruzou e encontrou Eduardo Sasha. De fora da área, o atacante pegou de primeira, mas a bola saiu por cima do travessão.

Aos nove minutos, mais uma chance clara de gol para os donos da casa. Eduardo Sasha cruzou pela direita, a bola cruzou toda área adversária e sobrou para Soteldo na esquerda. O camisa dez mandou para área e Kaio Jorge desviou de cabeça, com perigo, mas por cima do gol.

A partida seguiu sem nenhuma chance clara de gol de ambas as equipes. Os equatorianos chegaram dominar os espaços do campo e a criar oportunidades de gol, mas nenhuma com grande perigo. Mais uma vez na temporada, o Santos foi vítima de próprios erros técnicos e esteve mal em campo.

Até que aos 29 minutos as coisas começaram a mudar para o time da Vila Belmiro. Em cobrança de falta, Carlos Sánchez mandou a bola na área do pênalti e encontrou Lucas Veríssimo, que desviou de cabeça na péssima saída de Baroja do gol. 1 a 0 para o Santos!

A equipe de Jesualdo Ferreira se animou com o primeiro tento e quase fez o segundo aos 36. Em rápido contra-ataque de Sánchez, Pituca recebeu na entrada da área e soltou uma bomba de esquerda, obrigando o goleiro do Delfín se esticar inteiro para salvar a equipe.

Três minutos mais tarde, o Santos quase ampliou o marcador. Sánchez recebeu da esquerda e arriscou forte chute de fora da área, mas, mais uma vez, Baroja evitou o segundo gol do time da baixada.

A primeira chance real de gol do Delfín aconteceu nos acréscimos do primeiro tempo, aos 46 minutos. Sánchez afasta mal cobrança de escanteio e a bola sobrou para Alaniz, que, mesmo de longe, mandou de primeira. A bola passou perto da trave do Santos. 

Cansaço e sufoco no segundo tempo

Ao contrário da primeira etapa, não foi o Santos que chegou perto de balançar a rede nos primeiros minutos do segundo tempo, mas sim o Delfín. Aos dez minutos, Alaniz aproveitou cruzamento de Nazarena, bateu de primeira e a bola tirou tinta da trave de Everson. Os equatorianos ainda tiveram uma oportunidade aos 21. Após boa tabela do Delfín, Alaniz recebe e chuta de longe, obrigando o goleiro do Santos a fazer boa defesa.

A primeira chance de gol dos donos da casa no segundo tempo aconteceu apenas aos 25 minutos. Soteldo encontrou Yuri Alberto, que entrou no lugar de Kaio Jorge no intervalo, dentro da área. O atacante finalizou cruzado, mas para fora do gol.

Aos 29, mais uma oportunidade para o Santos. Sánchez cobrou escanteio e a bola sobrou para o uruguaio. De fora da área, pelo lado esquerdo, o camisa sete finalizou colocado e obrigou a Baroja fazer uma excelente defesa. Quase o segundo dos donos da casa!

A equipe de Jesualdo Ferreira demonstrava cansaço durante a segunda etapa, tanto que se fechou na defesa e esperava os equatorianos em seu próprio campo. Aos 42 minutos, Valencia tentou cruzar e Pará afastou. Mas no rebote, Noboa aproveitou e arriscou de primeira, e Everson fez ótima defesa. Todavia, a arbitragem paralisou o lance alegando impedimentos dos equatorianos.

Como fica?

Após a vitória, o Santos assume a liderança isolada no Grupo G, com seis pontos. O Delfín se mantém na terceira colocação, mas de maneira provisória. Caso o Defensa y Justicia derrote o Olimpia na próxima quarta-feira (11), os equatorianos ocupariam a lanterna da tabela.

VAVEL Logo