Em uma semana especial para o tênis brasileiro com a disputa do maior evento da América do Sul, o Rio Open, a Rio Tennis Academy recebeu alguns grandes nomes do tênis nacional e internacional e também de eventos.
 
Jovem de apenas 14 anos, Victoria Barros, que está acompanhando o torneio carioca, fez sessão de treinamento na Rio Tennis Academy de olho em sua preparação para o Brasil Juniors Cup, em Porto Alegre (RS), que começa na semana que vem, e para o Banana Bowl, em Blumenau (SC), na outra semana, os mais tradicionais eventos juvenis nacionais. Com tão pouca idade ela é considerada um fenômeno por muitos e vem de final no importante J300 de Lima, no Peru, na semana passada.
 
"Pra mim o J300 foi muito bom, campanha muito boa, poderia ter sido melhor, mas foi experiência muito boa jogar com novos tenistas, estar na final e fazer meus melhores jogos. Evolui bastante de 2023 pra cá. Evolui a maturidade que é muito importante, ficando mais focada, saber melhor o que fazer com a bola, fisicamente melhorei. Todos os golpes melhorei, sendo mais sólida com as bolas", apontou a jogadora que treina na França e que elogiou a Rio Tennis: "Tem estrutura muito boa, quadra rápida, de saibro, vista diferenciada".
 
Victoria comentou sua semana no Rio Open: "Experiência muito boa estar aqui no Rio Open , profissionais do top 10, top 20, , os brasileiros que eu não conhecia , muito feliz de estar aqui, ver os jogadores como que jogam, aprendendo bastante com eles . Parabéns pro João Fonseca por ser tão novo e estar jogando de forma absurda e está nas quartas, aprendizado muito bom pros mais novos e vamos com tudo".
 
Ela comentou sobre a possibilidade de já jogar profissionais, o que pode ocorrer já no próximo mês em eventos que ocorrerão no Brasil: "Tenho previsão de jogar torneios profissionais. Tem alguma chance desses torneios no Brasil nas próximas semanas seria uma experiência muito boa enfrentar jogadoras mais velhas. Estou trabalhando e passo a passo".
 
Atual 37º do mundo e cabeça de chave 7 do Rio Open, o austríaco Sebastian Ofner foi superado na primeira rodada no começo da semana no torneio e aproveitou as quadras duras da Rio Tennis Academy para fazer sua preparação para o ATP 500 de Acapulco, no México, que começa na próxima segunda-feira. Ele comparou a estrutura da Rio Tennis com as academias de seu país: "Quadra dura é muito boa, muito legal de jogar, curti bastante. Talvez eu retorne no futuro. A Rio Tennis é melhor que a maioria das academias na Áustria, tem tudo que é preciso, tem academia da parte física (o PFW), as quadras de saibro e duras, é muito boa", disse Ofner: "Acapulco é um torneio bem duro, vou rodada a rodada, espero passar a primeira. Para o final do ano quero me manter entre os 50 melhores do mundo. O mais importante é manter a consistência".
 
A Rio Tennis também foi palco de eventos da Joma e também clínica de Fernando Meligeni, lenda do tênis nacional, ex-top 25 do mundo e semifinalista de Roland Garros em 1999.
 
Esta semana também o atleta Rio Tennis, Leonardo Storck, fez semifinal no torneio Cosat 16 anos de Assunção, no Paraguai, parando nesta sexta-feira diante do peruano Nicolas Baena por 4/6 7/5 6/2. Foi a terceira semi seguida do nono melhor do ranking sul-americano que agora segue para o Brasil Juniors Cup e depois o Banana Bowl.
A Rio Tennis Academy tem parceria com a Joma e a INNI. E está situada no Rio de Janeiro, em Laranjeiras, e é das mais modernas academias de tênis no Brasil com nove quadras (seis de saibro e três duras), conta com toda a infra-estrutura do sistema PFW (Performance, Fisio e Wellness) e ainda dormitórios para os atletas. A academia tem a parceria com a INNI e a Joma.