Villarreal vira sobre Atlético de Madrid e ganha conforto na briga por vaga na Europa League

Com a vitória, o submarino amarelo supera o Sevilla e chega à quinta posição da tabela; mantendo o histórico desfavorável, há três anos os comandados de Simeone não conseguem vencer o Villarreal como visitante

Villarreal vira sobre Atlético de Madrid e ganha conforto na briga por vaga na Europa League
Foto: Divulgação/La Liga
Villarreal
2 1
Atlético de Madrid
Villarreal: ASENJO, JAUME COSTA, ÁLVARO, BONERA, MARIO, SORIANO (SANSONE, MIN. 63), RODRI, TRIGUEROS, FORNALS (ENES ÜNAL, MIN 74.), BACCA, RABA (CASTILLEJO, MIN. 78)
Atlético de Madrid: OBLAK, GIMÉNEZ, GODÍN, VRSALJKO, LUCAS, THOMAS, SAÚL, CORREA (VITOLO, MIN. 71), KOKE (FERNANDO TORRES, MIN. 85), DIEGO COSTA, GRIEZMANN (GABI, MIN. 81)
Placar: 0-1 MIN. 20, GRIEZMANN. 1-1 MIN. 82, ENES ÜNAL. 2-1 MIN. 91, ENES ÜNAL.
ÁRBITRO: FERNÁNDEZ BORBALÁN. CARTÕES AMARELOS: FORNALS (MIN. 12), ÁLVARO (MIN. 45), RODRI (MIN. 66), BACCA (MIN. 67), SANSONE (MIN. 94). GRIEZMANN (MIN. 15), GIMÉNEZ (MIN. 61), DIEGO COSTA (MIN. 93). CARTÕES VERMELHOS: VITOLO (MIN. 93)
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA 29ª RODADA DA LA LIGA, REALIZADA NO ESTÁDIO DE LA CERÁMICA, EM VILLARREAL, ESPANHA.

Após começar perdendo, o persistente Villarreal conseguiu uma virada heróica nos últimos 12 minutos de jogo contra o Atlético de Madrid este domingo (18), no Estádio de La Cerámica, em jogo válido pela 29ª rodada do Campeonato Espanhol.

Sem perder o ímpeto durante toda a partida frente um time colchonero semi-impenetrável, o submarino amarelo colheu a recompensa de seus esforços e da apatia rojiblanca nos minutos finais da partida e mantém vivo o histórico favorável contra o time de Diego Simeone: o Atlético não venceu nenhum dos últimos seis confrontos entre os dois, e a última vitória colchonera no Estádio de La Cerámica foi em abril de 2015.

O Atlético foi a campo buscando manter sua vice-liderança intactas, visto que o líder Barcelona também venceu nesse domingo (18). O Villarreal, por outro lado, tinha em jogo o sonho de uma vaga na próxima edição da Europa League, visto que possuía apenas um ponto de vantagem sobre o Girona, sétimo colocado, que ainda joga na rodada contra o Real Madrid no Santiago Bernabéu.

O último tropeço do Atlético na liga foi a derrota por 1 a 0 contra o Barcelona no começo de março, e antes disso apenas a derrota para o Sevilla em 23 de janeiro. Desde então, sete vitórias em oito jogos. Já o Villarreal vinha de uma série de osciladas — desde a derrota para o Real Betis no começo de fevereiro, foram seis jogos pelo campeonato espanhol totalizando três derrotas, um empate e duas vitórias.

O primeiro tempo começou veloz, com os dois lados impetuosos na busca por se impor e ditar o ritmo da partida. O Atlético trabalhava bem a bola, com bastante troca de passes e inversões, enquanto o Villarreal buscava explorar espaços do time de Diego Simeone principalmente no contra-ataque. Logo aos 17 minutos, entretanto, quem teve a oportunidade de sair primeiro no placar foi o visitante, quando o Atlético teve um pênalti marcado a seu favor - apenas o segundo no campeonato - e Antoine Griezmann converteu.

O francês, que tem participação direta em 50% dos gols colchoneros na liga, ignorou as contestações do Villarreal na marcação da penalidade e adicionou mais um à sua conta, marcando seu primeiro gol contra o Villarreal. 

O time da casa não se deixou abater e continuou tentando impor sua proposta de jogo ofensiva. Apesar de pecar bastante no último passe e conclusão de boas jogadas, o submarino amarelo conseguia criar chances e se aproximar do gol de Jan Oblak, apesar de não testá-lo. Paciente, buscava arrumar espaços frente à defesa colchonera sólida que dificilmente os proporciona, e segue sendo a menos vazada entre as seis grandes ligas, com apenas 12 gols sofridos na temporada. Próximo à marca de 15 minutos para o intervalo, o jogo seguia morno, com alguns momentos esporádicos de ação. 

Barrando o avanço do Villarreal, que era versátil nas inversões de bola e na troca de passes buscando perfurar o bloqueio, o Atlético focou mais na parte defensiva e não voltou a aparecer muito no ataque, com exceção de uma ou outra ocasião, como uma finalização de Koke na trave aos 23 minutos, concluindo ótima triangulação com Griezmann e Šime Vrsaljko. Além do gol de pênalti, não colecionou muitas ações ofensivas. Apesar das várias tentativas promissoras, o tentativa dos anfitriões de levar um empate para o intervalo não se concretizou. 

No segundo tempo, o jogo ficou um pouco mais nervoso. O Villarreal manteve o ímpeto, mas seguia sem conseguir potencializar as construções de ataque, e faltava converter as jogadas em perigo através ou de finalizações de fora da área ou de um passe final mais infiltrado e caprichado, para assistir o tão buscado e já merecido gol. O Atlético até buscava ser levemente mais ofensivo, mas ao mesmo tempo em que tentava acalmar o jogo, sem pressa nem agressividade, primava mais por não comprometer sua obra defensiva impenetrável até então.   

De tanto bater em pedra dura, o Villarreal finalmente conseguiu balançar as redes. Na marca dos 81 minutos, o turco Enes Ünal empatou o jogo com um gol de cabeça, explorando uma debilidade defensiva para quebrar o bloqueio colchonero: dos 13 gols sofridos pelo Atlético na temporada, seis foram de cabeça. O gol veio um minuto após Simeone substituir Griezmann por Gabi, visando enfatizar o trabalho defensivo, e oito minutos após a entrada de Ünal, aos 73.

Apesar da entrada de Torres em seguida, o Villarreal ainda teve tempo de virar o jogo quando, já nos acréscimos, Ünal marcou o seu segundo no jogo e o da vitória do submarino amarelo, dando número finais ao confronto.

Com a vitória, o Villarreal supera o Sevilla por dois pontos e chega ao quinto lugar na tabela, enquanto o Atlético de Madrid segue vice-líder, mas vê a distância para Valencia e Real Madrid diminuir. Na próxima rodada, o submarino amarelo viaja para enfrentar o lanterninha Málaga no Estádio La Rosaleda, enquanto os colchoneros enfrentam o Deportivo La Coruña em casa, no Wanda Metropolitano.

Para este confronto, Griezmann estará suspenso por acúmulo de cartões amarelos, mas voltará a campo para o dérbi contra o Real Madrid. Thomas, Saúl e Giménez estão a um cartão amarelo da suspensão e portanto de desfalcarem a equipe no confronto contra o time de Zinedine Zidane