Sakkari se impõe, quebra invencibilidade de Osaka e avança em Miami
Maria Sakkari venceu Naomi Osaka no WTA 1000 de Miami 2021 (WTA / Divulgação)

A tarde de quarta-feira (31) no WTA 1000 de Miami começou com uma grande surpresa. Segunda cabeça de chave do torneio, #2 Naomi Osaka perdeu para #25 Maria Sakkari. Mais do que isso: a vitória da grega nas quartas de final da competição veio com facilidade e em apenas dois sets.

Em apenas 1h13, a grega aplicou um pneu na japonesa (ou seja, 6/0) e, no set seguinte, o triunfo veio por 6/4. Esta foi a maior vitória de Sakkari em termos de ranking na carreira, e quebrou sequência de 23 triunfos seguidos de Osaka no circuito.

Surpresa grega

No primeiro e no terceiro games da partida, Osaka conseguiu forçar os momentos a oito pontos - somando cinco break points em todos eles. E só. Jogando muito abaixo do que está acostumada, a japonesa tomou um pneu de Sakkari e não venceu um game sequer: 6/0. Irreconhecível, a ex-número 1 do mundo não conseguiu nenhum winner na primeira parcial e teve 12 erros não-forçados.

A japonesa teve um dia muito abaixo no serviço, colocando apenas 41% do primeiro saque em jogo, cometendo quatro duplas faltas e vencendo menos da metade dos pontos enquanto sacava.

Mesmo assim o segundo set trouxe competitividade para a partida. O primeiro momento do período viu Osaka novamente sacando mal e precisando reaver três break points para, enfim, confirmar o primeiro saque. Mais do que isso: na sequência, Sakkari teve o saque quebrado pela primeira (e única) vez na peleja.

No terceiro, mais 12 pontos e três break points impedidos. Após momento de estabilidade na peleja, três games com oito pontos: o sétimo e o nono, sacados pela japonesa, tiveram rejeições no serviço; no oitavo, a grega confirmou o saque. Após anotar 5/4 na parcial, coube à grega confirmar o serviço e encerrar a peleja ao anotar 6/4 no segundo set.

O que vem por aí

Na semifinal do Miami Open, Maria Sakkari enfrenta a vencedora do confronto entre #9 Bianca Andreescu e #58 Sara Sorribes Tormo. Esta é a primeira vez que a grega chega tão longe no torneio.

VAVEL Logo