Análise: São Paulo se porta bem com novo esquema tático e faz boa atuação na Argentina

Diego Aguirre optou por esquema com três defensores para encarar Rosario Central, que deixou equipe mais móvel e com poder de marcação

O São Paulo visitou o Rosario Central nesta quinta-feira (12) e atuou com novo esquema tático. A partida foi quente, com muitas faltas, cartões e duas expulsões. O placar não saiu do zero no Gigante de Arroyito

No primeiro tempo, a equipe da casa buscava chegar, mas esbarrava na marcação forte do time paulista. O esquema 3-5-2, com dois volantes de marcação, Petros e Jucilei, dificultava a criação dos argentinos. Régis e Reinaldo ainda colaboravam nas alas, dando mais força no combate pela bola. 

O esquema de Diego Aguirre poderia ter desmoronado em dois momentos. Aos 18 minutos da etapa inicial ou aos 37. Primeiro, Reinaldo saiu machucado e o técnico Tricolor optou por Lucas Fernandes. Posteriormente, o mais grave: expulsão de Rodrigo Caio. O jogador dividiu com Marcos Ruben e o acertou involuntariamente com o cotovelo. O juiz optou por aplicar o cartão vermelho. 

Surpreendentemente, o Soberano voltou melhor para o segundo tempo, mesmo com um jogador a menos. Nenê se tornou o jogador mais isolado após a entrada do zagueiro Bruno Alves, para recompor o esquema com três defensores. 

No fim do duelo, os Canallas pressionaram, mas esbarraram novamente na marcação tricolor e na soberania de Arboleda nas bolas aéreas. O zagueiro e camisa 5 do Tricolor foi um dos melhores em campo tendo ganho sete de dez divididas e efetuando 12 cortes.


+ São Paulo divulga informações sobre ingresso para estreia no Brasileirão contra Paraná

Carneiro é apresentado no São Paulo e promete 'rapidamente' estar à disposição de Aguirre