Náutico recebe desesperado Oeste visando retorno à Série A após três anos

Equipe alvirrubra deseja vencer e esperar resultados satisfatórios para retornar à elite; time paulista joga todas as suas fichas para se livrar do rebaixamento

Náutico recebe desesperado Oeste visando retorno à Série A após três anos
Náutico
Oeste
Náutico: Júlio César; Joazi, Rafael Pereira e Gastón; João Ananias, Rodrigo Souza (Maylson), Marco Antônio (Esquerdinha) e Vinícius; Rony e Bergson. Técnico: Givanildo Oliveira
Oeste: Felipe Alves; Felipe Rodrigues, Francis e Betinho; André Castro, Léo Arthur, Rodolfo e Pedro Carmona; Marquinho, Marcus Vinícius e Crysan. Técnico: Fernando Diniz
ÁRBITRO: André Luiz de Freitas Castro (GO)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 38ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, na Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE)

Neste sábado (26), na Arena de Pernambuco, às 17h30 (horário de Brasília), Náutico e Oeste duelam em um dos confrontos mais esperados da 38ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Os dois times estão envolvidos com luta pelo G-4 e rebaixamento, respectivamente. Assim, apostam tudo na última rodada para conseguirem seus objetivos.

O Timbu vem de uma boa vitória contra o Tupi, fora de casa, mas não depende só de si mesmo para conquistar o acesso. A equipe pernambucana precisa vencer o Oeste e esperar por derrota de Bahia ou Vasco. Um empate do time carioca também serve para levar o clube alvirrubro para Série A.

A situação do Oeste é totalmente oposta. Em 16º lugar na tabela, o time paulista precisa ganhar para não entrar na zona de rebaixamento. Se empatar ou perder, terá que torcer para uma derrota do Joinville, que enfrenta o Vila Nova, em casa.

Giva mantém mistério na escalação do Náutico

Durante a semana, o técnico Givanildo Oliveira não deixou transparecer quem jogará no meio campo alvirrubro. Com as voltas de Maylson e Marco Antônio, as opções para montar a equipe aumentaram. O fato é que João Ananias segue como intocável no meio do time, então sobram três vagas para cinco jogadores, já que, além dos dois que retornaram, Rodrigo Souza, Esquerdinha e Vinícius lutam por lugar.

O resto da equipe deverá ser mantida, já que os jogadores vêm jogando há algum tempo juntos e o entrosamento é grande. A possibilidade de Giva alterar o esquema e colocar todos os jogadores de meio campo é pequena, tendo em vista que o treinador não abre mão de um jogador de referência no ataque (Bergson) e Rony vem sendo o principal destaque do clube na Série B e a válvula de escape no decorrer das partidas.

"Dessa vez, vou esperar. Até porque existe dúvidas. Prefiro não falar os nomes, nem as possibilidades, para não dar a dica", afirmou o comandante do escrete de Conselheiro Rosa e Silva.

"Não é porque eles estão lutando contra o rebaixamento que nós vamos entrar e atropelar. Pelo contrário. Eles estão jogando a vida também. Estão jogando pelo ano todo, assim como nós estamos fazendo. Sabemos que o torcedor quer que a gente ataque, mas temos que ter todo o respeito com o time deles, porque é uma equipe que tem um estilo diferente, tocam muito, não rifam a bola", observou Júlio César, goleiro e um dos líderes do Náutico.

Dependendo só de si para fugir do rebaixamento, Oeste aposta tudo

Após fazer um bom primeiro turno, os comandados de Fernando Diniz não conseguiram repetir os bons resultados e acabaram na situação atual. Em 16º lugar e colecionado muitos tropeços, inclusive em casa, a equipe paulista chega com boas chances de garantir a permanência na Série B do Campeonato Brasileiro.

Para o confronto, o time titular deverá ser o mesmo que atuou diante do Joinville, em casa. Daniel Simões e Matheus Vargas são os únicos desfalques do time, lesionados. Nenhum jogador está suspenso.

"É uma partida muito difícil para as duas equipes que estão em situações diferentes. Treinamos bem durante a semana, nos preparando para todas as situações possíveis de jogo. É o último jogo, não temos mais margem parar errar, dependemos ainda somente de nós, mas buscaremos a vitória", avaliou Felipe Alves, goleiro da equipe, falando também da dificuldade de surpreender o adversário levando em conta as atuações nas rodadas passadas.

"As duas equipes evoluíram taticamente de lá para cá e contra nós, todos os times jogam de maneira diferente do que estão acostumadas. Por isso, é difícil tirar uma base de jogos anteriores. Estamos preparados de todas as maneiras para enfrentar o Náutico no Pernambuco", completou.