ANÁLISE: Goleada do Atlético-MG teve influência decisiva de Cuca

O Atlético-MG goleou o Cerro Porteño por 4 a 0 no Mineirão, na noite desta terça-feira (4), pela terceira rodada da Libertadores. Com o resultado, o Galo assumiu a liderança isolada do grupo H e fica mais tranquilo para a segunda metade da fase de grupos e assegurar a classificação. 

Este foi, sem sombra de dúvidas, o melhor jogo do Atlético sob o comando do Cuca. E dentro de campo, vimos muitas mudanças. A mais sentida foi a transição ofensiva em alta velocidade com o trio de ataque se movimentando em linha. O que isso significa? Mostra que há um treinamento. Nenhum grupo de jogadores se movimenta, ao mesmo tempo, se não tiver um padrão. 

Ao invés do famoso "Cucabol", que são as bolas alçadas na área - que tanto irritam o torcedor atleticano - o time buscou a construção pelos lados e também pelo meio. E nisso, destaque para o tão criticado Tchê Tchê, que ajudou na saída de bola e chegou ao ataque, auxiliando Nacho na armação das jogadas. 

Na frente, Hulk como centroavante parece que é cada dia mais "normal". O camisa 7 consegue "brigar" bem entre os zagueiros e oferece um ataque rápido. Como tem velocidade, o time ganha profundidade rapidamente. Isso desarticula a linha defensiva da equipe adversária. 

É claro que analisamos em cima de apenas um jogo, depois de partidas muito ruins do Atlético. Resta ficarmos de olho para saber se estes padrões irão se repetir nos próximos compromissos do alvinegro mineiro. 

Assista ao vídeo e deixe sua opinião a respeito deste confronto

 

VAVEL Logo