Vettel vence na Hungria, vê Hamilton fora do pódio e abre 14 pontos na liderança da F1

O alemão venceu em dia de dobradinha da Ferrari com Räikkönen em segundo, enquanto Bottas e Hamilton vieram logo atrás com as duas Mercedes

Vettel vence na Hungria, vê Hamilton fora do pódio e abre 14 pontos na liderança da F1
Foi a quarta vitória de Vettel em 2017 (Foto: Lars Baron/Getty Images)

Sebastian Vettel teve um domingo (30) para não esquecer. O alemão venceu de ponta a ponta o Grande Prêmio da Hungria, em Budapeste, marcando seu quarto triunfo em 2017, e viu sua liderança na atual temporada da Fórmula 1 aumentar sensivelmente. Isso porque seu grande rival na disputa pela taça, Lewis Hamilton, não teve uma grande prova e cruzou a linha de chegada em quarto. Com isso, a distância do piloto da Ferrari para o inglês da Mercedes no campeonato aumentou de um para 14 pontos.

A Ferrari conseguiu uma grande dobradinha em Hungaroring, com Kimi Räikkönen em segundo logo atrás de Vettel. Ao lado deles no pódio apareceu Valtteri Bottas com a outra Mercedes. Depois dele e de Hamilton veio Max Verstappen, em quinto com a Red Bull. O holandês se envolveu na grande polêmica da prova ao bater com seu companheiro de equipe Daniel Ricciardo na largada, provocando o abandono do australiano, que ficou revoltado com a atitude do holandês – Max foi punido por 10s durante a prova e cumpriu na primeira parada.

Lewis Hamilton foi o quarto e saiu de Hungaroring com grande desvantagem na tabela (Foto: Mark Thompson/Getty Images)
Lewis Hamilton foi o quarto e saiu de Hungaroring com grande desvantagem na tabela (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

Em sexto veio Fernando Alonso, que fez uma prova impecável com a McLaren e conquistou seu melhor resultado em 2017, ainda marcando a melhor volta da prova no penúltimo giro. Carlos Sainz Jr cruzou em sétimo com a Toro Rosso, seguido pela dupla da Force IndiaSergio Pérez em oitavo e Esteban Ocon em nono – e por Stoffel Vandoorne, fechando o grupo dos dez primeiros com a McLaren. Foi a primeira vez no ano que o piloto belga pontuou e que a equipe inglesa marcou pontos com seus dois carros.

Fernando Alonso foi um dos grandes destaques da prova, em sexto (Foto: Dan Mullan/Getty Images)
Fernando Alonso foi um dos grandes destaques da prova, em sexto (Foto: Dan Mullan/Getty Images)

A corrida

Na largada, Vettel e Räikkönen mantiveram a ponta, com Bottas em terceiro. Ricciardo pulou bem para quarto e Verstappen para quinto, enquanto Hamilton caiu para sexto. E os dois carros da Red Bull logo se envolveram no primeiro incidente do dia: ao tentar ultrapassar Ricciardo, Verstappen travou os pneus na curva 2 e acertou seu companheiro. O australiano teve o radiador quebrado e abandonou, enquanto o holandês seguiu na sua posição. O safety-car foi acionado e a essa altura o top-ten era: Vettel, Räikkönen, Bottas, Verstappen, Hamilton, Sainz, Alonso, Pérez, Vandoorne e Ocon.

Na quinta volta, o SC deixou a pista e a corrida foi reiniciada. No sétimo giro, Verstappen recebeu uma punição de 10 segundos em seu tempo final de prova graças ao acidente com Ricciardo. Como esperado, a Ferrari começou com um ritmo muito forte. Dez voltas após a bandeira verde, Vettel já tinha 3s3 de frente para Räikkönen, que abria 5s6 para Bottas. Na volta 19, uma ordem de equipe no meio do pelotão: Jolyon Palmer, então 11º, foi forçado a ceder a posição para seu companheiro de Renault, Nico Hülkenberg, que vinha logo atrás.

