Suíça empata com já eliminada Costa Rica, fica em segundo no Grupo E e avança às oitavas de final

Suíços ficam na frente do placar duas vezes, mas costarriquenhos conseguem empate no fim do jogo

Suíça empata com já eliminada Costa Rica, fica em segundo no Grupo E e avança às oitavas de final
Suíça
2 2
Costa Rica
Suíça: Sommer; Lichtsteiner, Akanji, Schar e R. Rodríguez; Behrami (Zakaria), Xhaka, Shaqiri (Lang), Dzemaili e Embolo; Gavranovic (Drmic). Técnico: Vladimir Petkovic
Costa Rica: Navas; Gamboa (Smith), Acosta, Gonzáles, Watson e Oviedo; Colindres (Wallace), Borges, Guzman e Bryan Ruiz; Campbell. Técnico: Oscar Ramírez

Suíça e Costa Rica se enfrentaram nessa quarta-feira (27), pela terceira rodada do Grupo E no estádio Níjni Novgorod e ficaram no empate por 2 a 2. Os gols foram marcados por Blerim Dzemaili, Josip Drmic, Kendall Watson e Yann Sommer (contra).

Com o resultado, os suíços terminaram a chave em segundo lugar com 5 pontos. Os costarriquenhos ficaram em último com apenas um ponto. Na outra partida da chave, o Brasil venceu a Sérvia por 2 a 0 e ficou em primeiro lugar.

Agora, a Suíça vai encarar a Suécia, na terça-feira (3), no estádio Krestowsky, em São Petersburgo, às 11h (de Brasília). Para esse duelo, os suíços não terão Lichtsteiner e Schar, suspensos pelo segundo cartão amarelo. 

Costa Rica assusta, mas Suíça sai na frente

Mesmo já eliminada da competição, os costarriquenhos começaram melhor na primeira etapa e quase abriram o placar aos seis minutos, quando Campbell obrigou Sommer a realizar grande defesa e na sequencia, Borges acertou o travessão. Os suíços, por sua vez, pareciam um pouco surpresos e não conseguiram desenvolver o seu estilo de jogo.

 Assim, a Costa Rica voltou a assustar com Colindres que arriscou chute de perna esquerda, mandando a bola muito perto do gol suíço. Alguns minutos depois, Colindres voltou a assustar os suíços com um belo chute, mas a bola foi caprichosamente no travessão, novamente. Todas essas chances foram em menos de 10 minutos.

A primeira ocasião da Suíça foi com Gavranovic que tabelou com Dzemaili e finalizou, mas mandou ao lado do gol. Logo depois, nova chance da Costa Rica com Oviedo que, de uma posição angulada, arriscou um belo chute, mas Sommer fez nova grande intervenção.

E como castigo para os costarriquenhos, os suíços chegaram ao primeiro gol depois de boa trama ofensiva pela direita, Embolo recebeu passe na área e só escorou para Dzemaili que chutou para o fundo das redes. Poucos segundos depois, a Suíça organizou nova ação ofensiva muito semelhante ao gol marcado, mas o camisa 15 teve seu arremate bloqueado.

Suíça sofre empate no fim, mas garante vaga 

Na segunda etapa, a partida seguiu intensa e bem disputada por ambas as equipes, mas dessa vez, com a Suíça atacando mais. Porém, assim como na primeira etapa, quem estava melhor em campo sofreu o gol e a Costa Rica chegou ao empate com Watson que ganhou no alto de Akanji e cabeceou para o gol.

Os suíços tentaram reagir rápido e tentou com Ricardo Rodríguez chute de longe e mandou pra fora, mas mandou perto. Depois, Embolo arriscou também um arremate, mas parou na boa defesa de Keylor Navas.

O jogo teve um novo panorama na segunda metade do segundo tempo, quando a Suíça, sabendo da vitória do Brasil, claramente começou a se poupar em campo. A Costa Rica começou a demonstrar certo cansaço também e satisfação com o resultado até então.

A Suíça voltou a assustar com Drmic que recebeu cruzamento, cabeceou com categoria, mas a bola bateu na trave. Depois, foi a vez de a Costa Rica chegar com perigo após grande jogada de Campbell, que driblou três adversários e serviu Borges, o volante arriscou chute de longe, mas Sommer defendeu.

Quando tudo parecia terminar como estava, Drmic recebe de Embolo e sem marcação, coloca a Suíça novamente na frente do placar. Mas, a Costa Rica não desistiu e foi novamente pra cima e conseguiu uma penalidade máxima com Bryan Ruiz, mas a arbitragem voltou atrás com a ajuda do VAR.

Entretanto, a partida prometia mais emoções e houve um novo pênalti para os costarriquenhos, quando Campbell foi derrubado por Akanji: Bryan Ruiz chutou no travessão, a bola voltou na cabeça de Sommer e foi para o fundo das redes, dando números finais á partida.