Gleide Maria, treinadora do Botafogo-PB, avalia empate com América-MG: "Fomos na raça"
Gleide está em sua segunda passagem pela Botafogo-PB, onde comanda desde 2014 (Foto: Isabelly Morais/VAVEL Brasil)

Gleide Maria, treinadora do Botafogo-PB, avalia empate com América-MG: "Fomos na raça"

Comandante paraibana afirmou que equipe não jogou bem nessa quarta-feira (14), pelo Brasileiro A2, mas que conseguiu empate com muita entrega em campo

isabelly-morais
Isabelly Morais

Quando faltar técnica e quando o "jogo não entrar", que seja na raça. Essa colocação talvez ilustre bem o caminho que muitas partidas tomam em situações onde individualidades e esquemas táticos não funcionam, restando a vontade e a entrega dos (as) jogadores (as). Foi o que aconteceu com o Botafogo-PB, que viajou até Belo Horizonte na noite dessa quarta-feira (14), para disputar a quinta rodada da Série A2 do Campeonato Brasileiro com o América-MG.

América abre boa vantagem, mas vacila e sofre empate do lanterna Botafogo-PB em casa

Depois de ver o time mineiro abrir 2 a 0, as paraibanas correram atrás do placar para empatar o jogo. Segundo a treinadora da equipe, Gleide Maria, o Botafogo não jogou bem, mas conquistou o ponto fora de casa na raça. "A gente tem feito bons jogos fora de casa, merecemos ganhar todos eles, e hoje veio pelo menos o empate, apesar de não termos feito um bom jogo. Como é o futebol, né?! No dia em que não jogamos bem, mas com um segundo tempo de muita raça, conseguimos o empate", afirmou à VAVEL Brasil.

O Botafogo é o lanterna do grupo B da Série A2, com apenas um ponto conquistado - justamente este do confronto diante das mineiras. Ainda, os dois tentos marcados em Belo Horizonte foram os primeiros das paraibanas na competição até agora, que já teve encerrada sua quinta rodada.  

Em casa, o Botafogo já recebeu o Aliança e o Cresspom, sendo derrotado por 2 a 0 e 3 a 0, respectivamente. Apesar de também ter perdido os dois duelos que fez longe de seus domínios (com exceção da partida contra o América), ambos foram por placares simples: 1 a 0 para Uda e Portuguesa. Essa situação ilustra o que Gleide comenta sobre o desempenho da equipe longe de casa.

"Não adianta jogar bem e não conseguir nenhum ponto. Em casa, realmente não estamos jogando 1/3 do que sabemos, mas fora de casa, jogamos bem o nosso futebol. Hoje fomos na raça, dividimos bolas. Nosso meio criou muito pouco, mas, em compensação, buscamos um resultado que estava adverso, de 2 a 0 no primeiro tempo, e conquistamos um pontinho na casa do adversário", pontuou Gleide.

Nos dois gols do Botafogo, não houve de fato uma jogada de criação por trás. No primeiro, após um bate e rebate da bola na área americana, Nayara empurrou para o gol, e no segundo, a goleira Camila, da equipe mineira, saiu muito mal em uma disputa de bola, e Lucilene foi mais esperta para cabecear direto nas redes alviverdes.

"O time merecia, porque vem fazendo um trabalho, as meninas vêm se dedicando, mas infelizmente nosso ataque não estava funcionando. Hoje as bolas foram meio empurradas, mas penso que o time vai deslanchar", projetou a comandante paraibana.

VAVEL Logo