Após caos em Wembley, FA promete pressionar Fifa por nova punição à Hungria
Foto: Reprodução Daily Mail UK

Menos de um mês após a polêmica diante da Albânia, a Hungria novamente está envolvida com episódios de racismo no futebol. Na noite desta terça-feira (12) no Wembley, um grupo organizado de torcedores húngaros protagonizou ataques contra policiais dentro do estádio e novos insultos racistas aos jogadores ingleses, antes da bola rolar.

Desde a realização da Eurocopa, ocorrida de forma tardia em 2021, os "ultras" húngaros protagonizam crimes raciais nos estádios. Em junho deste ano, o grupo de torcedores organizados que estiveram em Budapeste acumularam insultos registrados, contra as seleções da França e Portugal, ambas no grupo F.

Na época, o Conselho de Ética da UEFA penalizou a seleção com multa de 100 mil euros e dois jogos sem público. Ainda assim, o mesmo grupo de torcedores voltariam meses depois, a seguir com os insultos extremistas.

Mais racismo 

No dia 9 de setembro, Hungria e Albânia jogariam em Budapeste. Por se tratar de um país com alto número de imigrantes, a Albânia é constantemente alvo de insultos em excursões na Europa. Na ocasião, os húngaros atiraram mísseis sinalizadores em campo e insultaram de forma racista os albaneses.

A Fifa aumentou financeiramente a pena para 158 mil libras, segundo o Daily Mail. Uma nova sansão de duas partidas sem público foi autorizada.

Wembley

Ainda no mesmo grupo I das eliminatórias para a Copa, a Hungria visitaria a Inglaterra nesta rodada. Conforme a imprensa especulava potenciais encontros violentos entre hooligans ingleses e ultras húngaros, o policiamento foi reforçado em torno do estádio de Wembley.

Porém mesmo com um aparente clima tranquilo, cerca de mil ultras entraram no estádio e insultaram de forma racista, um garçom inglês. Filmado, cerca de 20 oficiais foram realizar a prisão do criminoso, quando foram atacados por outros torcedores da Hungria.

Após alguns minutos de violência nas arquibancadas, o agressor racial foi retirado do estádio e preso. Mesmo assim, durante o ajoelhamento pré-jogo, em memória à George Floyd, o mesmo grupo direcionou cantos racistas à ingleses, especialmente Marcus Rashford e Jude Bellingham - atletas que se posicionaram contra o racismo.

Investigação

A Football Association (FA) está auxiliando a polícia metropolitana da região. De acordo com a federação inglesa, eles pressionarão a Fifa para uma punição mais severa aos húngaros. 

Ao fim da partida, o treinador Gareth Southgate, o defensor Tyrone Mings e o capitão John Stones repudiaram o ocorrido. Mings inclusive, citou o histórico de punições da Fifa que, segundo ele, são incoerentes com a realidade dos crimes. 

VAVEL Logo