Ederson é diagnosticado com tumor no testículo e se afasta do futebol por tempo indeterminado

Diagnóstico foi divulgado pelo doutor Márcio Tannure em entrevista coletiva nesta terça (25); tumor foi descoberto a partir de resultado positivo no antidoping

Ederson é diagnosticado com tumor no testículo e se afasta do futebol por tempo indeterminado
Flamengo anunciou descoberta de tumor em entrevista coletiva na manhã desta terça (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)

Força, Ederson! Em entrevista coletiva realizada na manhã desta terça (25), a diretoria do Flamengo divulgou à imprensa uma triste notícia: Ederson, o camisa 10 da Gávea, foi diagnosticado com um tumor no testículo e precisará passar por cirurgia para a retirada da massa. O doutor Márcio Tannure, médico do Flamengo, esteve presente na coletiva e trouxe maiores detalhes sobre a situação do atleta.

“A gente recebeu uma notificação sobre um resultado analítico adverso, positivo para doping. Por todo o histórico do atleta, com toda a confiança que a gente tem nele, desconfiamos que isso pudesse ser patologia do atleta. A partir desse resultado analítico adverso, descobrimos que o atleta tem um tumor no testículo. É um tumor comum entre homens, especialmente na faixa etária dele (30 a 35 anos), com um prognóstico muito bom”, afirmou o doutor.

Tannure ainda relembrou outros astros do esporte que já tiveram o mesmo tumor de Ederson; entre eles, Kobe Bryant, Robben, Nenê (do basquete) e Magrão. A necessidade de quimioterapia no tratamento de Ederson ainda é incerta e só poderá ser definida a partir da realização da cirurgia, que deve acontecer ainda nesta semana, e uma biópsia completa do tumor.

Sobre o retorno de Ederson aos gramados, Tannure preferiu não estipular prazos e garantiu que a recuperação do jogador ocorrerá dentro dos protocolos previstos pelo clube. “É óbvio que, independentemente da lesão, isso requer um retorno gradual da atividade física. Ederson vai voltar de maneira gradual como se fosse cirurgia de joelho ou gástrica. Vai voltar dentro do protocolo, voltando ao campo sem impacto, sem trauma, para depois ser reintegrado. Mesma coisa de outra cirurgia, lógico que vai ficar tempo afastado e vai ter que voltar de maneira gradual”, completou.

O presidente Eduardo Bandeira de Mello, que também marcou presença na coletiva, aproveitou para declarar sua solidariedade a Ederson na luta contra o tumor. Bandeira ainda falou sobre a descoberta da condição médica no decorrer da semana e garantiu apoio incondicional do Flamengo ao atleta durante sua recuperação.

“Tenho certeza absoluta que o resultado final vai ser positivo, que tudo vai dar certo e que o Ederson muito em breve vai voltar a vestir a camisa do Flamengo. Queria deixar claro que o Flamengo vai dar apoio total a ele, apoio dos seus companheiros. Quando tive a primeira notícia, ainda na quinta, só tínhamos um caso positivo de doping.  Com desenvolvimento do assunto vimos que ele é inocente, mas tem uma questão médica que vai ser resolvida. O Flamengo vai ter mais um motivo para jogar em homenagem ao companheiro, que vai estar torcendo e vai ter recuperação plena e rápida”, declarou Bandeira.

Ao final da coletiva, Ederson fez um breve pronunciamento para agradecer a todos que lhe enviaram mensagens de apoio. “Obrigado a todos pela solidariedade. É muito difícil receber essa notícia porque ninguém espera isso, mas Deus não dá um passo maior do que você pode suportar. Sou até grato por aquilo que aconteceu, porque já tenho 16 anos de carreira profissional e nunca tinha caído no doping três vezes seguidas. Isso foi uma luz, um sinal, e quer dizer que Deus é bom e nos deu tempo de resolver esse problema da melhor maneira”, declarou o atleta.

Mobilizações solidárias pela recuperação de Ederson tiveram início nas redes sociais logo após o anúncio do clube. A hashtag #ForçaEderson subiu rapidamente ao primeiro lugar mundial dos Trending Topics do Twitter, com torcedores e clubes enviando mensagens de apoio ao atleta.

Apresentado em 2015, Ederson só esteve em campo pelo Flamengo em 38 partidas desde então. Em seu primeiro ano no Rubro-Negro, o atleta sofreu duas lesões que lhe afastaram dos gramados; em 2016, pouco tempo após finalmente voltar a atuar, o atleta sofreu dura entrada de Fágner, que resultou em outra grave lesão no joelho esquerdo. Após dez meses de recuperação, Ederson fez seu retorno neste ano em confronto contra o Atlético-GO, pela Copa do Brasil. Agora, o camisa 10 irá travar mais uma batalha em sua carreira contra um tumor, com apoio incondicional de seus familiares e de todos os apaixonados por futebol no Brasil.

Flamengo