Verstappen (onboard) bateu em Ricciardo na largada e gerou polêmica na Red Bull (Foto: Divulgação/F1)
Verstappen (onboard) bateu em Ricciardo na largada e gerou polêmica na Red Bull (Foto: Divulgação/F1)

O primeiro a fazer sua troca de pneus foi Romain Grosjean, da Haas, colocando os pneus macios na volta 21. Porém, a roda traseira esquerda do seu carro não foi fixada corretamente pela equipe e ficou solta, fazendo o francês ser o segundo piloto a abandonar no domingo. Dez giros depois, Bottas foi o primeiro dos pilotos do pelotão inicial a fazer sua troca pelos macios. Logo depois foi a vez de seu companheiro Hamilton, que teve uma parada 0s8 mais rápida que a do finlandês, ainda assim voltando atrás da outra Mercedes em quinto.

Na volta 33 foi a vez de Vettel, que pouco antes havia reclamado de problemas de direção no rádio. Räikkönen veio com a outra Ferrari logo em seguida e voltou bem perto de seu companheiro, à frente dos carros da Mercedes. Uma das brigas mais bonitas da prova aconteceu quando Sainz e Alonso, que duelaram por posições desde a largada, voltaram dos boxes juntos na volta 36. Alonso tentou a ultrapassagem por fora na chicane das curvas 6 e 7, mas não conseguiu e cortou caminho. Logo depois, porém, o espanhol da McLaren foi para cima e ultrapassou seu compatriota na curva 2, em uma grande ultrapassagem para assumir a nona posição.

Bottas voltou da parada à frente de Hamilton e assim terminou (Foto: Mark Thompson/Getty Images)
Bottas voltou da parada à frente de Hamilton e assim terminou (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

Enquanto Verstappen não parava e era líder, a distância entre Vettel, Räikkönen, Bottas e Hamilton começou a diminuir, com 5s de diferença entre os quatro. Na volta 43, enfim Verstappen parou, cumprindo os 10s na punição que sofreu e colocando os pneus macios para voltar em quinto. Quatro voltas depois, veio a esperada ordem de equipe da Mercedes, e Bottas abriu na curva 1 para ceder a terceira posição à Hamilton. Com as últimas paradas no meio do pelotão, o grid se estabeleceu. Os dez primeiros eram: Vettel, Räikkönen, Hamilton, Bottas, Verstappen, Alonso, Sainz, Pérez, Ocon e Vandoorne.

Após passar por Bottas, Hamilton começou a chegar com força nas Ferraris. O inglês chegou a estar a 1s de Räikkönen e 2s de Vettel, mas com um ultimato da Mercedes: caso não conseguisse a ultrapassagem, teria que ceder passagem ao seu companheiro no fim. E para causar dor de cabeça ao tricampeão, os dois carros da Scuderia mantiveram um bom ritmo e ele acabou ficando para trás.

Vettel, Räikkönen e Hamilton ficaram um bom tempo colados no fim da prova (Foto: Divulgação/F1)
Vettel, Räikkönen e Hamilton ficaram um bom tempo colados no fim da prova (Foto: Divulgação/F1)

Na volta 62, o terceiro abandono da prova: Paul di Resta, que substituiu Felipe Massa na Williams (o brasileiro teve problemas de saúde e não participou da corrida), teve problemas e abandonou sua primeira prova de F1 desde o GP do Brasil de 2013. Nico Hülkenberg foi o último a abandonar com problemas em sua Renault na volta 69, enquanto Kevin Magnussen foi punido com 5s por empurrar o próprio Hülkenberg para fora da pista em uma tentativa de ultrapassagem.

No final, Vettel cruzou a linha de chegada e venceu pela segunda vez em Hungaroring e quarta no ano, com Räikkönen completando a dobradinha da Ferrari em segundo. A Mercedes cumpriu a promessa que fez e Bottas recuperou a terceira posição na última curva, deixando Hamilton com o quarto lugar. Verstappen chegou em quinto e Alonso cruzou em um enorme sexto lugar, ainda fazendo a melhor volta da prova no penúltimo giro. Sainz, Pérez, Ocon e Vandoorne fecharam o grupo dos dez primeiros e pontuáveis.

A alegria de Vettel ao lado de Räikkönen e Bottas no pódio (Foto: Peter J Fox/Getty Images)
A alegria de Vettel ao lado de Räikkönen e Bottas no pódio (Foto: Peter J Fox/Getty Images)

A classificação do Grande Prêmio da Hungria de 2017 de Fórmula 1:

(Foto: Divulgação/F1)
(Foto: Divulgação/F1)

Formula1