Cabofriense vence Vasco com gol no fim e embola Grupo B da Taça Guanabara

Tricolor Praiano abre o placar, sofre empate e no fim, garante triunfo com gol de Levi; Vasco chega a seis gols sofridos no Carioca, pior defesa do Estadual até o momento

Cabofriense vence Vasco com gol no fim e embola Grupo B da Taça Guanabara
Foto: Paulo Fernandes/Vasco

Sob forte sol em Bacaxá nesta quarta-feira (24), Vasco Cabofriense duelaram pela terceira rodada da Taça Guanabara - o primeiro turno do Campeonato Carioca no Estádio Elcyr Rezende.

Com reservas, o time de Zé Ricardo perdeu por 2 a 1, com gols de Levi Victor Silva; Nenê marcou para os vascaínos. O resultado coloca o cruzmaltino na quarta posição do Grupo B, com três pontos; já o Tricolor Praiano sobe para terceiro, com quatro.

Neste sábado (27) às 17h, o Maracanã será palco para o clássico entre Vasco e Flamengo, pela quarta rodada do Estadual; a Cabofriense só volta a campo na próxima segunda-feira (29), quando visita o Volta Redonda no Raulino de Oliveira às 19h30.

Poupando titulares, Vasco sai atrás no placar

Visando o clássico diante do Flamengo e também a estreia na Libertadores na próxima quarta-feira (31), Zé Ricardo optou por novidades no time titular. Com Nenê capitão, o treinador promoveu a estreia de Rildo com a camisa vascaína, além da presença de Bruno Paulista como volante e outras novidades.

Mesmo sob forte sol, o Vasco começou marcando em cima e aos 9', Caio Monteiro fez ótima jogada e tocou para Rildo, que ajeitou para Nenê acertar o travessão em finalização da entrada da grande área.

Após o início intenso, as equipes sentiram o calor de Bacaxá e não conseguiram demonstrar um bom futebol, errando muitos passes no setor central. Sem conseguir furar a zaga adversária, a alternativa vascaína foi arriscar de fora da área; Bruno Paulista arriscou de muito longe aos 30', assustando o goleiro George.

Substituindo o ídolo Martin Silva, o jovem Gabriel Félix acabou se tornando protagonista no lance que originou o gol da Cabofriense. Aos 33', Paulo Sérgio cobrou falta na direção da pequena área, o goleiro vascaíno acabou soltando a bola nos pés de Victor Silva, abrindo o placar no Elcyr Rezende.

Rildo estreou nesta quarta com a camisa do Vasco, mas não fez bom primeiro tempo | Foto: Paulo Fernandes/Vasco
Rildo estreou nesta quarta com a camisa do Vasco, mas não fez bom primeiro tempo | Foto: Paulo Fernandes/Vasco

Nenê empata, mas Vasco cede pressão e sofre gol da derrota no fim

Precisando do resultado, o Vasco efetuou duas modificações ainda no intervalo: Henrique entrou no lugar de Alan na lateral-esquerda e Paulo Vitor no lugar de Guilherme na ponta direita.

Logo aos 5', saiu o gol de empate. Nenê tabelou e acabou derrubado na grande área; o camisa 10 deslocou George e cobrou com categoria no canto direito, empatando a partida em Bacaxá.

Após o empate, pouca inspiração nos dois lados. Nenhuma das equipes conseguia aproveitar a posse quando tinham a bola, e a partida ficou presa no meio-campo. Os treinadores optaram por mudanças, colocando jogadores descansados para tentar os três pontos.

Precisando da vitória para ficar em condição confortável no Estadual, o Vasco passou a pressionar no campo de ataque, mas a Cabofriense conseguia trocar passes e ultrapassar as linhas de marcação adversária. Do outro lado, o time de Zé Ricardo tinha dificuldades de trabalhar a posse, falhando na tentativa de criar jogadas ofensivas.

Mais organizada, a Cabofriense teve mais posse nos minutos finais. A pressão surtiu efeito já aos 45'. Aproveitando a pouca intensidade da marcação vascaína, o volante Levi passou por quatro adversários e finalizou de fora da área, sem chances para Gabriel Félix. Final de jogo: Cabofriense 2 x 1 Vasco.

Seis gols em três jogos: Vasco é a pior defesa do Carioca até aqui | Foto: Paulo Fernandes/Vasco
Seis gols em três jogos: Vasco é a pior defesa do Carioca até aqui | Foto: Paulo Fernandes/Vasco