Sinônimo de defesa mal entrosada, Flamengo chega à marca de 18 gols sofridos em 11 jogos
Foto: Pool / Getty Images / Conmebol

Perder para o Independiente del Valle pode até ser considerado normal, mas ser goleado por 5 a 0 não entra no padrão de qualidade de um time que foi campeão da própria Libertadores na temporada passada e manteve a base. O Flamengo está irreconhecível sob os cuidados de Domènec Torrent. Instável no Brasileirão e, agora na volta da competição continental, apático ao ponto de ser massacrado. Mas tudo isso tem um motivo.

Em 11 partidas à frente do Rubro-Negro, o treinador espanhol soma cinco vitórias, quatro derrotas e dois empates. Percebe-se que o time ainda não embalou neste segundos semestre com Dome. Logo após ficar sete confrontos invictos (tendo quatro triunfos seguidos, inclusive), o Flamengo perdeu de 2 a 0 para o Ceará no Brasileirão e, na última quinta-feira (17), de 5 a 0 para o Independiente del Valle no Equador, pela terceira rodada do Grupo A da Libertadores.

No período em que está no comando, Domènec tenta armar a defesa carioca por zona. E essa estratégia não funcionou. Ele tentou povoar o meio-campo contra os equatorianos, mas sem sucesso. Segue uma equipe morosa, apática, dominada e sem reação. A primeira linha de marcação do Flamengo, que era quem deveria roubar a bola, estava tão frouxa que todos os jogadores do adversário faziam o que queria. Tudo desconexo. 

Imagem: Reprodução / Facebook Conmebol
Imagem: Reprodução / Facebook Conmebol

Com as luzes, Gabigol simplesmente caminha enquanto a bola está perto dele e Michael corre para espaço vago em oposição à mesma bola. Percebe-se o quão perdido estava a marcação da primeira linha de marcação do Flamengo. Arão, Diego e Gerson formam um triângulo ao invés de uma linha — isso descompacta a ideia de fechar o passe adversário. Assim fica fácil para um oponente qualificado e bem treinado pelo técnico espanhol Miguel Ángel Ramírez jogar.

Dessa forma, com 18 gols sofridos em 11 jogos, a média de gols sofridos por jogo ficam em 1.63 com Dome. Apenas contra Coritiba e Santos o time carioca não viu suas redes sendo balançadas. Isso deixa o Flamengo como a quarta pior defesa do Campeonato Brasileiro e da Libertadores.

O que diz Dome?

"Não estou de acordo que foram apáticos [jogadores do Flamengo]. No primeiro tempo, nós não tivemos problema para defender. O jogo estava equilibrado. O segundo tempo, foi todo diferente. Procuramos pressionar. Quando eles [del Valle] têm espaço nas linhas, são muito rápidos", disse o técnico flamenguista após a goleada.

O próprio treinador admitiu que o time deixou espaço para os adversários entrosarem jogadas e sambarem dentro sistema defensivo rubro-negro. Então, fica claro que muitas coisas precisam ser mexidas: vontade dos jogadores para marcar, clareza na transmissão de ideias por parte de Domènec e, principalmente, execução de tudo isso.

VAVEL Logo