Náutico duela contra irregular Paysandu para seguir em busca do milagre na Série B

Na tentativa de evitar rebaixamento, Timbu tem últimas cartadas, já o Papão visa se distanciar ao máximo da zona da degola

Náutico duela contra irregular Paysandu para seguir em busca do milagre na Série B
Foto: Fernando Torres/Paysandu
Náutico
Paysandu
Náutico: Jefferson; David, Breno, Aislan e Henrique Ávila; Amaral, William Schuster (Diego Miranda) e Bruno Mota; Dico, Rafinha e William. Técnico: Roberto Fernandes
Paysandu: Emerson; Ayrton, Perema, Diego Ivo e Guilherme Santos; Jonnathan (Augusto Recife), Renato Augusto, Fábio e Juninho; Bérgson e Caion. Técnico: Marquinhos Santos
ÁRBITRO: Felipe Gomes da Silva (PR)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 34ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2017, a ser disputada na Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata

Após seu pior início da história, o Náutico vem tentando se reabilitar e evitar o rebaixamento na Série B do Campeonato Brasileiro 2017. Na noite desta terça-feira (7), às 20h30 (de Brasília), recebe o Paysandu na Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata, pela 34ª rodada em busca de um milagre, pois ainda não está rebaixado matematicamente à Série C.

Embalado pela vitória no Clássico das Emoções diante do Santa Cruz, no último sábado (4), o Timbu tenta seguir vivo na disputa para não ter mais um descenso à Terceirona em todo seu histórico. O triunfo sobre o rival manteve os alvirrubros na 19ª colocação, porém com 31 pontos, oito a menos que o CRB, primeiro adversário fora do Z-4.

Também ocupando a parte inferior da classificação, o Papão é um dos mais irregulares na competição e busca abrir vantagem para a degola. Para isso, precisa esquecer o empate em casa com o Vila Nova, por 1 a 1, que o deixou na 11ª posição e somando 42 pontos ganhos, somente três à frente da zona da confusão.

Timbu vai motivado em busca do milagre

Vencer o clássico não apenas deixou o Náutico vivo na disputa contra a degola como o motivou para a sequência da competição nacional. Se o grupo está embalado, o treinador Roberto Fernandes ganhou uma dor de cabeça de última hora para definir o time antecipadamente. Isso se deve ao fato do meia Diego Miranda estar com o pé inchado e não ter certeza de jogar.

"Ele sente dores no local, que está inchado, e a gente o mandou para a realização do exame de imagem. Diego começou a andar, porém ainda está mancando e aí vai depender do nível de dor que ele sentir nessa terça-feira (7). Se o jogo fosse hoje (6), eu diria que ele estaria de fora", assegurou o médico Renato Barreto.

Diego saiu ainda durante o clássico e pode ser desfalque no Timbu (Foto: Léo Lemos/Náutico)
Meio-campista saiu ainda no decorrer do clássico e pode ser desfalque no Timbu (Foto: Léo Lemos/Náutico)

A base, entretanto, deve ser mantida, já que é esperada a repetição da escalação pela primeira vez por parte do comandante nessa Série B. A expectativa é a entrada do volante William Schuster, que foi acionado e deve permanecer como cotado para iniciar entre os titulares diante do Paysandu.

Os alvirrubros até tiveram pouco tempo de recuperação, mas não irão modificar a estrutura tática. No gol, Jefferson permanece, bem como a dupla de zaga com Breno e Aislan, além das laterais com David e Ávila. No meio-campo, Amaral ainda aguarda a definição do companheiro na cabeça de área, deixando Bruno Mota na armação das jogadas para os atacantes Dico, William e Rafinha.

Papão indefinido para se afastar da degola

Querendo ocupar a parte superior da tabela e embalar na luta contra a proximidade da zona do rebaixamento, o Paysandu possui dúvidas e o técnico Marquinhos Santos mantém o mistério. Havia a expectativa do volante Rodrigo Andrade já conseguisse ter condições físicas para ficar como opção no banco, porém sequer foi relacionado, pois se recupera ainda de lesão grau dois na panturrilha.

Ele se junta ao centroavante Marcão, que está com pneumonia e segue como ausência para Marquinhos. A última baixa surgiu do último jogo, o cabeça de área Nando Carandina, já que recebeu o terceiro amarelo e vai ter de cumprir a suspensão automática, deixando a única dúvida para a definição dos 11.

Volante Carandina recebeu o terceiro amarelo e é uma das três ausências no Papão (Foto: Fernando Torres/Paysandu)
Carandina recebeu o terceiro amarelo e é uma das três ausências no Papão (Foto: Fernando Torres/Paysandu)

Com intervalo curto entre a rodada passada e a viagem a Recife, o time bicolor só será escalado momentos antes da bola rolar. Disputam uma vaga os companheiros de posição Jhonnatan e Augusto Recife, todavia não foi revelado quem entrará para formar o setor de marcação junto a Renato Augusto. O treinador do Papão evita a euforia e pede foco ao elenco para somar o maior número de pontos possíveis.

"Diria que nós temos mais cinco jogos para se conquistar a pontuação mínima para evitar cair e o maior número de pontos possíveis. É claro que, o quanto antes nós chegarmos a 45/46 pontos, se tem um alívio, mas não admito essa situação. Comemorar uma permanência na Série B, pelo o que é o Paysandu e o que representa a torcida, não dá para a gente comemorar", encerrou.