Mano descarta solicitar contratações imediatas ao Cruzeiro e frisa 'pequenos ajustes'

Apresentado, treinador celebra retorno à Toca da Raposa II após sete meses e destaca que não fará muitas mudanças na equipe

Mano descarta solicitar contratações imediatas ao Cruzeiro e frisa 'pequenos ajustes'
"A gente pode, a curto prazo, colher resultados melhores em relação àqueles que a equipe vem apresentando", diz Mano (Foto: Diego Cota/VAVEL Brasil)

Novo treinador do Cruzeiro, Mano Menezes chegou nesta quarta-feira (27) pela manhã a Belo Horizonte e, logo no início da tarde, foi apresentado à imprensa na Toca da Raposa II. O comandante, que deixou o Shandong Luneng, da China, em junho e retornou ao clube mineiro após sete meses, descartou novos reforços, pelo o menos por enquanto, e comentou sobre os possíveis ajustes que fará na equipe celeste.

"Primeiro, é um prazer estar de volta ao Cruzeiro, nesse convívio com vocês [imprensa]. Nós não precisamos mudar quase nada. A situação é muito parecida e temos que pensar nas coisas como elas são. Não vou fazer nenhuma solicitação imediata de contratação. Vocês já viram no ano passado que esse não é o meu estilo de trabalhar. Eu respeito muito os jogadores que dirijo, respeito muito o clube e entendo como as coisas são. Qualquer avaliação precipitada, pode cometer uma injusta com um grande jogador que temos, que não vive um bom momento por uma série de circunstâncias. Uma supervalorização de um novo reforço pode nos trazer apenas um gasto a mais e a gente tem que cuidar de todos esses detalhes no futebol hoje com bastante responsabilidade", disse.

Embora estivesse de férias no Caribe com sua esposa, Mano Menezes confessou que tirou um tempo para analisar as últimas atuações da Raposa sob o comando do então técnico Paulo Bento, demitido na segunda-feira (25) devido aos maus resultados. O treinador indicou também que não pretende fazer muito rodízio no time titular.

"Eu assisti aos seis últimos jogos do Cruzeiro. Pequenos ajustes de estratégias e algumas relacionadas à parte defensiva. A gente pode, a curto prazo, colher resultados melhores em relação àqueles que a equipe vem apresentando. O setor de criação do time é muito bom. Sou adepto de uma formação mais titular, então vamos tentar o mais rápido possível encontrar uma formação que dê essa segurança aos jogadores, que estabeleça um critério de disputa mais acirrado pela titularidade. À medida que você precisa lutar por ela, a disputa interna é maior. Com pequenos gestos na prática, quero mostrar que acreditamos nos jogadores, dá uma organização de acordo com aquilo que eu acredito. Exigir cumprimento dessa tática. O ganho coletivo, num primeiro momento, é mais importante do que o individual voltar a aparecer", analisou.

Mano Menezes irá estrear à frente do Cruzeiro já no domingo (31), diante do Santos, às 16h, na Vila Belmeiro, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com a missão de tirar o time da zona de rebaixamento, o técnico garantiu que vai mexer pouco no time titular e ressaltou alguns detalhes táticos.

"Eu vou usar os três dias [para treinar]. Não vou fazer grandes alterações num primeiro momento, porque seria muito arriscado. Ajuste de posicionamento naquilo que penso, com a forma tática da equipe. Vou conversar bastante com os jogadores sobre o posicionamento em campo, o recuo das linhas, um pouco mais alta, um pouco mais baixa, de acordo com aquilo que seja o adequado para o futebol brasileiro. Esses pequenos ajustes são os passos que devo tomar para o primeiro jogo. Depois, com um pouco mais de tempo, podemos pensar em uma coisa diferente", observou.

Por fim, o comandante brincou sobre o dinheiro que ganhou durante os sete meses que ficou no futebol chinês. Em dezembro do ano passado, ele deixou a agremiação mineira para se juntar ao Shandong Luneng. Agora, Mano assegurou que não pretende fazer o mesmo caminho novamente. "Para os próximos setes anos, estou satisfeito com os milhões que ganhei lá", brincou.