Barcelona marca no fim e empata em casa contra Athletic Bilbao pela La Liga
Reprodução/ Athletic Club

Barcelona marca no fim e empata em casa contra Athletic Bilbao pela La Liga

Valverde decidiu poupar Messi, que entrou no segundo tempo e ajudou os culés a evitar uma atípica segunda derrota seguida

wesley-silva
Wesley Silvali

Barcelona e Athletic Bilbao se enfrentaram no Camp Nou, pela sétima rodada do Campeonato Espanhol. Com gol de De Marcos para o time visitante, e de Munir para os catalães, o jogo terminou 1 a 1 e ocasionou o primeiro tropeço do Barça dentro de casa no campeonato.

Tropeço esse que incomumente acontece depois do time já ter parado no Leganés, há poucos dias atrás. Na ocasião, foi ainda pior, com derrota de virada por 2 a 1; hoje Munir salvou no final e o time ao menos conseguiu um ponto. O que o deixa na liderança momentânea, com 14 pontos. Um a mais que o Real Madrid, que terá o derby contra o Atlético na rodada. 

Depois de ter sido goleado em casa para o Villarreal, o Bilbao consegue previamente se recuperar. Mesmo vendo a vitória escapar no final, não é todo o dia que um time consegue pontuar contra o Barcelona dentro do Camp Nou. A equipe basca está agora na modesta 14ª posição, com sete pontos.

+ Camisas de times espanhóis com descontos? Vai na FutFanatics!

Frieza do Bilbao no primeiro tempo

Como de costume entre as equipes que jogam contra o Barcelona no Camp Nou, o Athletic Bilbao teve a postura de recuar as linhas e esperar o Barcelona em seu campo de defesa. E como também é de costume, o Barcelona teve volume e oportunidades de gols. Mas nem tantas. A marcação do Athletic conseguia ser equilibrada e evitar que as bolas perto de sua área não oferecessem um risco tão grande ao goleiro Simón.

Suarez e Coutinho chegaram com certo perigo mas quem abriria o placar seria os visitantes, numa espécie de "recompensa" por sua organização e boa transição nos (poucos) momentos que iam ao campo de ataque. Coroando uma boa atuação inicial, o relógio já estava nos 40 minutos quando De Marcos recebeu bela bola de Dani Garcia e bateu no contrapé de Ter Stegen, que nada pôde fazer para evitar o gol dos bascos. Placar inaugurado e mantido até o final da primeira etapa, com o Bilbao a evitar que o Barcelona pressionasse para o empate.

Messi entra.. Munir resolve

Valverde até tentou preservar Messi por mais tempo. Esperançoso de ver seu time romper as barreiras das linhas compactadas do Bilbao, o treinador ainda esperou até os cinco minutos da segunda parte, mas impaciente ao ver seu time nem sequer conseguir fazer pressão para empatar o jogo, não restou mais opções: era hora de acionar o gênio e causar um fator novo no jogo. Após a entrada do argentino, o Barcelona enfim teve o jogo como bem era esperado quando o time joga dentro de casa e sai atrás do placar: ataque contra defesa. Uma pressão que foi simbolizada com duas bolas na trave. Uma delas do próprio Messi, e a outra de Coutinho.

Mas apesar de ter melhorado e ocupado definitivamente o campo de defesa do Bilbao, o Barcelona passou longe de ter uma tarde feliz ou muito inspirada. Acelerava passes e errava mais do que o de costume. Piqué já não era mais zagueiro e se aventurava no campo ofensivo a todo o momento - no qual mais atrapalhava do que propriamente ajudava. O esperado gol de empate acontecia em um momento que a vitória parecia mesmo ir para o time basco. E em uma falha. Em jogada individual, Messi chutou para defesa de Simón. Apesar de forte, a bola era tranquilamente defensável, mas o goleirão bateu roupa. A bola voltou novamente para Messi, que outra vez bateu cruzado, porém desta, dando mais um passe do que finalizando. A bola encontraria os pés de Munir, que embaixo do gol só teve o trabalho de complementar.

Herói improvável e jogo empatado com mais dez minutos por jogar (sete de tempo normal e três de acréscimos). Absolutamente impedido, Suarez marcou mas teve o gol invalidado. Em um raro dia em que fez um jogo ruim, Rakitik ficou de frente a Simón, mas isolou. Dando simbolismo a sua pífia atuação. De mas, a partida terminaria como foi durante quase toda sua tonalidade: Em banho maria. Com o Bilbao a controlar e tirar os espaços de um Barcelona pouco inspirado.

 

 

VAVEL Logo