Renato Gaúcho valoriza vitória contra o Barcelona e explica mudanças no sistema ofensivo
Foto: Divulgação / CR Flamengo

O Flamengo conseguiu um grande resultado nesta quarta-feira (22). No jogo de ida da semifinal da Copa Libertadores da América 2021, a equipe venceu o Barcelona, por 2 a 0, no Maracanã. Na entrevista coletiva após a peleja, Renato Gaúcho, treinador da equipe, fez questão de elogiar os dois times na peleja e explicou a formação do sistema ofensivo.

Para Renato Portaluppi, a equipe equatoriana exigiu muito do CRF. "O Diego Alves teve uma grande atuação. Dei os parabéns a ele e ao grupo no vestiário. O Barcelona não chegou aqui como convidado, chegou por méritos e eliminando grandes equipes. Sabíamos que seria um jogo pegado e aberto. Mesmo com um homem a menos, eles souberam sofrer no segundo tempo", comentou. 

Após elogiar o Barcelona-EQU, o treinador também destacou o esforço feito pela própria equipe. "Conseguimos fazer os dois gols. Tivemos chances e não fizemos. Mas está de bom tamanho. O 2 a 0 é uma vantagem muito grande para a segunda partida. Até porque, existe gol qualificado na Libertadores", finalizou.

Mudanças

Algumas escolhas do técnico rubro-negro causaram estranheza na mídia e em torcedores da equipe. A ausência de um atleta, em especial, exigiu mudanças. "Coloquei o Vitinho, depois o Andreas e por fim o Everton Ribeiro. O time é acostumado com o Arrascaeta, que é um jogador acima da média. O Vitinho até fez uma boa partida, errou alguns lances, mas teve participação em lances importantes. Ele não é jogador daquela posição", destacou.

O posicionamento de um recém-chegado na equipe contra o Barcelona de Guayaquil também mereceu atenção especial de Portaluppi. "Assim como o Andreas quando adiantei para uma posição que faz tempo que ele não jogava. Não adianta achar que quem entrar na posição do Arrascaeta vai ter as mesmas condições. Por isso, ele faz falta", finalizou o treinador.

VAVEL Logo