Felipe Melo aprova contratação de Roger Machado e pede apoio: "A torcida tem que abraçar"

Volante foi o primeiro jogador do clube a falar oficialmente sobre a contratação

Felipe Melo aprova contratação de Roger Machado e pede apoio: "A torcida tem que abraçar"
Foto: Palmeiras/Divulgação

A entrevista coletiva do volante Felipe Melo nesta quinta-feira (23), na Academia de Futebol, girou em torno de um único assunto: a contratação de Roger Machado como treinador do Palmeiras. 

Após o anúncio do novo treinador, as redes sociais do Palmeiras foram tomadas por torcedores enfurecidos pela decisão da diretoria. Entre a torcida, treinadores com currículos mais extensos, como Abel Braga e Felipão tem maior aceitação. Felipe Melo, que é tido como uma das lideranças do grupo, e é muito querido por boa parte da torcida, fez questão de defender o novo comandante, citou seu trabalho no Grêmio (atual finalista da Libertadores) e se colocou a favor da renovação entre os técnicos brasileiros.

"Particularmente, sou a favor de renovação. Era a favor do Valentim, um cara de que gosto muito. Mas acho que não tem que ter muita lamentação, porque futebol é assim. Hoje estou assim, amanhã não sei onde estarei. Foi assim com outros treinadores."

"Vejo méritos grandes do Renato, mas o início do trabalho foi feito pelo Roger, que fez ótimo início de trabalho no Atlético-MG, campeão estadual. A torcida tem que abraçar, se começar com mimimi, "mas, mas, mas"... É complicada essa situação.", emendou.

Em 2017, Eduardo Baptista chegou ao Verdão em situação semelhante à de Roger. Sob forte desconfiança, o trabalho do treinador, que hoje está na Ponte Preta, foi muito questionado pela torcida e imprensa desde o início. Felipe Melo citou a passagem de Eduardo ao pedir diversas vezes que a torcida dê suporte a Roger.

"O melhor é o que está hoje, temos que abraçar quem está chegando. Desconfiança vai embora com os jogos. Tivemos início bem esperançoso com Eduardo, depois teve troca. Quando tem troca de treinador, o erro é de todos. Espero que a torcida abrace o Roger. Se a torcida abraçar, vai abraçar nós, jogadores. Falei outro dia que aqui se perde junto, se ganha junto. Aqui, todo mundo é xingado, cobrado. Tem que ser dessa maneira, assim que grupo cria casca, aprende a suportar pressão, momentos não bacanas."

"Estou muito contente. É um treinador jovem dentro daquilo que faz, já fez bons trabalhos em grandes clubes e tem fome de título. Um treinador cascudo. Temos tudo para fazer um ano importante, e o torcedor, que é nossa gasolina, precisa abraçar o treinador.", disse o camisa 30.

Questionado sobre como pode se encaixar no modelo de jogo que será trabalhado com o novo treinador, Felipe Melo citou maneiras como costumava jogar em seus clubes anteriores, antes de se colocar à disposição de acordo com qualquer necessidade:

"Na Fiorentina eu jogava como primeiro homem na frente da zaga. Na Juventus eram dois centro-campistas. No Galatasaray, eram três centro-campistas, e eu fui o mais ofensivo. Fui zagueiro lá também, na Inter joguei como meia-atacante. Minha disponibilidade é total.", explicou.

Outra iminente chegada para o Palmeiras no próximo ano é o meio-campista Lucas Lima. Em fim de contrato no Santos e após uma temporada de bastante desgaste com a torcida, o jogador de 27 anos tem acordo alinhado para ser jogador do Verdão em 2018, caso não receba proposta de um grande clube da Europa. Questionado sobre o assunto, Felipe Melo abriu as portas para o provável futuro companheiro.

"A partir do momento que entrou aqui, passa a ser palmeirense e será abraçado por todos nós. É o mínimo que podemos fazer com ele. O que aconteceu é passado. Vamos cobrar uma postura de atleta profissional, vamos cobrar dentro de campo.", esclareceu.

Antes de voltar 100% de suas atenções para a temporada de 2018, ainda sob o comando do técnico interino Alberto Valentim, o Alviverde tem mais dois compromissos a cumprir pelo Campeonato Brasileiro. O próximo deles é contra o Botafogo, no Allianz Parque, às 20h da próxima segunda-feira (27).