Kvitova acaba com empolgação de Collins e vai pela primeira vez à final em Melbourne
Kvitova fez mais uma bela campanha e alcança como prêmio sua primeira final no Australian Open, primeira final em major desde seu incidente em 2016 (Foto: Divulgação/WTA)

Kvitova acaba com empolgação de Collins e vai pela primeira vez à final em Melbourne

Tcheca superou começo desajustado para eliminar americana, que vinha fazendo excelente campanha até então; partida foi a mais longa da tcheca no torneio, durando 1h34

anaracheel
Ana Carneiro

Na madrugada da última quinta-feira (24) aconteceu a primeira partida de semifinal do Australian Open. Com o telhado aberto, a Rod Laver Arena vivenciou a tcheca cabeça de chave oito Petra Kvitova eliminar a americana #35 Danielle Collins com parciais de 7/6(2) e 6/0, em 1h34 para avançar a primeira final de major de sua "segunda carreira". 

Petra Kvitova entrou em quadra como favorita e também sendo a mais querida do carinhoso público australiano. Apesar disso, a tcheca demorou para encontrar seu bom ritmo na partida e passou por momentos de tensão causados por inúmeros contratempos: teto fechando, dispositivo de rede com defeito, chamadas duvidosas e, como ápice, uma adversária com os nervos a flor da pele. Mas não só de tristezas viveu a partida de semifinal: o público sempre muito participativo deu um show a parte e a figura ilustre de Nicole Kidman na plateia animou até quem não é particularmente fã do esporte. 

Kvitova começou servindo e não fez o melhor game possível - encaixou apenas uma bola de primeiro serviço nos cinco pontos disputados -, mas conseguiu sair com na liderança. A americana também pecou e seu serviço, o que facilitou a vida da tcheca. Collins saiu na frente ao conseguir quebrar o serviço da tcheca no quinto game (no segundo break point que teve), mas foi quebrada já na sequência (no quinto break point enfrentado), o que levou Petra a disparar o primeiro 'Pojd da partida.

Quando o set estava empatado em 4/4, o teto da quadra principal do torneio foi fechado, por conta do calor. A partida foi para o tiebreak, e Kvitova conseguiu duas mini quebras e fechou o game desempate por 7-2. 

Apesar de começar o set em um nível abaixo do esperado, cometendo muitos erros, fazendo poucos winners e sem conseguir encaixar o serviço muito bem, Kvitova provou que mesmo longe de seu melhor ritmo, ainda é uma adversária difícil de ser superada. 

Danielle Collins despe-se do major com a cabeça erguida: despachou tenistas de topo e fez a melhor campanha de sua carreira (Foto: Divulgação/ Australian Open)
Danielle Collins despede-se do major com a cabeça erguida: despachou tenistas de topo e fez a melhor campanha de sua carreira (Foto: Divulgação/ Australian Open)

E se a primeira parcial pegou fogo, a segunda foi ainda mais intensa, ao menos no quesito reclamações feitas pela americana. Já no primeiro game da segunda parcial, Collins foi prejudicada por uma chamada atrasada e não ficou calada: "Sempre que o ponto me beneficia, eu preciso repor... Nas minhas outras partidas eu pedir o ponto, por que é diferente agora?", e apenas obteve como resposta do português Carlos Ramos um "toda partida é diferente".

Visivelmente afetada psicologicamente, a americana parou o ponto para trocar de raquete, logo em seguida sofreu a primeira quebra em seu serviço na parcial. Kvitova passou a jogar em seu melhor ritmo e então não houve nada que a americana pudesse fazer a respeito. O melhor momento da parcial aconteceu entre o terceiro e quinto game, em um rally que deixou até Nicole Kidman, a grande convidada da noite, de boca aberta.

Anna Wintour, Nicole Kidman e Keith Urban assistindo a partida de semi final entre a tcheca e a americana (Foto: Divulgação/Australian Open)
Anna Wintour, Nicole Kidman e Keith Urban assistindo a partida de semi final entre a tcheca e a americana (Foto: Divulgação/Australian Open)

Kvitova fechou a segunda parcial em 32 minutos, com um 'pneu'. A tcheca disparou um total de 30 winners e quatro aces durante toda a parcial e cometeu 27 erros não-forçados somados de quatro dupla faltas. Collins fechou com apenas nove winners, 16 erros não-forçados, dois aces e quatro dupla faltas.

A tcheca colocou 60% dos primeiros serviços na quadra da americana e venceu 75% deles; Collins colocou apenas 44% de primeiro serviço dentro e pontuou em 67% deles. Em bolas de devolução, Kvitova marcou um total de 54%, enquanto que a estadunidense ficou em 39%.

Collins despede-se do major com uma excelente campanha feita e com a cabeça erguida: jogar com Petra Kvitova nunca é tarefa fácil. Antes desta edição do Aberto da Austrália, a estadunidense nunca havia vencido um jogo em Slams. Com a campanha, ela deve subir para a 23ª posição do ranking, a melhor da carreira.

Já Petra Kvitova avança pela primeira vez na carreira, ou, como a própria diz "segunda carreira" à final do Aberto do Austrália

"Estar na final significa tudo"

Kvitova, já confirmada na final, enfrenta #4 Naomi Osaka, que venceu em três sets a #7 Karolina Pliskova. Além do título inédito, a vencedora da final do major australiano também sai da Austrália como número um do mundo. A partida da final feminina acontece no próximo sábado (26).

VAVEL Logo