Com a faixa de capitão e dois gols, Everton
Ribeiro comanda vitória rubro-negra
Foto: Marcelo Cortes / Flamengo

Na noite desta terça-feira (12), o Flamengo voltou ao Maracanã para mais uma partida válida pela segunda rodada da fase de grupos da libertadores, com o apoio do torcedor o time da Gávea mostrou evolução ofensiva conseguindo o 100% na Libertadores e a liderança do grupo H.

Muito vinha-se falando do pouco repertório ofensivo do time treinado por Paulo Sousa nos últimos jogos, ontem o que ficou claro é que o quarteto mais temido das américas está encontrando a coletividade necessário para causar desconforto ao adversário.

Everton Ribeiro, Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol, ditaram o ritmo, com muita movimentação, troca de passes rápidas, e foi assim que logo aos 10 minutos, em uma jogada envolvendo Bruno Henrique, Gabigol e Arrascaeta que o uruguaio invadiu a área driblou o adversário e foi derrubado. Gabigol como de costume cobrou sem chances para o goleiro e abriu o placar.

Flamengo foi a campo com:

Santos; Willian Arão, David Luiz e Filipe Luís (Andreas Pereira, 18'/2ºT); Matheuzinho (Rodinei, 32'/1ºT), João Gomes, Thiago Maia (Léo Pereira, 18'/2ºT) e Everton Ribeiro; Arrascaeta, Bruno Henrique (Marinho, 32'/2ºT) e Gabigol (Pedro, 32'/2ºT)

O time ainda precisa de ajustes, mas mostrou que o caminho para aquele Flamengo intenso, que controla as ações, pode não estar tão longe, sem sufoco o Flamengo voltou a balançar as redes com Everton Ribeiro, em mais uma trama envolvendo o quarteto Bruno Henrique achou o espaço entre os zagueiros tocou e o capitão em um belo chute fez o segundo gol do jogo.

No final do primeiro tempo em um vacilo da marcação o Talleres descontou com Fértoli.

Na segunda etapa o Telleres voltou disposto a se lançar ao ataque, Flamengo fez logo seu papel e acabou com qualquer chance para o adversário gostar do jogo e mais uma vez Bruno Henrique achou o espaço tocou na medida e Everton Ribeiro marcou o seu segundo gol, fechando a conta para os cariocas por 3 a 1.

Na entrevista coletiva Paulo Sousa expos:

Treinador critica parte da imprensa que fomenta noticiário vinculado a JJ e vê direcionamento. Ao falar da vitória sobre o Talleres, é didático para apontar pontos positivos e os que demandam ajustes.

Paulo Sousa mostrou desconforto com as notícias envolvendo o treinador compatriota nos últimos dias. Sem dar nomes, criticou a parte da imprensa que fomenta esta situação e disse:

"Temos que entender que é normal que os torcedores tenham simpatia por alguém, o que não é normal é ter uma certa direção passional por A ou B, por treinador A ou jogador B. Isso não me parece respeitoso mesmo por vocês (imprensa). Mas a nós não afeta. Somos um grupo que deixou claro desde o início com a ideia de jogo"

Falando do jogo Paulo comentou:

“Tivemos facilidade, sobretudo quando chegamos no 2 a 0. Isso fez com que a equipe baixasse a intensidade e perdesse mais bolas simples. Temos que reconhecer que todas as vezes que não finalizamos nossas ações e as distâncias entre as linhas mais avançadas e mais baixa nos fizeram sofrer nas transições. Sofremos um gol e demos expectativas ao adversário. Isso fez com que o nosso início do segundo tempo fosse mais impactante, mas fomos crescendo pouco a pouco, encontramos os espaços estratégicos e poderíamos ampliar este mesmo resultado. ”

Ao final do jogo o capitão Everton Ribeiro havia falado sobre a tal panela:

“Queria enfatizar aqui que nunca teve panela, que foi muito falado nesse momento complicado que se fala muitas inverdades, mas a gente tem plena consciência que juntos podemos sair dessa situação. O Mister hoje nos mostrou o caminho”, disse o camisa 7.

Sobre o trabalho e sua evolução Paulo disse:

“Os processos de construção têm momentos que parecem de estagnação, momentos que parecem mais rápidos, e isso eu percebo. O resultado implica muito na avaliação (externa). Mas em termos de dinâmica e processos de jogo, os conceitos estão lá. Nas finais contra o Fluminense, estivemos muito longe do que queremos fazer. Nos outros jogos, sempre esses conceitos estiveram lá, em uns melhores e outros piores. Em tempos de construção é natural isso acontecer. ”

"Deixamos claro nossa ideia de jogo, vocês próprios interagiram pela qualidade do trabalho, nas ideias. Claro, nos processos, tem momentos que resultado não vem e tudo que fizemos não é o melhor caminho", finalizou.

“A equipe tem sido humilde, tem sido solidária, tentado trabalhar para ter os resultados. Depois, tecnicamente e taticamente podemos não estar perfeitos, mas quando temos essa predisposição de humildade e sermos solidários, com certeza todas as coisas depois vão acontecendo. Sobretudo alguns elementos que ajudam bastante essa mesma chegada de bola, ou seja, tem a ver com o nosso início de construção. E sem dúvida uma palavra extraordinária para o Arão, porque a interpretação dele nestes dois jogos (jogando de zagueiro) ”

Paulo Sousa deixou seu comentário sobre Arão:

 “Sobretudo alguns elementos que ajudam bastante nessa mesma chegada de bola. Tem a ver com o início da nossa construção. E sem dúvida uma palavra extraordinária é para o Arão porque a interpretação dele nesses dois jogos... Claro que ver o jogo de frente é completamente diferente de estar no meio. E ter umas dinâmicas de procura de posição para continuar a ver o jogo de sempre que é para poder velocidade e verticalidade ao jogo. Mas o adversário hoje tomou decisões onde as interpretações, sobretudo pelo nosso corredor direito com o Arão, foram bastante extraordinárias e nos ajudaram na comunicação com os jogadores entre linhas com o Everton. Seja um pouco mais alto, por dentro ou por fora, essa mobilidade posicional permitiu à equipe ir crescendo e chegando mais rápido para poder encontrar mais espaços. ”

Em relação ao João Gomes Paulo Sousa elogiou:

É um jogador que tem uma característica ímpar no nosso elenco nas disputas de bola ofensivas e defensivas. É muito forte fisicamente. Tem que associar a dinâmica com bola mais rápidas, seja em passes curtos, médios e longos. É onde tem de melhorar para se tornar um jogador de um nível bem mais elevado. Acreditamos e temos a ideia de criar dinâmicas que possam ajudá-lo. ”

O próximo compromisso do Flamengo será pelo Campeonato Brasileiro, contra o São Paulo no domingo (17) no Maracanã

 

 

 

 

 

VAVEL Logo