Grêmio aproveita expulsão e marca com Ramiro para vencer Ponte em Campinas após 36 anos

Tricolor gaúcho reassumiu vice-liderança provisoriamente graças às grandes defesas de Marcelo Grohe na partida

Grêmio aproveita expulsão e marca com Ramiro para vencer Ponte em Campinas após 36 anos
Foto: Lucas Uebel | Grêmio
Ponte Preta
0 1
Grêmio
Ponte Preta: Aranha; Emerson, Rodrigo, Yago, Jeferson; Bob, Elton, Naldo, Danilo; Sheik e Lucca.
Grêmio: Marcelo Grohe; Léo Moura, Rafael Thyere, Bressan, Marcelo Oliveira; Michel, Jailson, Cristian, Ramiro, Everton; Jael.
Placar: 0-1, Ramiro
ÁRBITRO: Sandro Meira Ricci
INCIDENCIAS: Partida válida pela 33ª rodada da Série A do Brasileiro, disputada em Campinas no estádio Moisés Lucarelli

O Grêmio quebrou um de seus maiores tabus contra adversários diretos da Série A. Jogando com time misto nesta quarta-feira (8) em Campinas, o Tricolor bateu a Ponte Preta por 1 a 0, em gol marcado por Ramiro. Isto representa o fim de um jejum de 36 anos sem vencer a Macaca no estádio Moisés Lucarelli. Ramiro foi um dos poucos titulares em campo, pois Renato Portaluppi poupou jogadores pelo desgaste físico. No lado da Ponte, a baixa foi a expulsão de Fernando Bob ainda no primeiro tempo, o que facilitou as coisas para o Tricolor.

O Grêmio reassumiu a vice-liderança e aguarda o resultado do Santos diante do Vasco. Ao mesmo tempo, fica em uma diferença de cinco pontos para o Corinthians, que joga fora de casa diante do Atlético-PR. Com o resultado, o Tricolor soma 57 pontos e praticamente garante presença na próxima Copa Libertadores da América. Na próxima rodada, recebe o Vitória na Arena.

Já a Ponte Preta está desesperada. Ao perder em casa marca passo com 35 pontos, na 17ª colocação, mesma pontuação do Avaí e do Vitória, que ainda joga diante do Palmeiras. A Ponte está distante da mágica soma de 46 pontos para exorcizar riscos de queda. Para atingir o número, ao restar cinco rodadas, precisa de, no mínimo, três vitórias e um empate, podendo perder só mais um jogo.

Expulsão de Bob, gol de Ramiro e defesas de Grohe definem placar

O primeiro tempo foi pouco movimentado. Fernando Bob acabou expulso aos 19 minutos. Chegada desproporcional contra Ramiro no meio de campo, quando o volante chutou a bola e deixou o chute para atingir as costas do gremista. Sandro Meira Ricci o expulsou e a Macaca ficou com 10 para o resto do jogo.

O Grêmio controlou a posse, mas pouco aproveitou. Everton cortou para o meio e chutou rasteiro para Aranha defender firme, sem dificuldades. Do outro lado, somente investidas pela direita com o jovem lateral-direito Emerson e com o atacante Lucca levavam perigo à zaga tricolor, constituída pelos reservas Thyere e Bressan.

No segundo tempo, Grohe fez duas defesas espetaculares no jogo. A primeira num cruzamento de Lucca que iria entrar e, no rebote, defendeu o chute de Elton com puro reflexo. No contra-ataque da jogada, o gol: Jael tocou para Léo Moura e o experiente lateral cruzou para Ramiro cabecear nas redes: gol do baixinho de cabeça. 1 a 0.

Com a vantagem, o time gremista relaxou e a Ponte veio para cima. Grohe defendeu falta cobrada por Rodrigo. Minutos depois, em escanteio da direita, Rodrigo escapou da marcação da zaga gremista e testou para obrigar Grohe à nova ótima defesa. Aos 37 minutos, Lucca deixou Léo Gamalho na cara do gol, mas o jogador chutou fraco, a bola passou por Grohe, traído na finalização ao seu contrapé e somente Bressan apareceu no último momento para espanar a chance, quase sobre a linha.

O Grêmio se defendeu como conseguiu. Lucca, de cabeça, mandou para fora a última das chances, quando tinha liberdade na grande área. Somente uma finalização alta demais de Fernandinho, ao receber de Everton, serviu como resposta tricolor na tentativa de ampliar e selar o placar. Com isso, o Grêmio ficou na vitória magra por 1 a 0, mas importante para seguir entre os primeiros, perseguindo a liderança mesmo com o time misto e, é claro, encerrar o incômodo tabu de 36 anos sem vencer a Ponte Preta em Campinas. Foi o terceiro triunfo gremista na cidade paulista na história do confronto.