Em despedida, Zé Roberto afirma: "Quando cheguei o Palmeiras era grande, agora é gigante"

Verdão venceu os cariocas por 2 a 0 na última partida do veterano lateral

Em despedida, Zé Roberto afirma: "Quando cheguei o Palmeiras era grande, agora é gigante"
Foto: Palmeiras/Divulgação

O jogo entre Palmeiras e Botafogo, desta segunda-feira (27) com certeza ficará guardado na memória não só do torcedor palmeirense, como de todo fã de futebol. Para o campeonato, a partida vencida pelo Verdão por 2 a 0 valia apenas uma melhor colocação no G-4. Mas para o esporte em si, a data fica marcada o dia do último jogo da carreira de um dos grandes jogadores das últimas décadas. Aos 43 anos, o incansável Zé Roberto encerrou sua vitoriosa carreira no Allianz Parque.

Após o apito final, Zé Roberto correu em volta do gramado do estádio palmeirense, visivelmente emocionado, saudando seu torcedor e abraçando os companheiros. Os quase 24 mil palmeirenses presentes se mantiveram nas arquibancadas aplaudindo o ídolo. Após seu ritual, Zé foi aos microfones.

"Três dias que eu não durmo esperando chegar esse momento. Jogo intenso como foi hoje, fazia um tempo que não jogava 90 minutos. Termino um ciclo vitorioso, não poderia deixar de completar com uma vitória. Coroando o clube, tendo a festa com os torcedores."

"Futebol me deu muito aprendizado. Eu achei que ia agregar muita coisa, mas aprendi muito. Aprendi que temos que, independente da nossa idade, de tudo aquilo que construímos, temos que aprender. Eu escolhi o clube para encerrar minha carreira pela identificação.", emendou.

Contratado no início de 2015, como parte da remontagem do Palmeiras comandada por Alexandre Mattos, o veterano lateral e meio-campista teve importante papel na recuperação da autoestima do torcedor Alviverde. Na época, o jogador ficou marcado por uma emocionante preleção no início da temporada, onde motivou os jogadores recém-chegados a resgatar a grandeza do Palmeiras. 

 

"Por um tempo que o clube como o Palmeiras estava passando. Conseguimos colocar o clube no patamar que ele sempre precisou estar. Resgatamos o orgulho do torcedor. Desde que fizemos o discurso, trouxemos o torcedor de volta ao estádio, eles tiveram esperança."

"Saio com o dever cumprido, sabendo que dei meu máximo e deixei um legado. Valeu a pena bater no peito. Quando eu cheguei o Palmeiras era grande, agora com eu saindo, ele é gigante.", encerrou Zé Roberto.

O meio-campista Moisés mostrou emoção ao falar do companheiro: 

"Hoje foi atípico. Eu não controlei minha emoção, não conseguia pensar no jogo, só pensava no Zé. Não consegui controlar a emoção. Hoje minhas pernas tremeram mais do que no jogo contra o Barcelona, quando fui bater o pênalti.", disse o camisa 10.

Keno, autor do segundo gol do Verdão da partida, dedicou a vitória à "lenda" Zé Roberto: 

"O Zé Roberto é um cara que a gente não pode deixar de exaltar. Com 43 anos e jogando em alto nível. É para chocar o mundo, e não só o Brasil. Exemplo dentro e fora de campo. Dá vários conselhos. Antes de entrar em campo, todo mundo chorou quando ele falou no vestiário. É uma lenda, não um jogador. Fico feliz pelo gol, mas o mais importante é a vitória. Pelo Zé, ele é merecedor de tudo isso.", declarou o atacante.

O Palmeiras é o clube brasileiro pelo qual Zé Roberto mais entrou em campo em sua carreira. São 133 partidas pelo Verdão, seguidas por 119 vestindo a camisa do Grêmio. Os brasileiros ficam atrás apenas dos alemães Bayer Leverkusen (144 jogos) e Bayern de Munique (246).

O craque iniciou sua carreira pela Portuguesa, e em seus 23 anos de jornada, teve passagens também por Real Madrid, Flamengo, Santos, Hamburgo e Al-Gharafa (Catar). Foi campeão nacional na Espanha, Alemanha e no Catar. Pela Seleção Brasileira, foi campeão da Copa América duas vezes, e venceu também duas Copas das Confederações.